Legends of Tomorrow – 2×02 – The Justice Society of America

Fonte: Banco de Séries/Divulgação
Fonte: Banco de Séries/Divulgação
Imagem: Banco de Séries

 

Continua após publicidade

É curioso perceber a evolução da série durante este período de transição entre temporadas. Os episódios, por mais que não sejam sucesso, são muito bem produzidos e apresentados aos fãs. Todas as referências ao universo DC me fazem acreditar ainda mais no futuro promissor da série. Trazer a Sociedade da Justiça da América para esse plot inicial foi uma jogada incrível. Os heróis são curiosos e nostálgicos, trazendo um sentimento bacana para o episódio.

Continua após a publicidade

Manto Negro, Homem-Hora, Vixen, Stargirl, Comandante Aço e Dr. Meia Noite. Heróis dos quais eu cresci lendo e acompanhando nas animações da DC, e que agora posso apreciar de uma melhor forma em live-action. O plot da Sociedade da Justiça da América realmente deveria entrar nos planos futuros da CW para sua grade de super-heróis. Contudo, ainda há grandes e possíveis melhorias a serem feitas, principalmente quando abordamos o figurino e uniforme dos heróis citados acima.

Continua após publicidade

Mas depois sonhamos com planos futuros, hora de voltar à realidade. A perda de Rip foi uma grande tragédia para a equipe, mas já passou da hora de rever os conceitos e encontrar um novo substituto. A escolha de Sara como líder da equipe foi minuciosamente realizada para agradar aos fãs que tanto apreciam a personagem. De uns tempos para cá, a CW vem tomando certas decisões incrivelmente boas para sua grade de séries, e dentre elas, a melhor foi a valorização de super-heroínas dentro das histórias.

Sei que fatos passados me mostram o quanto o que vou dizer a seguir pode estragar completamente o rumo da série, mas é difícil não perceber. Um bom ship começa a partir de cenas não sexualmente tensas, mas com a sagacidade evidente. Claramente os produtores irão desenvolver um relacionamento entre Ray e Amaya, mas gostaria de abordar outra dupla incrivelmente boa.

Continua após publicidade
Fonte: Banco de Séries/Divulgação
Imagem: Banco de Séries

Durante toda a primeira temporada, os fãs pediram encarecidamente para que Sara e Snart se envolvessem de alguma forma. Sempre apoiei essa decisão, mas o aparecimento de Nate muda um pouco as coisas. Não sei se todos perceberam mas claramente há uma tensão entre nossa assassina e o historiador. Sara é uma personagem muito boa para ser odiada por causa de um casal. Espero que se as minhas suspeitas concretizarem, os produtores saibam trabalhar melhor essa questão romântica que sempre peca na séries da CW.

Realmente não vejo a hora de abordarem um pouco sobre a Legião do Mal nos episódios. O Flash reverso é um grande personagem, que foi muito bem abordado durante a primeira temporada do velocista, e retorna para LoT com ambições ainda maiores. Sua união com Damien Darhk ainda não me convenceu totalmente, mas espero que realizem um grande trabalho com essa parceria entre os vilões.

A questão da história em si não está totalmente perdida. A abordagem a Segunda Guerra Mundial tem seus defeitos, mas é interessante. Os novos personagens criaram uma dinâmica boa para os episódios. Enfim, há tudo para dar certo nesta temporada, basta que exista uma progressão entre os episódios e uma coerência deles com o plot dos personagens. Espero que você tenha gostado e estamos juntos aqui semana que vem para mais uma review.

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.