Madam Secretary – 3×10 – The Race

Madam Secretary The Race MAIOR (1)

Imagem: Fan Girlish

Continua após as recomendações

 

Um dos pontos altos da presidência de Jimmy Carter foi em março de 1979 quando Israel e Egito assinaram um tratado de paz que reconhecia, dentre outras coisas, o direito do Estado Judeu de existir em paz. Infelizmente, ou não, tamanho acerto relacionado a política externa não deu ao então presidente sua reeleição em 1980. Madam Secretary inspirou-se em tal fato histórico para trazer o melhor episódio da terceira temporada e um dos mais bem escritos, interessantes, densos e importantes da sua jornada.

Continua após a publicidade

Madam Secretary The Race MENOR

Imagem: TV Fanatic

Seguindo os desdobramentos de Snap Back, Israel e Irão estão à beira de declarar guerra entre si e abreviar as chances de Dalton conquistar a reeleição na Câmara dos Deputados. Um lançou mísseis, o outro destruiu a base militar do inimigo e até mesmo o Ministro da Defesa foi sequestrado. Algo que parece difícil de acontecer na realidade, mas como estamos num ano que desafiou o senso comum e a obviedade, não me surpreenderia em nada se tamanha barbárie acontecesse na vida real.

Se o roteiro tivesse se dedicado a tratar apenas do conflito já estaria satisfeito, bem porque, Finales pedem assuntos mais contundentes, inteligentes e inovadores. Felizmente, eles foram além. Aproveitaram para dar espaço a Zeljko Ivanek mostrar seu talento sólido como ator, visto que ele sempre participa das melhores cenas mas nunca é o responsável por torna-las memoráveis. Trataram do voto na Câmara dos Deputados como o imponderável que tem que ser, fazendo com que a Casa Branca pensasse até em divulgar documentos a respeito da saúde do seu oponente, bem ao estilo de Reagan vs. Mondale em 1984. 

Não entendi muito bem a intenção de introduzir um debate familiar inepto com os McCord, menos ainda por introduzir Henry no meio disso tudo. Tudo começa com uma decisão aparentemente equivocada em alistar-se nas forças armadas, mas que logo em seguida fala-se sobre depressão causada pelo desemprego que acaba sendo curada por uma corrida em prol dos veteranos de guerra. Madam Secretary certamente não é a série para se falar de doenças causadas pela globalização, falta de trabalho e dificuldades familiares, acredito que até mesmo Undercover Boss trataria do problema com mais propriedade.

Madam Secretary despede-se de 2016 mostrando o porquê têm que continuar existindo, reafirmando seu compromisso em não só fazer televisão de qualidade, mas também trazer roteiros inteligentes e capazes de levar a realidade do mundo diplomático (e doméstico) para as telinhas de uma maneira didática sem subestimar a inteligência do telespectador. Acredito também que as promessas para o mundo em 2017 mostram-se nebulosas, pedindo que a televisão traga ao mundo um pouquinho de temperança e estabilidade para que a audiência possa perceber que por pior que as coisas estejam, elas têm sim, solução.

Nenhum comentário

Adicione o seu