How to Get Away With Murder – 1×13 – Mama's Here Now

HTGAWM

Foto: Banco de Séries

 

“Sometimes you gotta do what you gotta do – even if what you got is a long match and a very flammable hooch” – AWESOME, Ophelia Fucking.

Tal mãe, tal filha. É isso que define o episódio da semana. Nele conhecemos Ophelia, a graciosa mãe de Annalise. As expectativas foram altas para seu surgimento na série, e não ficamos decepcionados. Me arrisco em dizer que a entrada de Ophelia foi uma das coisas mais fantásticas que Murder fez até hoje. Digo isso pois sua participação não foi apenas para encher linguiça, com ela descobrimos fatos importantíssimos do passado de Annalise, o que explica em muito a pessoa que ela é hoje em dia.

Continua após a publicidade

Em “Mama’s Here Now”, Ophelia já chega causando. Sua personagem veio com vários quotes sensacionais, fazendo-nos perceber que ela é uma senhorinha que não está aqui para brincadeira. Com a chegada de Ophelia, surge também o passado obscuro de Annalise. Descobrimos que nossa professora foi abusada sexualmente por seu tio quando criança. Annalise acusa a mãe de nunca ter dado a devida importância ao ocorrido. É então que ela nos revela as consequências dos terríveis atos do tio Clyde. Ophelia diz que ele era um bêbado incorrigível. Em uma noite, quando ele estava praticamente afogado em sua própria embriaguez dormindo no sofá, Ophelia retira os filhos de casa e nos revela, nas entrelinhas, que incendiou a casa com o tio Clyde dentro. No desfecho da cena Annalise segura forte a mão de sua mãe e é aí que vemos que genialidade vem da genética. Ophelia e Annalise – ou seria Anna Mae? – deem as mãos e conquistem o mundo com a sagacidade de vocês.

HTGAWM

Foto: Banco de Séries

Em paralelo a isso, vemos Bonnie assumir os casos, pois Annalise se encontra impossibilitada de fazer qualquer coisa no momento. Era de se imaginar que Bonnie cometeria algum deslize, e até mesmo que fracassasse completamente, mas não é isso que vemos nesse episódio. Bonnie e os Keating Five precisam livrar da prisão uma enfermeira que está sendo acusada de estuprar um homem que foi paciente de seu hospital. Algo que parecia indefensável, muito mais por ser Bonnie a responsável por isso, foi totalmente contra o que esperávamos. Com ajuda dos alunos, Bonnie consegue juntar provas que dizem que o paciente na verdade armou todo o plano. Ele e o diretor do hospital tinham um caso, e o último sugeriu que o paciente inventasse a história do estupro, pois o dinheiro da indenização seria de bom grado para ele e para o hospital. Espertinhos, mas não à altura de Bonnie e de seus ajudantes.

Por fim, chegamos ao final do fantástico episódio. Wes suspeita que Rebbeca esteve mentindo para ele esse tempo todo, então resolve ir atrás de Rudy, o menino que morava em seu quarto antes dele se mudar. Com a ajuda de Laurel, Wes vai até o hospital psiquiátrico onde Rudy está internado em busca de respostas. Após conseguirem permissão para visitá-lo, Wes mostra uma foto de Rebbeca para o rapaz, que abalado mentalmente, diz apenas uma palavra: “Wet”. Molhado, o que teria Rebbeca a ver com algo molhado? É aí então que cai a ficha: o corpo de Lila fora encontrado na caixa d’água do prédio. Teria sido Rebbeca, no final das contas, a verdadeira assassina de Lila? E os mistérios não acabam por aí. Descobrimos que os arranhões existentes na parede do quarto do Wes existem também no quarto onde Rudy está internado. Sinto que estamos chegando perto de explicações de deixar qualquer um embasbacado.

Agora é esperar essa sensacional season finale de dois episódios, intitulada “The Night Lila Died/It’s all my fault”. Só esse título já deixa a gente louco roendo as unhas querendo saber o desfecho de todo esse mistério. Agora é só aguardar para ver.

Izabella Viana

Izabella Viana

Enfermeira, viciada em séries, apaixonada por livros e que tem como melhor amiga a menina Netflix. Daquelas que trocam uma noite de balada pelo conforto de sua casa assistindo a um bom seriado. Do coração: Friends, Dexter, Breaking Bad e Grey's Anatomy.

No comments

Add yours