Hipster em Série: Inside No. 9

insideno9

Continua após as recomendações

Na onda de revivais e remakes na televisão e no cinema, nada mais justo que o Mix de Séries também invista na repaginada e na revitalização de suas ideias e colunas. A Mix Music já entrou em uma nova fase e desta vez é a hora da Hipster em Série retornar ao catálogo do site. Não conhece a Hipster? Deixa que eu te explico. Esta foi uma coluna criada logo no início do Mix; a ideia era abordar séries desconhecidas, programas que andaram/andam completamente fora do radar do grande público. Sabe aquela série que você curte, mas parece que só você assiste e mais ninguém? Aqui é o espaço dela. É aqui que você vai encontrar as séries menos vistas, mas igualmente boas.

Continua após a publicidade

Não espere, portanto, que falemos sobre Lost, Firefly, Grey’s Anatomy ou Sherlock. A ideia é completamente outra. É claro que alguns programas que serão abordados aqui na coluna são mais ou menos conhecidos pelo público. Alguns, inclusive, até possuem fãs ardorosos e uma história respeitável na TV. Ainda assim, o objetivo é dar espaço para aquelas séries que, por mais assistidas que sejam, não recebem o devido espaço aqui e em qualquer outro site de séries espalhados pela internet.

Assim, é com alegria, e com uma lista extensa de séries e minisséries, que trazemos a Hipster em Série de volta. Tudo pensando em você, leitor que possa tirar proveito de nossos textos e aceitar nossas dicas. Nosso intuito é apresentar séries novas (ou não…) e trocar ideias. Então, vamos?!

O que há no número 9?

A primeira série a figurar no retorno da Hipster é Inside No. 9, incomparável antologia britânica que já teve duas temporadas e caminha para seu terceiro ano. E quando digo “incomparável”, não estou exagerando. Inside é completamente diferente de tudo que você já viu, é diferente inclusive até entre seus episódios. Isso porque cada capítulo traz uma história diferente em cenários completamente diferentes. Assim, você nunca vai ver uma história igual ou uma abordagem semelhante. O programa se renova a cada episódio e a originalidade de suas histórias é assombrosa. Literalmente.

A grande sacada de Inside No. 9 é trazer, a cada semana, uma história completamente nova e bizarra, misturando humor negro com pitadas de suspense e/ou terror. É, guardadas as devidas proporções, uma “prima” de Black Mirror, antologia que também aposta em episódios distintos entre si e bizarros em suas tramas e a abordagens. Inside, contudo, ainda tem algumas ligações entre seus capítulos. Para começar, todas as histórias estão ligadas, de uma forma ou outra, ao número nove. Às vezes de forma direta, como o número da casa ou a quantidade de personagens, outras de forma mais sutil.

Além do número, os episódios dividem alguns atores e roteiristas. A graça, porém, é que você quase não reconhece os atores de uma história para outra. Os cenários e as situações são as mais triviais possíveis. As tramas variam de uma mansão, para uma casa suburbana, para uma cabana, um trem e até mesmo um armário. Vale aponta, inclusive, que as histórias de Inside se desenvolvem basicamente em apenas uma locação. Ainda que mudem de cômodos, por exemplo, o episódio se passa inteiramente na mesma casa. Em alguns casos, como no piloto, tudo acontece em um armário e em um quarto.

