How To Get Away With Murder – 3×14/15 – He Made a Terrible Mistake/Wes [Season Finale]

Imagem: Banco de Séries

Melhor morrer do que ser preso…

Chegamos ao fim de mais uma jornada em How To Get Away With Murder. Todos os eventos aos quais estamos conectados desde setembro culminaram nessa incrível season finale dupla. Momentos esclarecedores que reafirmaram o quão a série ainda tem gás e sabe surpreender.

A primeira parte, “He Made a Terrible Mistake”, na verdade, foi para corrigir nossos erros de julgamentos, principalmente em relação à Connor e a Nate. Ambos chegaram a ser suspeitos mas, tudo passou a fazer sentido quando analisamos todo o cenário. O membro do Keating 4, talvez, tenha sido um dos mais afetados com toda essa história, até porque ele encontrou com Wes na noite da explosão e passou todos os últimos meses achando que tinha sido o culpado pela morte do rapaz. A cena entre Connor e Annalise foi incrível, mostrando que o ator Jack Falahee tem um grande potencial em tela. Não é qualquer um que consegue dividir tela com a, agora, ganhadora do Oscar, Viola Davis, e a cena foi carregada de emoção e desespero.

Apesar de no julgamento ainda levantarmos nossas suspeitas em relação à Atwood, até por ter sido ela a forjar a assinatura da Nate, nós deixamos passar algo que estava na nossa frente: Denver. Ele estava, o tempo todo, atrás de Annalise e não mediria esforços para derrubá-la. Mesmo que isso significasse passar por cima da vida de seu protegido. Os momentos finais deste episódio nos conduziram à apenas essa conclusão, principalmente por ele decidir manter Connor no cativeiro após o mesmo descobrir que era dele o telefone que ligara para Atwood, desencadeando todos os acontecimentos em relação ao sumiço do corpo de Wes.

Já a segunda parte veio para desmoronar tudo. E, quando eu digo eu tudo, é tudo mesmo. Até mesmo os Mahoney, que andavam patinando nessa salada de maionese, obtiveram uma iluminação, com uma revelação surpreendente: Wes não era filho de Wallace, mas sim de Charles (mal escalado por Wilson Bethel, que tem apenas 5 anos de diferença de Alfred Enoch, o interprete de Wes – algo que me incomodou, confesso!).

E entre o destaque para Oliver, que mostrou ser um excelente personagem ao ser o único a expressar abertamente sua preocupação com Connor e toda a resolução da trama principal, temos de destacar a ideia de culpar Wes pelas mortes de Sam e Rebecca, “apenas para salvar a todos”. OK, essa desculpa já está cansativa, e tudo o que acontece na série é, meramente, para isso. Mas também temos de concordar que nenhum ali é santo, nem menos o Wes – que bateu com o troféu na cabeça de Sam, lembram? Então, talvez o piti de Laurel tenha sido mesmo desnecessário e o que Annalise ressaltou talvez tenha sido verdade: está na hora dela crescer, na verdade não só ela, mas como todo o Keating 5 (ou 4) restante. Eles já estão na chuva há muito tempo, vão reclamar agora de estarem molhados?

Os momentos finais foram surpreendentes. Após todos conseguirem se livrar de Denver, com uma mensagem deixada pelo próprio Wes, o público foi surpreendido por dois plot twists que ninguém esperava: primeiro que o autor do assassinato, na verdade, não foram os Mahoney, muito menos alguns dos Keating 4 – mas sim, o pai de um deles: o de Laurel. Ele mandou Dominic, um amigo da família, para matar Wes. O motivo não ficou muito claro, mas pode soar superficial, se for apenas por conta do envolvimento de sua filha com Gibbs, ou pela gravidez que foi revelada em algum ponto. Não ficou claro. Mas a verdade, é que nem tivemos tempo de processar isso quando o segundo twist apareceu com Annalise dizendo uma frase curiosa: “ele era meu filho”, em relação à Wes. Primeiro, ela chegou a dizer que “ele era como o filho dela”, e depois completou essa frase. OK, todos os indícios mostram que isso não é possível, mas estamos tratando de Murder e, honestamente, tudo é possível. Até mesmo esse plot maluco. Claro, precisávamos de uma bomba para ficarmos remoendo, mas tudo faria sentido sentido, incluindo a forte reação de Annalise ao vê-lo morto. Mas foi por isso que ela sempre o protegeu, sempre o ajudou e o encobriu. De alguma forma, como disse, todos pensávamos que Annalise era mãe de Wes. E se ela realmente for? Nunca diga nunca.

Pois é, durmam com essa até setembro, quando How To Get Away With Murder retorna com sua quarta temporada. Apesar de ter uma segunda parte corrida e confusa – sem esclarecer muitos pontos, ou explicar melhor (tomando como exemplo a perseguição de Denver), pelo menos o ano 3 encerrou suas atividades de uma forma diferente, deixando pontas soltas, mas sem qualquer morte trágica. Parece que o show se expandirá de uma outra forma e, honestamente, mal podemos esperar por isso.

Share this post

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.