Gypsy – 1×07 – Euphoria

Imagem: Netflix/Reprodução (Adaptada)

ME AJUDA QUE EU TÔ NERVOSA! Que episódio foi esse? É só tiro atrás de tiro, foi tensão sexual, mentiras e mais mentiras, jogo de verdade ou consequência, baseados e desabafos da vida. Como que a gente continua assim?

Sei que grande parte do público fez de Diane e Sidney seu shipp do momento, mas infelizmente não me encaixo nesse patamar. Quando olho para as duas já vejo quanta coisa errada e autodestruição tem por trás, além da eterna instabilidade de ambas. Simplesmente, não consigo torcer por elas, apesar de não poder negar que formam um casal bonito e tem uma química que vou te contar, mas deixando de lado minha visão, vamos aos acontecimentos.

Comecei o episódio louca já. Quando Diane falou de Sam, dei um pulo da cadeira, mas aí descobri que fui trouxa, já que era só um leve devaneio. Ela está pronta para a experiência completa com Sidney, enquanto Alexis vai se jogando mais e mais pra cima de Michael. Minha querida, todo mundo sabe sua verdadeira intenção querendo jogar verdade ou consequência, ainda mais que a primeira pergunta é o que Michael faria se fosse solteiro.

Continua após a publicidade

Sid também apela para verdade ou consequência com a ajuda de uma moeda. Na tentativa de descobrir um pouco mais sobre Diane, a garota vai tentando descobrir o que levou a terapeuta a falar com ela, enquanto Jean já vai direto ao ponto e manda Sid dançar. Mas o troco vem acompanhado de uma descrição terrível de como Jean mataria alguém e como teve vontade de matar a Catherine, ex de Michael. A terapeuta fala de como se livrou de tudo e torturou o marido, mas parece que ainda sobrou uma foto na gaveta do escritório né…

Agora, falando em ir direto ao ponto, Alexis, tenha modos. A secretária não pensou duas vezes antes de deixar o chefe bêbado e cair na piscina de lingerie provocando ele, Michael até tentou resistir, mas ficou só admirando enquanto estava mergulhando. O que será que Jean faria se soubesse disso? Porque vocês podem até falar que ela não é feliz com ele ou que não o ama, mas só pela forma como falou na festa da Dolly, duvido que ela deixasse barato.

E então, protagonizamos cenas muito quentes entre as duas. Jean é engraçada, ela parece ligar e desligar seu alter ego, em alguns momentos ela está com raiva de Sidney por si mesma, em outros, está deslumbrada como Diane. E, pelo jeito, essa não é sua primeira experiência com mulheres, já que Sidney não “precisa dizer nada”. Em seguida, tivemos mais uma cena onde Alexis mostra do que é capaz. Não gosto da personagem nem um pouco.

Imagem: Netflix/Reprodução

Aí, meus amigos, achamos a dona da arma da casa do Sam, lembram? Estou supondo, claro, mas isso não é só coincidência. Ele falar que não teria como matá-la, tendo uma arma em casa e agora Jean achar a munição na casa da Sidney? Só não vê quem não quer. Os delírios de Jean chapada também foram muito bons, mas quão bizarra foi a cena de Sidney e Michael? Meu deus, vou ter pesadelos com isso e ela também.

E descobrimos um pouco mais sobre o passado desse casal. Jean estava com medo de se comprometer e se sentir presa, esse foi o motivo do tempo deles, e então Michael conhece Catherine. O que todos achávamos que tinha sido apenas um passatempo, não foi, Michael realmente amou a ex e, ao meu ver, ainda ama.

Tivemos então um parâmetro geral do relacionamento, Michael explicando o motivo de estar com ela e Jean explicando os motivos para o deixar. Não sabemos se Jean criou a Diane ou o contrário, mas pelo visto, foi o contrário. Jean era como Sidney, até Michael aparecer e se casar com ela, para que então, ela virasse a Jean que conhecemos hoje em dia. Mas sabemos que ela não está feliz, se sente presa e enxerga em Sid, uma forma de se libertar. Por outro lado, temos Michael, que largou tudo o que era para ser o pilar de Jean, para poder dar a ela a estabilidade que ele achava necessária e é assim que ele também se sente preso. Não posso negar que me emocionei com a montagem maravilhosa das cenas e eles falando.

Curiosamente, Sidney mandou uma mensagem para o Sam falando que sente saudade dele e ainda guarda uma foto dos dois em seu mural, que vimos lá no começo. Mas as coisas começaram a ficar um pouco turvas agora, o que é que ela está querendo ou será que ela já sabe que Diane é, na verdade, Jean? Claro que a terapeuta também não ajuda, ou vocês acham que a Sid não vai ver que as mensagens e o número de Sam, sumiram? E alguém avisa pra Sidney que esse papinho de “você é diferente” não cola, a gente é trouxa sim, mas nem tanto.

Terminamos então, com Michael dispensando Alexis de uma forma muito bonita (a rejeição doeu até em mim), enquanto Jean chegou ao fim com Sidney. Ele escolheu sabiamente, agora ela? Não sei, mas a cara de pânico no rosto dela no final foi de arrepiar.

Nota: Alexis falando que é uma pessoa de respeito, dá licença, minha filha!
Nota 2: Jean engasgando com a fumaça da maconha, muito boa.
Nota 3: Tava jurando que era o Sam quando a pizza chegou, quão bom isso ia ser?
Nota 4: Alexis saiu do quarto do Michael e foi corrento pro Scott. PIRANHA!!!

Estamos chegando à reta final e se você não viu os últimos episódios, ainda dá tempo. Nos vemos aqui amanhã, até!

Tags Gypsy
Avatar

Gabriela Scampini

Paulista, estudante de Direito e geminiana. Apaixonada por livros e séries, mesmo sem ter tempo pra nenhum dos dois. No Mix, escreve a coluna #MixAudiência, além das reviews de American Crime Story, Black Mirror, Chicago Fire e The 100.

No comments

Add yours