House of Cards – 4×12 – Chapter 51

houseofcardschapter51

Imagem: Arquivo pessoal/Matheus Pereira

Continua após as recomendações

 

Uma das primeiras cenas do episódio doze já nos traz um dos momentos mais esperados da temporada: o debate entre Underwood e Conway. Para melhorar, o debate ainda contou com a presença dos vice-presidentes, o que significa que Claire estava lá, amparando Francis. É uma pena, portanto, que a sequência tenha sido tão rápida, mas ainda assim valeu para vermos os principais personagens desta corrida em ação.

Continua após a publicidade

Em uma das reviews passadas, comentei que a quarta temporada estava decidida a trazer de volta diversas tramas e personagens de anos anteriores. Neste penúltimo episódio, os retornos continuam. Desta vez, quem dá as caras é o ex-presidente Walker, que é procurado por Hammerschmidt para dar declarações para a matéria bombástica contra os Underwood. Conta tanta gente voltando, se eu não soubesse que a série fora renovada, diria que esta seria o último ano de House of Cards.

Quem está de volta também é o humor. Como comentei anteriormente, a quarta temporada parece bem mais humorada que as anteriores. As piadas geralmente vêm de Frank quebrando a quarta parede e falando com o público. Desta vez, a piada veio quando Conway afirmou ter entrado no Salão Oval quando criança, em um encontro com o presidente Reagan. Ao olhar para câmera, Frank apenas diz “Claro”, revelando a ironia de Conway ter se encontrado com um republicano inveterado.

House of Cards, aliás, tem investido em comentários políticos bem humorados com bastante frequência, fazendo referências ao histórico democrata e republicano sem receio. A série ainda brinca com as próprias convicções da audiência. Por mais que você simpatize com o partido democrata, Frank é tão inescrupuloso que quase torcemos pelo carismático Conway. Mas no universo da série, assim como no nosso, não existe político bonzinho.

Quanto à questão das negociações para libertação dos reféns, preciso dizer que gosto muito do que está acontecendo. A tensão está bem construída e as cenas são ótimas. Além disso, todo o caso tem acelerado o processo de disputa entre Will e Frank, o que é bom para anteciparmos as próximas etapas da corrida. Ainda assim, acredito que, nesta altura do campeonato, toda essa história envolvendo reféns e terroristas acaba soado anticlimática, atrasando eventuais encerramentos. Pode ser que tudo seja uma ferramenta de mudar todo o cenário, o que é bem provável, e fecharia a temporada de forma impecável.

Esperemos.

Nenhum comentário

Adicione o seu