Love – 1×02 – Um Longo Dia

Imagem: arquivo pessoal.

Imagem: arquivo Pessoal/Fernanda Azevedo

Continua após as recomendações

 

Como eu disse na review do episódio passado, assistir a Love é realmente como ver um filme de comédia romântica. O segundo episódio foi divertido, mas totalmente esperado. A série é bem leve, crítica, e o estilo me lembra um pouco o filme Juno, pelo forma como o diálogo e a filmagem são conduzidos.

Continua após a publicidade

A química dos protagonistas ainda está em fase de teste, para mim. E é chocante ver o quanto eles são completamente diferentes. Enquanto Gus é muito regrado e certinho, Mickey é totalmente p$#%@ louca! Essa junção ficou divertida quando vimos Gus se libertar um pouco das amarras que colocou nele mesmo, ficando chapado no carro com ela. É bom que o rapaz viva um pouco fora dos padrões que ele vivia e achava correto enquanto estava com Natalie. E não por essa ser a reclamação de sua ex, mas para se conhecer melhor e saber se é assim mesmo que ele deseja ser.

Dois pontos que estou gostando muito em Love são as participações especiais de atores conhecidos e as referências cinematográficas (ainda mais pela série se passar em L.A.). A cena de Gus jogando os blu-rays pela janela do carro foi realmente divertida e bem identificável. Dos comentários sobre as produções ruins às revoltas com as histórias. Quem nunca pensou que fomos iludidos por esses filmes de amor que nos colocaram para assistir? A crítica do gênero ao próprio gênero me agradou pela ousadia e me lembrou Encantada, aquele filme da Disney que faz piada dos musicais sendo um musical. Gus, que já podemos perceber ser muito guiado por seu amor às produções audiovisuais, está vivendo o seu próprio filme sem perceber. Talvez, na vida, a gente critique tanto isso que também não perceba que as histórias de amor acontecem, sim, conosco… Só nós que não enxergamos. (Pixar: sim, Carros 2 foi uma porcaria.)

Com um dia como aquele, os dois terminaram se apegando um ao outro. Além de Gus pedir o telefone da moça, Mickey foi assistir ao filme que o rapaz indicou e, de quebra, ainda pegou o coelhinho da casa da ex do boy (se teve alguma referência aí, me expliquem porque eu não entendi). Também tivemos a ligação significativa do tapete. Afinal, a primeira compra que Gus fez para a casa dele com Natalie foi o tal tapete, que ele queria laranja, igual ao da Mickey.

Love está bonitinho. Ainda não está imperdível, mas como grande fã de comédia romântica, sei que o estilo demora a engrenar. Então, vamos assistir aos próximos episódios e ver como fica.

Nenhum comentário

Adicione o seu

Tags Love