Mix de Opiniões: a estreia de AHS: Hotel

American Horror Story Hotel

American Horror Story Hotel

Continua após as recomendações

American Horror Story está de volta com mais uma temporada de terror e mistério, desta vez com uma grande surpresa em seu elenco. Com a saída de Jessica Lange, a cantora Lady Gaga entra como a estrela principal da atração, e seu universo se funde com a criatividade de Ryan Murphy.

Com Matt Bomer, Wes Bentley, Cheyenne Jackson, Sarah Paulson, Kathy Bates, Angela Bassett e outros, AHS: Hotel se ambienta no Hotel Cortez, um local misterioso, comandado pela Condessa Elizabeth (Gaga). Construído na década de 30 para os objetivos macabros do milionário James March (Evan Peters), o hotel é frequentado por figuras excêntricas, como a viciada Hypodermic Sally (Paulson), o modelo Donavan (Bomer) e sua mãe controladora Iris (Bates), a atriz Ramona Royalle (Bassett) e o sensual Tristan (Finn Wittcrock).

Continua após a publicidade

Além disso, as paredes do hotel escondem o assassino em série Dez Mandamentos, e será missão do Detetive John Lowe (Bentley) descobrir quem a sua identidade e tentar pará-lo. Mas antes, o oficial do FBI terá que escapar das seduções da Condessa, uma mulher viciada em moda e que segue uma dieta de sangue e sexo.

A estreia aconteceu na última quarta-feira (07), e como de costume, nossos colaboradores se reuniram para contar suas primeiras impressões desse novo capítulo que American Horror Story apresenta.

No Mix de Opiniões, cada colaborador, além de fazer sua mini crítica, escolhe uma nota, entre 0 e 100, para qualificar o objeto de debate, de acordo com o quadro a seguir:

 

tabela-mix-de-opinioes

 

mix-opinioes-Joao[João Victhor, colaborador do Mix]: Com uma premiere recheada de mistérios nebulosos e introduções superficiais, o quinto ano de American Horror Story, subtitulado Hotel, faz referências a filmes como O Iluminado, mas bebe principalmente da fonte que ela própria criou. É evidente a presença de elementos das duas primeiras temporadas no novo ano do show: o Hotel Cortez surge como um personagem onipotente e central, como foi a Murder House, e o Assassino dos Dez Mandamentos é mais um serial killer a ser descoberto, o que pode lembrar o Bloody Face de Asylum. Esses e outros elementos podem parecer repetitivos ou serem apenas um aprofundamento da mitologia construída, o que só o tempo dirá, mas esse jogo de incertezas pode ser o principal problema desse novo ano. Após a fraca receptividade das duas últimas temporadas, uma grande carga de mistérios confusos e falsas certezas pode ser interpretada como um artifício usado para prender o telespectador ávido por respostas, enebriando-o nessa fumaça comum em busca de algo genuíno e fazendo a trama soar insegura e apelativa. Dessa forma, é necessário ao telespectador explorar um pouco mais os corredores do Hotel antes de decidir piamente se fará o check-out – se isso for realmente possível.

 

mix-opinioes-Leo[Leo Sousa, colaborado do Mix]: A quinta temporada de American Horror Story pode levar facilmente o subtítulo de AHS: Lady Gaga. Sexy, excêntrico e com uma magia estranha, a nova edição da franquia de horror de Ryan Murphy se constrói totalmente sob a personagem da intérprete de Bad Romance. Não é diferente do que era feito com Jessica Lange, mas a premiere parecia muito um novo clipe de Gaga. Por conta disso, as histórias individuais foram pouco desenvolvidas, um erro repetido das duas temporadas anteriores. Na verdade, se antes não era perceptível as conexões entre as temporadas, depois que Murphy revelou isso, ele fez do Hotel Cortez um grande espelho, melhorado e mais sexy, de Murder House. Faltou começar em algum ponto, para chegarmos a outro – ou vice e versa. Mesmo com a tonalidade psicológica que AHS sempre levou, ainda espera-se que o terror não apenas figuração no meio dos 12 episódios a seguir.

 

Matheus-Mix-de-OpinioesNOTA 75 [Matheus Pereira, colaborador do Mix]: Já se vão três anos desde a última temporada realmente boa de American Horror Story. Asylum foi a última vez que Ryan Murphy acertou a mão, pois com Coven e Freak Show, a coisa foi feia. Além das tramas pouco envolventes e da repetição de temas e de elenco (não sou fã da ideia de repetir atores para contar histórias diferentes), AHS sempre exagerou no visual. É ótimo quando um projeto tem sua própria identidade visual, o problema é que a série falha em distorcer a imagem, apostar em lentes “olho de peixe (que arredondam os cantos e distorcem o quadro) e mover a câmera constantemente sem claros motivos. É, e sempre foi, uma bagunça em termos técnicos. Hotel segue a linha, mas parece ter um background mais interessante. A trilha sonora é melhor que as anteriores e o elenco parece renovado. Finalmente Jessica Lange já não é mais o centro das atenções, e Wes Bentley e Lady Gaga prometem roubar a cena. Tem bem mais potencial e agradou muito mais que os episódios iniciais das duas últimas temporadas. É um sopro de esperança, mas ainda não é garantia.

 

[skillbar title=”RESULTADO: Crítica Favorável” level=”75″]

 

Esse é só o começo, mas será que vale a pena continuar a estadia no Hotel de Lady Gaga? Ou melhor fazer uma Poker Face e sair correndo antes que seja tarde? Conta pra gente aí nos comentários.

Confira o trailer da quinta temporada para ajudar na decisão:

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=N7AfyEjjdqM[/youtube]

Nenhum comentário

Adicione o seu