Law & Order: True Crime – 1×04 – Episode 4

Imagem: Justin Lubin/NBC/Divulgação

Chegamos ao quarto episódio, metade da temporada portanto, com o roteiro investindo numa estratégia muito interessante para preparar o telespectador para os embates nos tribunais que estão por vir – empatia com os irmãos Menendez. É uma proposta interessante haja vista que é uma dos sentimentos mais puros do ser humano, mas mais difíceis de serem praticados em tempos de polarização e dificuldade em tentar entender opiniões adversas.

Imagem: Justin Lubin/NBC/Divulgação

Continua após a publicidade

Por mais conservador que o telespectador possa ser, aquele que acredita em Lei e Ordem em todos os casos, é improvável que olhe para uma vida de abusos que esses irmãos sofreram e não demonstrem o mínimo de empatia. É verdade que essa é a estratégia que Leslie Abrahamson usou no primeiro julgamento dos irmãos e eventualmente ganharia, mas é importante observar a maneira cuidadosa na qual o roteiro constrói essa sensibilidade ao conseguir andar pela linha tênue do clichê, do pieguismo e do sentimentalismo. A equipe de Dick Wolf não falha, Law & Order: True Crime demonstra isso.

Essa mudança de foco fez com que os atores que dão vida aos irmãos Menendez fossem testados, até porque são sequências muito dramáticas, muito pesadas e que requerem uma qualidade cênica que muitos novatos infelizmente não demonstram atualmente. Miles Gaston Villanueva e Gus Halper, Lyle e Erik respectivamente, impressionam e ainda mostram o porquê são as grades revelações da televisão em 2017. Tais cenas não são fáceis, tanto não consigo imaginar o grande trabalho que eles tiveram que fazer para interpretar jovens adultos abusados sexualmente pelos pais e figuras que ainda estão vivas, mas eles tiraram de letra, o que reforça o excelente diretor de elenco desta produção.

O elenco de coadjuvantes me preocupa um pouco já que não ganham muito destaque, tampouco boas sequências dramáticas, mas dentre os atores apáticos acredito que Julianne Nicholson (Jill Lansing) é que mais chama atenção por não deixar que a força da natureza chamada de Edie Falco sugue todo o brilho. Gosto da atenção que a troca de comando da Procuradoria do Distrito de Los Angeles teve, Ira Reiner por Gil Garcetti (pai do atual prefeito de Los Angeles), mas realmente espero que Mark Moses consiga mais espaço para trabalhar.

Mesmo que veja com apelativo e desnecessário o foco no final do episódio – “Eu acredito nos nossos clientes. Eu acredito no nosso caso” – pois traz essa maneira idealista de um advogado olhar para um caso difícil que rarament acontece na realidade, esse quarto episódio de True Crime segue a linha do anterior e me deixa com a expectativa nas alturas para os embates que estão por vir.

Avatar

Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

No comments

Add yours