Legends of Tomorrow – 1×11 – The Magnificent Eight

398692-620x350
Imagem: Banco de Séries

[spacer size = “20”]

Continua após publicidade

Em um momento desesperador para um episódio emocionante, Legends of Tomorrow nos apresenta um sono sem fim. Claro que tivemos pontos positivos nas cenas, o final foi bem instigante… Mas ainda assim, em uma reta final como esta, não podemos ter o luxo de um episódio mediano.

Continua após a publicidade

O velho oeste foi tão parado que me deu até sono. Claro que cenas épicas como a briga no bar ao som do piano e Snart atirando nos bandidos de cima do Saloon valeram a pena. Ainda assim, a insistência da história de Carter/Kendra/Ray ainda me aborrece. Cada episódio ela decide mais ficar com o A.T.O.M e cada episódio aparece com mais dúvidas. Nem Sara conseguiu deixar a jornada mais interessante…

Continua após publicidade

No meio da confusão somos apresentados a Jonah Hex e já me empolgo. Colocaram ele em um posição inicial de chefe da cidade, talvez um grande xerife ou um bandido sensacional. No fim, fui enganado mais uma vez… Jonah é um mero justiceiro, faz sua parte mas não se envolve. Isso me decepcionou um pouco, até mesmo porque o contexto dele no episódio não ajudou muito.

Surpreendentemente, Ray se tornou um dos mais interessantes do episódio. Sua paixão pelo Velho Oeste tomou diversas risadas e cenas interessantes do episódio. As referências também fizeram sua ponta e a lembrança ao apagador de memórias de MIB foi entendida com sucesso. Tivemos também a versão mini do grande escritor H.G Wells, que só existiu graças a cura de Stein.

Continua após publicidade

O balanço final foi negativo e isso não é admissível neste ponto. O final surpreendeu e não quero tomar grandes expectativas para não arrepender depois. A caçadora me parece uma personagem um tanto quanto curiosa e interessante, e as mini versões de nossos heróis vem pra complementar o que pode ser a salvação da série para a grande final.

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.