How to Get Away with Murder – 2×15 – Anna Mae [SEASON FINALE]

390794

Imagem: Banco de Séries/Divulgação

Continua após as recomendações

 

Para compreendermos os eventos desta season finale, devemos ter uma visão ampla de toda a série e seus ideais. Por estarmos tão acostumados com aquela sensação de “o que vem depois?” durante os episódios, pudemos perceber uma ligeira fragilidade do episódio. Não vamos medir palavras, os eventos foram realmente fracos. Mas como na física, toda a visão de espaço depende de um referencial. O episódio anterior foi mais insano, mais dinâmico, mais mindbreaker… Por outro lado, tivemos uma dramatização maior neste fim, os produtores resolveram amarrar algumas pontas soltas, fechar um caso que estava com suspeitos óbvios, mostrar a fragilidade de muitos personagens perante as situações de seu cotidiano.

Continua após a publicidade

Anna Mae é novamente “the new girl in town“, e todos estão ansiosos para saber do caso Hapstall e como ela acabou baleada. Por mais que se estendesse por quase meia hora, foi divertido e dramático acompanhar esse miniplot. Através dele pudemos perceber que nossa advogada também é gente como a gente. Fã de Whitney e Michael, com parentes inconvenientes e munidos de indagações, com problemas familiares sérios. A relação com seu pai é bem evidente neste aspecto conturbado, assim como o fato de sua carreira distanciar Annalise do contato familiar, principalmente com a mãe.

390629

Imagem: Banco de Séries/Divulgação

Falar em Ophelia Harkness é falar de uma paixão pessoal televisiva. Impossível não adorar aquele poço de fofura e comédia, que é a mãe de nossa querida Anna Mae. E ela está mais do que certa em tentar o amor novamente, mulher de garra como é, acredito que não aceitaria mais uma covardia de seu ex-marido. Não podemos esquecer do momento em que ela soube do seu falecido neto e de toda a dinâmica das lembranças enterradas, que foi bem marcante. Acredito eu que tenha sido uma cena incrivelmente forte para as atrizes.

Saindo um pouco do âmbito familiar e voltando ao passado, fiquei completamente chocado com a ação de Frank. Já imaginava que todo aquele acidente teria sido orquestrado por alguém, mas não podia imaginar que Frank estaria relativamente envolvido nessa situação. Isto nos mostra um pouco da maturidade que o personagem ganhou nos anos que passou ao lado de Annalise, e até cria um certo entendimento sobre o caso de Lila. Nada que justificasse a morte da garota, mas  relação de Frank e Sam teve grande influencia em sua morte.

Os dez últimos minutos foram cruciais para que o episódio não deitasse sobre a monotonia. Annalise sempre nos surpreende com a maneira que resolve os casos, e desta vez não foi diferente. Caleb como culpado já era esperado, apesar de que Phillip sempre esteve na mira e por mim já estava como tiro certo. Eu até entendo o rapaz neste momento, incriminado pela morte dos tios e da mãe por tanto tempo, é nítido que ele se revoltasse. Catherine um sono eterno e totalmente confusa, se apaixonou pelo irmão e vai continuar presa injustamente, deviam é mandar ela pra um hospício depois de tanta coisa.

As mortes foram bem fracas. Caleb morreu apenas para fechar o caso Hapstall, só espero que eles não fiquem mais da metade da próxima temporada em busca do assassino. A morte de Mahooney também não foi lá essas coisas, mas nos deixa uma brecha grande para um outro plot. Momentos tensos de Laurel no apartamento de Frank, a trilha sonora ajudou muito na suspeita de que ele tivesse morrido. Mas, já que ele não estava lá, não seria um raciocínio tão louco pensar que ele pode ter sido o culpado pela morte do pai de Wes. Já que foi por causa dele que Frank passou anos se culpando pela morte do filho de Annalise.

Bom, sei que no mais o episódio pode ter sido fraco, mas a ideia de fechar pontas foi interessante. Não nos deixou um sentimento de curiosidade como fez na temporada passada, mas ainda assim estamos bem ansiosos para setembro. Foi bom decorrer estes três últimos episódios com vocês, e no segundo semestre nossa querida Izabella estará de volta, acompanhando e discutindo mais sobre essa tão louca e amada série chamada “Rautiu“. Abraços…

1 comentário

Adicione o seu
  1. Izabella Viana
    Izabella Viana 22 março, 2016 at 23:07 Responder

    Lucas, ótima resenha!!! E muito obrigada por ter segurado as pontas nesse tempo 😉
    Também achei que faltou muito nesse episódio.Fui com uma expectativa enorme e quebrei a cara.Todas as mortes foram fracas. Só serviu mesmo pra explicar algumas pontas soltas. E concordo quando você disse que não ficamos curiosos para a próxima temporada. Inclusive espero que eles não enrolem muito para desvendarem quem matou o Caleb e o pai do Wes.

Post a new comment