Hipster em Série: Scott & Bailey

161378051_640

Continua após publicidade

 

Continua após a publicidade

Quando o  Oliver Queen do MixGroup veio até mim e falou “Hey Mary, você quer uma coluna para falar daquelas séries que só você vê?” Eu me senti ofendida por um momento, mas de depois de um tempo decid, “por que não né?” Com a coluna Hipster em Série pretendo recomendar algumas séries  que não são tão conhecidas assim. Pelo menos, não para maioria dos seriadores (por quase ninguém na verdade Ç.Ç).

Continua após publicidade

Dando uma peneirada no meu perfil do Banco de Séries, fui ver quantas pessoas viam Scott & Bailey, e descobri que eu vejo uma serie que SOMENTE OUTRAS VINTE TRÊS PESSOAS NO BS ASSISTEM (COMO EU CONSIGO achar serie tão WHO assim eu não sei!!!). E beijos para vocês que assistem a serie! Vocês moram no meu coração! <3
Eu venho por meio deste, fazer um apelo a vocês: Não quer assistir? Ok, mas coloca na grade, só para serie ter um pouco de dignidade pelo amor(mas juro que a serie é boa! ASSISTAM!!!) e sim, estou mendigando assistidores para serie mesmo!

meme

Continua após publicidade

Suranne Jones (para os whovians ELA É A SEXY!!! *_*)  e  Sally Lindsay estavam em um bar, quando tiveram a idéia para serie. Conversavam sobre como não havia tantos papeis femininos que fugiam de esposa, mãe e dona de casa e como elas queriam algo diferente na TV. Queriam um show que focaria mais na vida profissional das mulheres, contataram a roteirista  Sally Wainwright, com quem Jones havia trabalhado na minissérie  Unforgiven(uma  ótima minissérie para quem gosta de suspense e drama #dicadagriz) que trabalhou melhor na Idéia das duas. E em 29 de maio de 2011 iria ao ar o primeiro episódio de Scott & Bailey. A serie tem um formato procedural, que ao meu ponto de vista não dura  tanto, já que há  arcos centrais que carregam a temporada – que  conta a vida de Janet Scott (Lesley Sharp) e Rachel Bailey (Jones), duas detetives da Divisão de Crimes Graves da Policia de Manchester.

Bailey  é a personagem mais FU#&[email protected] que eu conheço. (Lembram que os fãs de Fringe diziam isso sobre a Liv? É por que nunca viram essa serie! Então assistam, hehehe) No trabalho ela é extremamente detalhista, consegue solucionar casos com muita facilidade. Janet até a apelidada  de Sherlock de tão perfeccionista que ela é. Já  na vida pessoal ela é um desastre, é praticamente alcoólatra que se envolve sempre com os homens errados. Existe um detalhe de auto sabotagem da personagem, quando finalmente achamos que já deu, tudo vira de cabeça para baixo na vida dela. Eu gosto muito da personagem da Bailey, mas confesso que chega a uma certa altura que  essa coisa de [email protected] L0K4 que ela insiste em ter, irrita um pouco.

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

Scott é mais diplomática, já com um cargo superior,  é casada e tem duas filhas adolescentes, leva um casamento desgastado e tem um affair com um de seus colegas de trabalho. Ela  também não é perfeita, afinal ninguém é. Mas ela consegue fazer a mediação entre Bailey e a Chefe do departamento Gil Murray (Amelia Bullmore). Devo dar um destaque mais do que merecido para a personagem, que é praticamente  uma terceira protagonista. Sempre  firme ( ok, nem sempre né!? Se não  a Bailey não passaria do piloto) conduz os trabalhos da delegacia muito bem, pouco do pessoal aparece na serie por enquanto. Sabemos que ela é divorciada, seu filho está noivo, e que ela como Janet e Bailey vive para trabalho. Espero que tenha episódios mais focados na vida de Murray, ela é uma personagem digna de ser explorada.

 

scott-and-bailey-series-3-episode-1

 

Os casos também são bem legais para quem gosta de serie do gênero.

Cada temporada tem um caso que se funde com as outras tramas da serie (Vou tentar falar um pouco sem dar spoiler, senão perde a graça!!),

Na primeira foi o assassinato de uma amiga de infância da Janet, que acaba de um jeito até que previsível, eu sinceramente não gostei tanto, se comparada com as outras. Mas suponho que a serie ainda estava se encontrando. E eu garanto que acertou nas temporadas seguintes.

O da segunda temporada envolve assassinato e drama, drama, drama e mais um pouco de drama. Onde Rachel é envolvida,  e tem que provar que não foi ela. Final também é bem  elaborado e surpreendente. Principalmente os motivos que levaram ao crime. Achei uma critica sutil ao problema envolvido.

O caso da terceira temporada tem direito a pedofilia, restos de corpos no porão, sequestro, suicídio e muito mais. Para mim foi o caso mais bem elaborado da serie, que se funde com a vida pessoal de Rachel que esta desmoronando, e os dilemas de Janet.

Então galera, essa foi a estreia da coluna Hipster em Serie.  Eu espero de coração que tenham gostado  e que eu tenha colocado no coração de vocês a sementinha hipster. A gente se vê por ai. Siga, comente e divulgue os links do site. Até a próxima!