How to Get Away With Murder – 1×10 – Hello Raskolnikov

HTGAWM

 

“You call it crazy, I call it winning”

Após dois meses – que mais pareceram dois anos -, estamos aqui com o retorno de How to Get Away With Murder. A série volta do hiatus com a difícil tarefa de manter o nível altíssimo dos nove episódios anteriores, desenvolvendo os dois assassinatos nos quais a trama está sustentada. E o que vemos em “Hello Raskolnikov” só fortalece nossas expectativas positivas em relação a essa série fantástica.

Muitos se perguntam como os roteiristas conseguirão dar continuidade à história se a própria é tão restrita, já que no nono episódio ficou esclarecido quem assassinou Sam Keating. Podemos pensar que a série não tem muito mais para onde correr, mas muitos outros mistérios precisam ser desvendados, e o que esse décimo episódio nos mostrou foi a capacidade dos autores em amarrar a história e criar novos plots que só veem a acrescentar no enredo.

Sem mais delongas, vamos ao episódio. Neste, vemos as consequências da noite do crime que matou Sam Keating. Nos é mostrado como cada personagem se comporta frente ao perigo iminente de serem descobertos. O episódio funciona bem nesse ponto, pois percebemos as fraquezas de cada um de nossos Five Keating.

HTGAWMLogo de cara notamos que Connor e Michaela querem se livrar da culpa e confessar à polícia toda a verdade que aconteceu na noite da fogueira. Eles avaliam não possuírem culpa alguma no crime por não estarem diretamente envolvidos na morte de Sam. Admiro eles, estudantes de direito, pensarem dessa forma. Alguém irá abrir seus olhos perante à gravidade da ação, mas isso é o que veremos daqui a pouco.

Enquanto nossos aspirantes a advogados dão depoimentos aos detetives sobre a noite do crime, eles inventam histórias para sustentarem e livrarem qualquer um deles de alguma suspeita que os liguem ao assassinato. Mas vemos um potencial fator que pode estragar todo esse disfarce: Asher Millstone. Por não ter ideia do que aconteceu, Asher apenas diz os detalhes do que ele fez naquela noite, o que não favorece os nossos murders. Quando questionado sobre o porquê dele estar na casa da Annalise naquele dia, ele revela um por menor que pode ligar todos os outros ao crime: Millstone fala que, por mais que ele tenha batido na porta  querendo entrar para pegar o troféu, ninguém o atendeu. Fato estranho, diz ele, pois o carro de Connor estava estacionado no local. Será que os detetives usarão essa informação para ir mais afundo na investigação? Vamos esperar para ver.

How to Get Away possui muitos fatores que agradam seus fãs, mas certamente um deles é o fato da Annalise estar por trás de tudo. Quando Connor e Michaela resolvem contar com a ajuda de Laurel para confessar toda a verdade, Laurel pensa com a razão –  e não com a emoção, como a nossa duplinha dinâmica nos mostrou durante o episódio – e revela a Wes a intenção dos dois. Wes, sabendo que não conseguirá persuadi-los ao contrário, pede encarecidamente a Keating que os detenham. Desse jeito, Michaela e Connor ficam sabendo que Annalise sabe de tudo e resolvem permanecer de bico fechado.

O décimo episódio consegue fortalecer ainda mais a imagem de manipuladora da Annalise, onde a vemos moldar totalmente o assassinato ao seu favor. Em seu depoimento à polícia, ela se comporta de forma emotiva como se fosse uma mulher indefesa que descobriu ter um marido infiel. Fora todos os álibis que ela criou perfeitamente que continuam a colocando fora da mira das suspeitas. Além disso tudo, Annalise ainda prossegue com suas aulas, e inclusive dá um exemplo de crime bem parecido com o que seus alunos estão envolvidos, fazendo-os perceber que todos ali possuem culpa no cartório, mesmo os que não mataram Sam. Ou seja, nossa professora de penal faz de seus alunos verdadeiras marionetes e eles se quer percebem tal feitio.

Enfim Keating consegue de forma brilhante inocentar Rebecca do assassinato de Lila, mistério que ainda não foi resolvido. E como cena final vemos que a irmã do Sam está na cidade, o que pode causar vários problemas aos nossos criminosos. Agora é esperar o que os últimos cinco episódios dessa temporada tem a nos oferecer. Alguém duvida que ainda vem muita coisa boa por aí? Só nos resta esperar.

Izabella Viana

Izabella Viana

Enfermeira, viciada em séries, apaixonada por livros e que tem como melhor amiga a menina Netflix. Daquelas que trocam uma noite de balada pelo conforto de sua casa assistindo a um bom seriado. Do coração: Friends, Dexter, Breaking Bad e Grey's Anatomy.

8 comments

Add yours
  1. Anderson Narciso
    Anderson Narciso 1 fevereiro, 2015 at 13:03 Responder

    Esse episódio foi muito bom. Mas assim, estou com medo do prazo de validade da história.
    Ela não pode se estender muito, para não virar enrolação.

    Mas só acho que por falar em enrolação, quem está enrolada é a Annalise. Só quero ver o que ela vai fazer pra inocentar esses garotos hahahaha

    • Izabella Viana
      Izabella Viana 1 fevereiro, 2015 at 13:47 Responder

      Também acho isso, Narciso!! A história é muito limitada em si. Claro que os roteiristas estão fazendo um ótimo trabalho, mas esse é um tipo de série que não pode se prolongar muito.
      E o cerco tá se fechando pra Annalise, tá bem ferradinha ela hahahaha

    • Izabella Viana
      Izabella Viana 2 fevereiro, 2015 at 08:50 Responder

      Também acho!!! Depois devem revelar alguma coisa, porque não é possível a Rebecca não ter culpa em nada. E sobre a Annalise: agora tenho grandes suspeitas de que foi ela que matou a Lila.

  2. Eduardo Nogueira
    Eduardo Nogueira 1 fevereiro, 2015 at 17:25 Responder

    Que episódio meu Deus. Palmas e mais palmas. Tudo tão perfeito, Viola numa atuação impecável. E aquele final? Estou no chão até agora gente.

    Até o momento das séries que vejo foi a que teve o melhor retorno na mid.

    • Izabella Viana
      Izabella Viana 2 fevereiro, 2015 at 08:53 Responder

      Concordo, Edu! A Viola tá demais, em cinco minutos de episódio e ela já tava me surpreendendo. E esse final aí vai ter muito pano pra manga ainda.

  3. Avatar
    flybutterfly 2 fevereiro, 2015 at 21:39 Responder

    Adorei o retorno da série e o episódio foi perfeito assim como todos os atores e especialmente Viola que dá um show de interpretação. Um absurdo ela não ter levado todos os prêmios possíveis de atuação este ano. Viola Davis, Vera Farmiga e Eva Farmiga são as rainhas da TV no momento.

    • Izabella Viana
      Izabella Viana 3 fevereiro, 2015 at 20:59 Responder

      Como pode aquela mulher não ter ganhado o Globo de ouro? Não me conformo até agora, mas pelo menos ela foi premiada no SAG Awards.

Post a new comment