Law & Order SVU acerta mais uma vez no 23×12 com história forte

Em mais um episódio sólido, Law & Order: SVU surpreende com história forte e, principalmente, coerente.

Law & Order - SVU, Tommy Baker's Hardest Fight
Imagem: NBC / Divulgação
Continua após publicidade

Quando Law & Order SVU começa a oferecer uma sequência de episódios de boa qualidade, confesso que fico ansioso pelo que vem por aí. Normalmente, é uma questão de tempo pra série desandar e fazer besteira. Felizmente não foi o que aconteceu nesta semana.

Continua após publicidade

O roteiro novamente foi corajoso ao propor uma história interessante. Sem deixar de ser cuidadoso por tratar de temas como violência s*xual e a inclusão da comunidade LGBTQIAP+ em modalidades esportivas não tradicionais, como lutas.

Assim, em “Tommy Baker’s Hardest Fight”, vemos Amanda Rollins (Kelli Giddish) engajada com Joe Velasco (Octavio Pisano) em razão do grande retorno de Tommy Baker (Cole Doman) aos ringues. Ela conhece o lutador de Atlanta, quando moravam próximos e comungavam dos mesmos gostos. O problema é que tal luta logo vira um caso de polícia. O lutador aparece ensanguentado e com as calças abaixadas, sugerindo um crime s*xual. Então, a Unidade de Vítimas Especiais, evidentemente, é chamada.

Continua após publicidade
Continua após publicidade
Law & Order - SVU, Tommy Baker's Hardest Fight
Imagem: NBC / Divulgação

Progresso bem-vindo

Quem assistiu Heels sabe o quão importante essas lutas são para a cultura do interior. Ainda mais se estamos falando do Sul dos Estados Unidos, como é o caso da série do Starz. Sendo assim, acredito que o roteiro acertou na proposta. Amanda foi introduzida na trama de uma forma mais coerente. Sem interesses amorosos e invocando suas raízes sulistas. Está longe do ideal, mas é um progresso e certamente melhor do que nada.

A boa ideia de trazer o universo das artes marciais como pano de fundo fez com que o roteiro fosse um pouquinho além do molde tradicional. Evidenciar um lutador bem-sucedido, com raízes de um Sul outrora super conservador, pronto para assumir-se gay, e ainda fazer isso com muito orgulho, é ótimo de assistir. Mas o leitor pode argumentar que estamos em 2022 e isso deveria ser usual. Concordo. Contudo, ressalto que a TV aberta continua exercendo um papel fundamental de educar e informar milhões de pessoas.

Continua após publicidade
Law & Order - SVU, Tommy Baker's Hardest Fight
Imagem: NBC / Divulgação

Progresso bem-vindo, parte 2

Além disso, nos momentos derradeiros do episódio, entendemos, finalmente, o porquê do estilo turrão do chefe de polícia interino, Tommy McGrath. Admito que além de surpreso com a resolução, fiquei aliviado. Pensei que o roteiro apostaria numa preguiçosa trama de superior ditatorial com métodos não ortodoxos de liderança. Felizmente é algo mais leve. Não só mais tranquilo, como também dá a oportunidade para que o telespectador decida ter (ou não) empatia. A performance de Terry Serpico poderia ser melhor, é o que temos no momento.

Continua após publicidade

Enfim, Law & Order SVU entregou mais um episódio sólido, com uma boa história e uma boa resolução. Faço votos, do fundo do coração, que essa boa fase continue até a Season Finale. Lembro, por fim, que vamos demorar para retornar. Nossas resenhas e a série voltarão no final de fevereiro. Logo após as Olimpíadas de Inverno de Pequim, exibida nos Estados Unidos pela NBC. Portanto, se comportem e até lá!

Continua após publicidade

Nota: 4/5

Continua após publicidade
Meu nome é Bernardo Vieira, sou catarinense e tenho 24 anos. Sou bacharel em direito, jornalista e empreendedor digital. Escrevo no Mix de Séries desde janeiro de 2016. Sou responsável pelas colunas de audiência e Spoiler Alert, além de cuidar da editoria de premiações e participar da pauta de notícias. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.