Legends of Tomorrow – 3×04 – Phone Home

Imagem: TV Time/Divulgação

Se a intenção é manter a qualidade, Legends of Tomorrow vem fazendo um trabalho estupendo nessa temporada. Sim, eu sei que nada é perfeito e que pontas soltas estão aí a todo momento para nos deixar confuso. Contudo, em matéria de qualidade, não podemos reclamar da série. Que episódio mais delicioso de assistir foi Phone Home. O passado de Ray Palmer sendo abordado de uma maneira tão simples e divertida, sem falar nas diversas menções honrosas a grandes clássicos da TV como E.T. e a indireta conexão à mais recente Stranger Things. Estamos vivendo em uma era boa da série, longe de episódios maçantes que demoram séculos para acabar.

Imagem: TV Time/Divulgação

Continua após a publicidade

E os novos ares só trazem melhorias para a série. O que foi essa protagonização de Zari? Em minha humilde opinião, a garota deu um show de atuação e foi pela chave para o desenvolver da trama. Ela tem um tom cômico bem sutil mas que se encaixa bem às loucuras de nossos outros personagens. Meu maior medo, já citado em reviews anteriores, pode se desfazer se sua relação com Ray for trabalhada com cautela. Já pudemos perceber alguns olhares durante o episódio e isso é interessante quando adicionado de forma natural.

Já que o episódio é dele, será sobre ele que falaremos. O que foi aquela criança interpretando o jovem Ray. O garoto conseguiu trazer toda e qualquer característica de nosso herói para sua versão pessoal. Aí como se não bastasse, colocam um bebê Dominador para deixar tudo ainda mais entrosado. Eu gosto de ver a preocupação que os diretores das séries DC vem tendo com efeitos gráficos. A imagem do bebê foi tão bem construída, que nos fez apegar à criaturinha. E mais uma vez devo frisar que surtei quando vi a cena do E.T sob o luar acontecendo, foi uma referência e tanto ao filme…

Mas nem só de alegrias vive uma série, e os planos para a saída de Victor Garber (Martin Stein) já estão em execução. Acredito muito no potencial do Jax como Nuclear e acho que ele tem todas as condições de seguir como herói sozinho. Contudo, o professor fará falta regularmente nos episódios, pois sabemos que clássicas cenas com Jax e Mick são pontos fortes na série. Estou curioso para ver o trabalho que será realizado sobre essa divisão, uma vez que já tivemos grandes problemas em Flash quando Ronnie morreu. Espero que eles tenham uma justificativa e solução lógica para essa divisão.

Na próxima semana teremos um Halloween digno com o retorno dos mortos-vivos. Nossos heróis resolverão grandes mistérios do passado vampiresco em Londres. Segue aí uma prévia do que vai acontecer. Aguardo vocês na próxima semana com mais uma review e não deixe de acompanhar as notícias e reviews das suas séries preferidas aqui no Mix. Abraços… 😀

Lucas Franco

Lucas Franco

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.

2 comments

Add yours
  1. Avatar
    Julia Ventura 22 janeiro, 2018 at 14:03 Responder

    Tava um pouco atrasada e tô colocando em dia essa semana, esse episódio foi muito bom!! O Ray não teve tanto desenvolvimento e fico muito feliz com um episódio sobre ele e assim, tão natural… Eu me apeguei demais e não nego que chorei horrores com o Ray kid, porque muito me senti assim quando criança… ah, que episódio ♥

Post a new comment