Hipster em Série: Warehouse 13

warehouse_13_wallpaper_logo

 

Voltamos com a coluna mais hipster do Mix de Séries. Mais uma vez, com uma série maravilhosa porém desconhecida por aqui. Antes de começar vamos esclarecer: o texto sobre A Young Doctor’s Notebook foi maravilhosamente escrito pelo Douglas Couto, que gentilmente cobriu a coluna em minha ausência. Se você ainda não conferiu, dê um pulo lá e se apaixone por esta série.

Mas vamos ao que interessa! Hoje vai ao ar a series finale de uma das minhas séries hipsters favoritas de todo o espaço-tempo (ahn, sacou a referência Who? Não? Ok! Deixa para lá… ). Warehouse 13 foi criada por Jane Espenson (Battlestar Galactica /Buffy) e foi ao ar pela primeira vez em 7 de julho de 2009, pelo canal Syfy. Quem acompanha alguma das séries do canal sabe que eles adoram inovar e criar umas coisas absurdas para seus respectivos programas.

Warehouse 13 não foge da regra e gira em torno de uma instalação secreta do governo que serve para caçar artefatos que podem afetar a vida das pessoas que o possuem. A pergunta que todos me fazem é “Por quais razões eu devo ver isso?”

Eu sempre respondo essa pergunta explicando que ela é um ótimo passatempo (P-A-S-S-A-T-E-M-P-O. Não exija tanto da série tá?), com pitadas de comédia e tendo seus momentos de drama e tensão.

A série demora alguns episódios para entrar nos eixos. O piloto duplo chega a ser exaustivo, mas serve para conhecermos bem os personagens e suas características. No inicio do piloto, conhecemos Myka Bering, interpretada por Joanne Kelly (Hostages) e Peter Lattimer, interpretado pelo ator Eddie McClintock (Castle), responsáveis pela proteção do presidente em uma exposição de arte. Tempos depois, Peter dá de cara com Artie, um agente do Warehouse que está “capturando” – tipo pokémons saca? Não? Ok! – um artefato perigoso que está colocando a vida do presidente em perigo. O primeiro artefato da série nada mais é que uma cabeça asteca que quando entra em contato com sangue humano faz o cidadão “manjar dos paranauês dos assassinatos”.

Esse é um dos atrativos da série: pegar coisas absurdas e transformá-las em algo leve e engraçado. Outro atrativo são as personalidades singulares dos personagens principais. Myka é do tipo focada nas missões, é ótima com livros de historias, arte e todo tipo de informação que possa ser encontrado em livros. Já Peter é um adolescente nerd preso no corpo de um homem; gosta de filmes, videogames e ícones da cultura pop – o que normalmente deixa Myka perdida. Pete sempre que sai em missão fala em comida ou sempre toca em algo que não deve.  Myka e Artie passam a maior parte do tempo dizendo para ele não tocar nas coisas, como se ele  fosse uma criança.

Artie,  é um ex-agente da NSA  responsável pelo Warehouse e em designar as missões aos agentes;  conhece praticamente a historia de todos os artefatos, é uma figura paterna para Claudia Donovan – que para mim é e sempre será a melhor personagem da série -, uma hacker de vinte e poucos anos, inventora, e multi-instrumentista, interpretada divinamente pela Allison Scagliotti (Drake & Josh). Claudia tem aquela coisa recém-saída da adolescência, uma energia, um ar irônico e é mestre na arte da zueragem.

Na segunda temporada, a personagem passa praticamente o dia inteiro trancada fazendo inventário. Com a chegada de Steve Jinks, interpretado pelo Aaron Ashmore (Smallville) – não confunda com o  irmão dele, Shawn, que é quem faz The Following / X-Men  -, ela ganha um melhor amigo e parceiro. Jinks é gay e a série trata isso com naturalidade e sem estereótipos. Ele tem o dom de saber quando as pessoas mentem. A dupla vive brigando e discutindo, como irmãos.

 


 

Dentre os demais personagens recorrentes na série temos a Irene Frederic, uma espécie de zeladora do Warehouse. A característica mais marcante da personagem é aparecer e desaparecer de repente em meio a uma conversa. Ela é o contato direto de Artie para o Regentes – o conselho que determina as regras que os agentes devem seguir para continuar a trabalhar no Warehouse. Como zeladora, existe algum tipo de ligação mental entre ela e a instalação, com isso tem um inventário mental de todos os artefatos. Com essa conexão ela consegue sentir quando algo está errado. Temos também a Lenna, dona de uma pousada onde os agentes do Warehouse vivem. A personagem tem o dom de ler auras e a força vital das pessoas. Existe um passado entre ela e Mrs. Frederic que nunca chegou a ser explicado na série. E pra terminar essa listinha de personagens recorrentes, temos o H.G. Wells, o qual entra naquele quesito que falei lá em cima, inovação feat absurdo, que faz sentido na trama. Quando se fala em H.G. Wells, você automaticamente lembra do escritor inglês de ficção científica, certo? Mas quando se trata da Syfy e de Warehouse 13 vamos mudar a coisa um pouco (pouquinho, quase nada, tipo só sexo do moço, né?). H.G. Wells é, na verdade, Helena G. Wells (Jaime Murray/Defiance), que emprestou suas histórias e seu nome ao irmão Charles porque a sociedade de sua época não aceitava que mulheres tivessem destaque. Ela é inventora, escritora, bissexual…  A tensão sexual entre ela e Myka é evidente. Assim nasceu um dos ships mais difíceis da minha vida: Bering & Wells (hashtag sofrida)

 


Os Artefatos, os gadgets e o Warehouse em si são personagens à parte, e irei citar alguns que considero realmente geniais. Para que o texto não fique muito grande (chefe, não me mata, por favor!!!), um dos artefatos que gosto muito é o “Espelho de Lewis Carroll”. Dentro dele vive um entidade maligna chamada Alice, que pode possuir corpos de outras pessoas e aprisionar a sua mente no espelho. Olha o absurdo aqui de novo! hahaOs gadgets que eu amo são os que Pete, Myka e Claudia mais usam, como o Tesla,  uma arma de choque inventado por Nicholas Tesla, com modificações da Helena, para que os Agentes não precisassem matar durante as capturas.

 

images-tile

Então, pessoal, depois dessa bíblia que eu escrevi sobre Warehouse 13, o mínimo que vocês podem fazer é ver a série, né? Ai ai, eu tô tentando tirar as minhas séries do mundo hipster, manaumtafassiobrazel.

Vem comentar comigo depois. Como eu disse, a série é um ótimo passatempo.

Se você ja viu ou tem alguma duvida sobre a Warehouse 13 deixe nos comentários.
Até a próxima!

 

 

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.

No comments

Add yours