Memórias em Série: Por Meerrliiinnn

A Fada Bela moldou minha personalidade!

Digo isso com muito orgulho e saudade daquele tempo que eu não tinha compromisso nenhum na vida. Quando eu estudava durante a tarde, e passava as manhãs vendo a novelinha da Angélica. Transmitida entre 1996 e 1998, o seriado infantil rapidamente ganhou muitos fãs, conquistando o público e trazendo sucesso imediato para Angélica, que acabava de chegar à Globo.

Imagem: Divulgação/Globo

A série contava a história de Bela (Angélica), uma menina que sofreu um acidente de carro ainda bebê, no qual seus pais morreram. Ela foi achada por duas fadas atrapalhadas: Margarida e Violeta, que a levaram para o Mundo Mágico, onde viviam todos os seres mágicos, e a criaram como se fosse uma fada com poderes mágicos. Quando Bela cresce as fadas decidem enviá-la para o mundo real. 

Continua após a publicidade

Para chegar ao tal mundo real, ela precisa passar por um portal que fica na agência Caça Talentos. Ela ultrapassa o tal portal, e começa a trabalhar na agência ao lado de Arthur Carneiro (Eduardo Galvão). Depois de um tempo Bela e Arthur se apaixonam, e o grande dilema da fadinha é beijar ou não seu amado. Segundo a lenda se ela beijar um ser do mundo real ela perde os poderes e se transforma em humana pra sempre, tendo feito não intencionalmente sua escolha.

A história principal era o amor impossível de Bela e Arthur, mas como uma boa série que Caça Talentos era, lógico que tínhamos ali coadjuvantes tão excelentes quanto os protagonistas, e que enchiam as nossas semanas (as tramas duravam apenas uma semana fechada) de histórias incríveis

Foi em Caça Talentos que Cláudia Rodrigues (A Diarista) começou a se destacar com a secretária Carina, que estava sempre aprontando com algum assistente de Bela – vividos por Eri Johnson e Luis Carlos Tourinho. Também foi aqui o primeiro trabalho de Ana Furtado como atriz, e para mim o melhor papel da carreira dela, como a atrapalhada Drica. Helena Fernandes também musou com a vilã Silvana. Ainda sinto saudade das tias fadas Margarida e Violeta, e da fadinha vilã Artemísia.

A série abusava dos efeitos especiais para os truques de Bela, e eles eram muito bem executados pra época. Com a audiência crescendo, os cenários foram melhorando, e a série ganhou uma parte do Projac para a produção. Outra coisa que me chamava muita atenção eram as roupas dos personagens. cada um tinha o seu estilo definido, e usava variações do mesmo. Eu era louca pelos lencinhos de Drica, os terninhos de Silvana, e os vestidos de Bela.

Conquistando em cheio um público que já estava saindo da tv para o computador, a série  de Angélica foi um excelente trabalho de roteiro e produção, que ganhou destaque na emissora, como prêmios, especiais de final de ano e shows realizados em todo o Brasil. Era difícil não amar a fada Bela. Ou não dizer “Por Merlin” cada vez que alguma coisa acontecia, foi o primeiro bordão da minha vida.

Outra vitória de Caça Talentos foi saber dosar um romance inocente e que nos colocava sempre na torcida. Até hoje shippo ArthurBella, e sinto saudade daquele casal que levou a importância de um beijo a patamares nunca vistos antes. Beijo esse que só rolou no final e meio mais ou menos, mas ok.

O Viva reprisou a série, e toda ela é possível encontrar no youtube. E se por acaso você ainda não viu Caça Talentos, corre. Uma das melhores e mais deliciosas produções brasileiras, e que está na minha listinha especial do coração de melhores séries do mundo.

E se mesmo assim todo o romance, inocência,, roteiro incrível, personagens maravilhosos e sucesso de crítica não te convencerem, veja a série então somente pelas inúmeras variações da expressão “Por Merlin”(como “Que Merlin”). Impossível ser menos genial.

Por fim o clipe que marcou o fim da série, já deu saudade:

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=Gnk4KW-IHAo[/youtube]

 

 

Letícia Bastos

Letícia Bastos

Publicitária, social media, mangaká e dançarina em protestos. Também sou apaixonada por séries e admito que novelas são meu Guilty Pleasure. Apaixonada por comédias cult/pop/nerd, ainda pretendo fundar uma seita para os Adoradores de Arrested Development. Aqui no Mix sou editora de Realitys Show e escrevo as reviews de todos os realitys do mundo, como Masterchef BR, The X Factor UK e BR, The Voice US, AUS e BR, BBB e RuPauls Drag Race.

6 comments

Add yours
  1. Avatar
    Paula Reis 28 novembro, 2014 at 14:58 Responder

    Ahhhh q fofo….q saudade! Adoro esta coluna Let… sempre com boas lembranças.
    Caça talentos tinha um lance de bater a mão na testa e falar “bate” quando não queria que algo acontecesse…. não tinha algo assim ou estou ficando louca?! Hahahaha

  2. Avatar
    Paula Reis 28 novembro, 2014 at 14:58 Responder

    Ahhhh q fofo….q saudade! Adoro esta coluna Let… sempre com boas lembranças.
    Caça talentos tinha um lance de bater a mão na testa e falar “bate” quando não queria que algo acontecesse…. não tinha algo assim ou estou ficando louca?! Hahahaha

Post a new comment