Hipster em Série: Quarry – a melhor série da fall season (até agora)

quarry

Continua após publicidade

[spacer size = “20”]

Continua após a publicidade

O Cinemax é um dos canais mais bacanas. Se você não acredita, é porque não assistiu algumas produções da emissora. Mas não se preocupe, pois os projetos do canal costuma ficar fora do radar. Você as escuta nas rodas de conversa, vê algo na internet, mas raramente para para assistir. Só por ter lançado Banshee e The Knick, o Cinemax já merecia um espaço de respeito dentre as grandes plataformas televisivas. A primeira é um dos melhores exemplares da ação que a TV produziu nas últimas décadas. A segunda, ambientada em um hospital no início do século passado, é um dos melhores dramas da nova Era de Ouro da TV. Sem exageros.

Continua após publicidade

Por que, então, os programas do canal não são sucesso de público? Vários fatores determinam isso, mas algo é claro: o Cinemax ainda é um canal pequeno. Por ser fechado, não tem a mesma abrangência de monstros como ABC ou CBS. Se comparado à parceira HBO, perde na audiência e por produzir conteúdo original há pouco tempo. Se seguir no bom caminho, pode se tornar uma nova AMC, que começou pequena e hoje é um dos grandes canais de produção original televisiva. Por que comento isso? Simples: Quarry, nova série do canal, é mais um lançamento fantástico do canal e ninguém está falando sobre ela.

Quarry é, de longe, a melhor estreia da fall season até agora. Digo mais: é uma das melhores séries do ano. Quarry alcançou em três episódios o que muitas séries levam uma temporada inteira para atingir. Os três primeiros capítulos são uma aula de como começar uma série. Depois de um piloto impecável, o show segue por uma estrada alucinante de boas escolhas. O terceiro episódio, por exemplo, tem a carga dramática de uma season finale, levando ação e drama à níveis consideráveis. Tudo amparado por dois elementos importantíssimos: a direção de Greg Yaitanes e a atuação de Logan Marshall-Green.

Continua após publicidade

Yaitanes é um dos melhores diretores da televisão atual. Vencedor do Emmy e responsável por episódios importantes de diversas séries, Yaitanes é um profissional completo, sendo ótimo na direção de atores e ainda melhor na construção de incríveis cenas de ação. Quem assistiu seus episódios em Banshee sabe que o sujeito é mestre em perseguições, tiroteios e brigas. Ele sabe como usar a câmera e, melhor, sabe como contar uma história. Em Quarry, o diretor tem a oportunidade de criar um universo inteiramente seu, já que dirige todos os oito episódios da primeira temporada. A abordagem já deu certo em The Knick, do mesmo canal, com Steven Soderbergh comandando todos os capítulos. Isso cria um elogiável equilíbrio na temporada como um todo.

Já Logan Marshall-Green tem o papel que merecia há muito tempo. Talentoso, o ator raramente tem o espaço e o papel certos. Em Quarry, Green tem a chance de brilhar. E ele não desperdiça. Cheio de memórias pesadas da guerra, seu personagem mergulha na bebida e nas mágoas para encontrar algum sentido. Logan é hábil, porém, ao não permitir que Mac se torne um sujeito apático ou distante, mesmo que raramente encontre felicidade em seu cotidiano. O fato é que Quarry é jogado de um problema a outro sem chance de respirar, e o ator abraça o desafio sem medo.

Créditos também devem ser dados à dupla que criou e escreve os episódios: Michael D. Fuller e Graham Gordy (do time de Rectify) tem um talento notável para desenvolver seus personagens sem perder o ritmo ou a noção de toda a história. É realmente incrível quando um roteirista consegue dominar todos os núcleos e desenvolver todos os personagens dessa forma, algo que poucos conseguem. Uma das várias provas é Buddy, personagem de Damon Herriman. Coadjuvante, ele poderia ser relegado a segundo planos, mas a dupla sabe o que fazer para inserir mais camadas ao desenvolvimento do papel, enriquecendo a trama e toda a mitologia da série.

Com tudo isso, só falta você correr e dar uma chance não só a Quarry, mas a todo o catálogo do Cinemax. Todos saem ganhando.

Gaúcho, estudante de jornalismo e viciado em séries. Tem séries pra assistir de mais e tempo de menos. Séries favoritas? Six Feet Under e Breaking Bad.