Masterchef Profissionais Brasil – 1×08 – A Quebrada

MasterChef MAIOR

Imagem: Band

Aproximando-se cada vez mais da reta final, não é só a audiência do MasterChef Profissionais que está explodindo, mas também a tensão, a dificuldade das provas, os conflitos morais, o merchandising e a cobrança dos jurados. Tudo isso torna esse reality show um dos melhores programas no ar na televisão brasileira neste enfadonho final de ano e isso não é mérito só da Band, mas você, telespectador, que proporciona um espetáculo a parte nas redes sociais.

Com pouco número de participantes, a emissora esqueceu e diria que até desistiu de fazer provas em grupo e apelou para a clássica, e sempre excitante, desafio da caixa misteriosa, que de acordo com a própria Paolla, trazia ingredientes “obscenamente caros” para os profissionais prepararem. Entretanto, antes mesmo que o tema da primeira prova fosse revelado, a produção resolveu pôr um pouquinho de lenha na fogueira na tentativa de causar um pouco de discórdia – pediu para cada participantes que apontasse quem o ameaçava e quem ele via como o mais fraco.

Continua após a publicidade

Confesso que fiquei surpreso com o ponto de vista, visto que ao meu ver, o mais fraco de todos ali era Fádia enquanto Dário, o mais forte. De qualquer forma, começaram a cozinhar e podemos ver quem realmente daria conta e quem sentaria na graxa, parafraseado o sábio filósofo Fogaça, além é claro de expor a célebre arrogância de certos profissionais não merecem ter seu nome citado aqui. Prestar atenção nas técnicas, nas escolhas e nas pequenas explicações são um show a parte, principalmente se você consegue aprender alguma coisa. Mar de caviar? Tem como não gostar disso, minha gente?

MasterChef MENOR

Imagem: Band

Desafiando as expectativas, e o machismo, Dayse venceu uma das provas mais difíceis que o MasterChef fez até hoje e empurrou os outros quatros para disputar a última vaga no mezanino, antes da eliminatória, numa competição de pressão com uma receita trazida pelo chef Erick Jacquin. Mais um momento tenso de se assistir, principalmente Dário tentando fazer seu ovo pochê dar certo, sem contar com a degustação dos jurados e aquela cara do  – “Vinagre querinha, sério mesmo?”

Entre uma propaganda apelativa do The X Factor Brasil e outro comercial da Carrefour, o desafio de eliminação foi certeiro em me fazer querer comprar aquele Panetone com chocolate belga da Cacau Show. É um inferno que em todos os programas que esse Presidente apareça, como Hell’s Kitchen Brasil Bake Off Brasil, eu me veja seduzido a comprar o que ele oferece. Todavia, o que importa é que o desafio desta eliminatória foi, nada mais e nada menos, do que um suflê.

É sabido que sempre quando aparece um doce e/ou uma sobremesa, um desastre se anuncia. É impressionante saber que eles leram e se especializaram técnicas difíceis, complicadas, mas nunca se debruçaram sobre uma receita básica de como se fazer um suflê. Sem nenhuma surpresa, ninguém acertou o que foi pedido e sequer mostrou que sabia como se construir sua estrutura.

Não comentarei a eliminação de Fádia, mas direi que o discurso dado, principalmente no tocante à discriminação de gênero foi, no mínimo, esclarecedor e, ao mesmo tempo, revoltante. Queridos leitores, estamos em 2016 e a última vez que eu li, mulheres já votam desde 1932. É triste ver como funciona realmente uma cozinha profissional.

Avatar

Team Mix Reality

#TeamReality no Mix de Séries é responsável pelos realities shows.

1 comment

Add yours

Post a new comment