Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D. – 4×11 – Wake Up

Imagem: Arquivo Pessoal/Richard Gonçalves

Imagem: Captura de Tela/Reprodução

Continua após as recomendações

Em suas idas e vindas, Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D. nunca falhou em entregar boas conclusões para as pontas soltas de seus arcos principais. Já estava mais do que na hora de descobrirmos exatamente quando May foi substituída pelo seu LMD, papel que “Wake Up” desempenhou maravilhosamente bem.

Não vou negar, fiquei surpreso que Radcliffe tivesse um protocolo pronto para o caso de possível desativação “forçada” (pela S.H.I.E.L.D.) de Aida. E pior, ele tinha um protocolo específico para May, o que significa que ele poderia muito bem ter substituído para Coulson ou até mesmo Fitz. E foi difícil ver a simulação que induziram ao subconsciente dela. May, num spa? Mais impossível do que toda a farsa sobre T.A.H.I.T.I. – de onde, por sinal, creio que Radcliffe tenha roubado a ideia de projeção de memórias.

Continua após a publicidade

Imagem: Captura de Tela/Reprodução

É claro, o episódio foi menos sobre a May original (mesmo tendo abordado o background e os problemas que ela está enfrentando) e mais sobre a falsa May e sobre os desenrolares da tomada de poder de Coulson na S.H.I.E.L.D., onde ele finalmente voltou a ser Diretor. Tivemos também que lidar com o mistério de quem seria o segundo LMD, e as sutilezas do texto fizeram o seu melhor para atirar desconfiança para todos os lados, até descobrirmos que a agência está mais comprometida do que nunca.

Infelizmente, tivemos também a ainda constante presença de Talbot, que continua a se esforçar para ser desagradável, isso para não falar das cenas de romance entre Mack e Yoyo, que não servem a propósito algum na trama. Na verdade, também não dá para negar que a série parece ter se perdido um pouco – mesmo tendo ficado claro, como de costume, que havia um propósito central para tudo – ao tentar conciliar a situação de May com desenvolvimentos de tramas paralelas e com todo esse ato de coitadinho que Mace está fazendo.

Mas, nesse meio tempo, a “diversão” do episódio ficou a critério da Senadora Nadeer, que não só frustrou o plano de Coulson – com consequências possivelmente devastadoras – como também conseguiu fazer Daisy, Coulson e toda a S.H.I.E.L.D. parecer criminosa. E não podemos esquecer de desenrolares como a situação com Fitz; foi uma jogada brilhante transformar a obsessão do rapaz em uma investigação, mesmo que isso tenha sido apresentado de maneira tão vaga na trama.

Como um todo, não dá para negar que a série parece adensar a cada dia mais os caminhos até a finale. May está perdida em memórias alteradas da Cavalaria, a falsa May tem instintos que a impedem de se admitir como falsa May e Radcliffe esteve trabalhando com a Senadora por todo esse tempo… as coisas só ficaram mais nebulosas para o nosso time. Resta aguardar o próximo episódio para tentar saber o que acontecerá em seguida. Afinal, conhecer a mente por trás da malvada Senadora, o famigerado “Superior”, promete ser uma aventura e tanto.

P.S.: Fazia tempo que Coulson não nos dava uma referência tão legal quanto esta a The Odd Couple.

 

Nenhum comentário

Adicione o seu