Programme Name: Inside No. 9 - TX: 05/02/2014 - Episode: Sardines (No. Sardines) - Picture Shows: (L-R) Kev (LUKE PASQUALINO), Andrew (TIMOTHY WEST), Carl (STEVE PEMBERTON), Mark (JULIAN RHIND-TUTT), Stinky John (MARC WOOTTON), Geraldine (ANNE REID), Rebecca (KATHERINE PARKINSON), Rachel (OPHELIA LOVIBOND), Elizabeth (ANNA CHANCELLOR), Ian (TIM KEY), Jeremy (BEN WILLBOND), Stu (REECE SHEARSMITH) - (C) BBC - Photographer: Gary MoyesIsso tudo garante ao programa um tom único. Para começar, os roteiristas têm a habilidade elogiável de envolver o espectador com seus personagens com uma rapidez incrível. Não demora muito para que estejamos vidrados na ideia e torcendo (contra ou a favor) com e pelos personagens. Aliás, se há um elogio que deve marcar Inside No. 9, este é relativo à originalidade que se renova a cada história e o talento dos escritores ao criar e desenvolver tramas envolventes em menos de trinta minutos. Para completar, Inside é um série inglesa, então espere doses cavalares de humor negro e um senso crítico único. Além disso, prepare-se para levar alguns bons sustos nos episódios mais obscuros, além de reviravoltas genuinamente surpreendentes.

A série tem, até agora, duas temporadas e 12 episódios lançados – seis em cada temporada. No primeiro, intitulado Sardines, a história é a seguinte: na festa do casal Rebecca e Jeremy, todos resolvem jogar o jogo das sardinhas. Para que não conhece, o jogo é um “esconde-esconde” adaptado. Uma pessoa se esconde em algum lugar da casa, daí os outros jogadores começam a procurar. Quem encontra o “escondido”, ao invés de avisar que encontrou, esconde-se junto, no mesmo lugar. E assim vai: quando a terceira pessoa chega, se junta aos outros dois, e assim sucessivamente. No episódio tudo começa em um guarda-roupa, que vai ficando cada vez mais cheio e apertado. É então que alguns segredos vêm à tona e revelações caem sobre as “sardinhas”. Já é neste belo piloto que Inside demonstra seu humor e suas abordagens obscuras.

Em seguida a coisa só melhora: o segundo episódio chama-se A Quiet Night In e traz dois sujeitos que tentam roubar um quadro de uma mansão. Os dois estão vestidos do jeito clássico: roupas pretas e máscara. O problema é que a casa não está vazia, e eles fazem de tudo para roubar sem chamar atenção. O grande barato é que o episódio não tem falas, remetendo às antigas comédias mudas de antigamente. O humor físico é ótimo e o desenrolar da trama é sensacional. O episódio é uma das primeiras provas de que Inside No. 9 está disposta a tudo para inovar e criar histórias envolventes e criativas.

As ideias malucas continuam: em Last Gasp uma família fica famosa ao guardar um balão contendo o último suspiro de um artista famoso que morreu o enchendo. Em The Harrowing uma jovem é contratada para cuidar de um enfermo membro de uma estranha família, tornando este um dos mais assustadores capítulos da primeira temporada. Já no segundo ano as ideias ficam ainda mais mirabolantes: em La Couchette, um grupo de estranhos tenta dormir em um cômodo de um trem em movimento, mas não demora para que a noite fique inquieta, estranha e com final surpreendente. Em The 12 Days of Christine, um dos melhores da série, acompanhamos a jovem Christine em momentos chave de sua vida, saltando no tempo num estranho mosaico de acontecimentos. Em Cold Comfort, Andy começa a trabalhar em um serviço de autoajuda por telefone; em outras palavras, pessoas carentes ligam para o call center e Andy às atende com palavras de conforto. Tudo vai relativamente bem até uma estranha ligação acontecer. E para encerrar temos Seance Time, uma mistura legítima de humor negro e bons sustos. Mais informações sobre o episódio podem estragar a experiência.

A terceira temporada de Inside No. 9 começou a ser filmada no início deste ano, e já deve estar pronta. A data do retorno, contudo, ainda não foi confirmada pela BBC. Estima-se que os novos episódios cheguem no segundo semestre de 2016, prontos pra fazer rir, tremer e pensar. Ainda tem dúvida se vai assistir? Não pense duas vezes e corra! São apenas 12 episódios de aproximadamente 20 minutos cada.

Nenhum comentário

Adicione o seu