MasterChef Profissionais 2×07-08 – A Miserável

Imagem: Carlos Reinis/Band

Continua após as recomendações

Primeiramente eu gostaria de pedir desculpas aos nossos leitores assíduos pelo atraso na publicação da resenha da repescagem em virtude de alguns problemas nesse período, mas o que importa é que estamos de volta ainda mais afiados para comentar os acontecimentos das duas últimas semanas. Começamos pelo sétimo episódio, mais conhecido também como aquele que nos trouxe uma pseudo-repescagem, algo que nenhum reality show brasileiro jamais fizera durante sua exibição.

Mesmo acreditando que foi cedo e inoportuna uma repescagem neste momento, haja vista que soaria mais apropriada daqui a uma duas ou três semanas, o pior momento do episódio foi quando o telespectador percebeu que tal desafio era apenas uma etapa, isto é dividiria espaço e atenção com a prova de eliminação que viria em seguida. A ideia mostrou-se confusa, desnecessária, um tanto desajeitada e colocou em risco toda a evolução que a temporada vinha construindo até aqui, até porque o “vencedor” da repescagem sequer conquistou o direito de imunidade e teve que disputar o desafio de eliminação.

Continua após a publicidade

Imagem: Carlos Reinis/Band

Ainda temos muito o que assistir nessa temporada, mas a enorme falha de desenvolvimento dessa etapa certamente é uma mancha que o MasterChef: Profissionais não merecia. Dito isso, acredito estar claro que a eliminação foi tão ruim quanto a proposta de não dedicar um episódio completo para a repescagem. A redenção, felizmente, veio na semana seguinte com os cozinheiros profissionais incumbidos da tarefa de cozinhar para o elenco de um dos melhores musicais de todos os tempos, Les Miserables (ou Os Miseráveis para os não familiarizados), que inspirou o longa homônimo de Tom Hooper e vencedor de três prêmios Oscar em 2012.

Lubianca me representou durante a apresentação inicial, mas infelizmente o episódio não inspirou-se na peça como eu imaginava visto que o desafio era de “servir o elenco ressaltadas algumas restrições alimentares”. Nada de culinária francesa, muito menos algo muito elaborado do ponto de vista do mise en plas, expondo o enorme desperdício criativo da equipe. Dado o resultado, vimos Francisco aprendendo mais uma vez a lição de que confiança e experiência não são sinônimos de soberba e petulância.

Para a prova de eliminação do oitavo episódio, o programa finalmente acertou o tema selecionado – uma releitura ou reprodução de uma Torta Dobos, que de acordo com a própria Band, é um “doce húngaro que possui finas camadas de massa, intercaladas com creme de chocolate e um acabamento com caramelo fino, liso e crocante”. Parece difícil? É porque realmente foi um dos desafios mais complicados e elaborados até aqui. A competição ganhou com isso, os competidores também, mas o telespectador foi o principal vencedor por ter descoberto mais um grande prato da culinária internacional.

Quanto a eliminação? Acredito que ninguém ficou muito surpreso com o anúncio.

Por Bernardo Vieira

Nenhum comentário

Adicione o seu