Grupos de prevenção ao suicídio criticam 13 Reasons Why nos EUA e na Austrália

Imagem: Forbes

Continua após as recomendações

Um grupo de advocacia e prevenção ao suicídio nos Estados Unidos emitiu uma nota em que critica a nova série da Netflix, 13 Reasons Why. “Eu tenho uma grande preocupação… que alguns jovens vão se identificar muito com Hannah e talvez vejamos um número maior de suicídios em razão dessa série,” disse Dan Reidenberg, diretor executivo do Suicide Awareness Voices of Education grupo sem fim lucrativos.

Continua após a publicidade

“Eu escutei de outros que estão muito preocupados porque é tão sensacionalistas e tão gráfico que estamos preocupados com a vontade das pessoas de copiar,” complementa. Segundo a ABC News, o suicídio é a segunda maior casa de morte entre americanos de 15 a 34 anos, sendo o Centro Americano de Controle e Prevenção de Doenças.

“A maneira como o suicídio é mostrado na mídia há sim um impacto na maneira que os suicídios acontecem. Isso é ainda mais verdadeiro para jovens que são muito vulneráveis ao risco de suicídio,” disse Reidenberg. “Quando eles são expostos a imagens que são muito gráficas, sensacionalistas e aí não há nada que consiga fazer uma balança entre eles, que pode ajudar num eventual tratamento, nós vemos eles repetindo o que veem.”

“A série não apresenta uma alternativa viável ao suicídio. A série não fala sobre doenças mentais ou depressão, sequer fala essas palavras. Minha opinião é de que ela pode ter feito mais prejuízo do que algum benefício.”.

Do outro lado do mundo, a recepção da série junto a grupos com os mesmos objetivos também foram duros ao falar de 13 Reasons Why, emitindo até alertas para pais que prestassem atenção no comportamento dos filhos após assistirem a série.

Segundo o The Hollywood Reporter, Kristen Douglas, gerente nacional da fundação de saúde mental para jovens, também conhecido como Headspace, emitiu uma nota na última terça-feira (18) em que descrevia o drama como àquele que “expõe os telespectadores a um conteúdo de suicídio arriscado”.

“Pesquisas nacionais e internacionais são claros indicativos do verdadeiro impacto e grande risco da exposição ao grave conteúdo que leva a um contágio sexual. Pessoas têm dito que a série tem ativo um lado muito vulnerável delas e fez com que considerassem se o suicídio era a melhor opção para elas,” disse Douglas.

A cobertura completa do lançamento de 13 Reasons Why você confere clicando neste link, além de uma análise feita pelo Mix de Séries aqui.

Fonte: ABC News e The Hollywood Reporter

Avatar

Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

1 comment

Add yours
  1. Avatar
    Fernando Santos 20 abril, 2017 at 09:15 Responder

    A Netflix começou a derrapar nas suas escolhas. Punho de Ferro é ruim, essa série glamourizando o suicídio na adolescência totalmente desnecessária, filmes fracos.

Post a new comment