Madam Secretary – 3×21 – The Seventh Floor

Imagem: CBS/Divulgação

Continua após as recomendações

A cada episódio de Madam Secretary que assisto é sempre costumo ter muita empolgação e boa vontade, caso contrário nem estaria aqui. Entretanto, ao acompanhar a abertura de The Seventh Floor foi surpreendido com uma sequência sensacional, muito bem dirigida e protagonizada por Erich Bergen além de um apelo musical maravilhoso com Company, de Dean Jones do elenco de Company, do musical homônimo da Broadway.

Continua após a publicidade

Imagem: CBS/Divulgação

Com uma abertura sensacional e deliciosa, o roteiro também nos proporcionou um rasgo de sabedoria do que seria essa série caso os coadjuvante ganhassem mais atenção, visto que Elizabeth apareceu pela primeira vez quando o episódio estava com quase dez minutos. Blake, Jay, Nadine e Daisy têm um potencial enorme, como observamos aqui, basta que coloquem essa ideia em prática e observem o quão bom foi o resultado final.

Adorei a problemática diplomática que The Seventh Floor propôs. O roteiro conseguiu relacionar política doméstica, visto que tínhamos um deputado envolvido, com negociações difíceis com uma nação que não é tão parceira dos Estados Unidos. É verdade que no final do dia a China mostrou-se como o causador do problema, o que é praticamente uma regra, mas gostei muito de como construíram o clímax e, principalmente, como resolveram-no.

A maneira que resolveram lidar com a gravidez de Daisy me irritou profundamente. Primeiramente pela maneira horrorosa como a direção escolheu trabalhar os focos da câmera até que a gestação fosse realmente confirmada como parte da história. Deem uma olhada como que a produção de Desperate Housewives trabalhou a gravidez de Marcia Cross ou de Scandal com a de Kerry Washington.

Por um momento fiquei esperançoso que iriam trabalhar a questão do aborto e criar um arco para discutir o assunto em outro países. Todavia, eles rapidamente desviaram o foco. É verdade que a CBS é um canal público é mais conservador, mais velho e mais masculino, por isso observa-se a longevidade da franquia NCIS Blue Bloods, mas é de suma importância que haja maior atenção a esse tema e que seja trabalhado com naturalidade no horário nobre.

 

Nenhum comentário

Adicione o seu