Mix de Opiniões: O piloto (vazado) de Supergirl

Supergirl

Não é um pássaro, não é um avião e muito menos um homem. O piloto de Supergirl caiu de paraquedas na rede, e as primeiras impressões tem dividido os fãs de séries de TV, e principalmente os leitores de HQ.

Continua após a publicidade

A série acompanha a jovem Kara Danvers, prima do famoso Homem de Aço, que aos 24 anos aceita os poderes que compartilha com o parente kriptoniano, e segue o mesmo destino: se tornar uma heroína e proteger a Terra de ameaças alienígenas.

 

Supergirl

 

Lembrando para quem não conhece… No Mix de Opiniões, cada colaborador, além de fazer sua mini crítica, escolhe uma nota, entre 0 e 100, para qualificar o objeto de debate, de acordo com o quadro a seguir:

 

tabela-mix-de-opinioes

 

 

mix-opinioes-anderson-70[Anderson Narciso, editor chefe do Mix]: Muita informação. Talvez seja essa a definição deste piloto vazado de Supergirl. Não sei mas algo me incomodou e talvez seja o fato de quererem apresentar o pacote completo para o telespectador em 40 minutos com a função de fazê-lo retornar para o próximo episódio. Claro que, isso pode soar como positivo, uma vez que, teoricamente não teríamos enrolação. Entretanto, acho que o roteiro não soube trabalhar o tanto de fatos que resolveram apresentar e simplesmente foram jogando. Em 20 minutos, já conhecíamos Kara, o passado dela, o presente, seus poderes, e assim neste mesmo episódio, ela já conseguiu o uniforme prontinho, combateu o crime, foi recrutada pelo governo, não soube lidar com a pressão, teve um conflito interno, pensou em desistir de ser heroína, no final resolveu voltar a ser heroína, salvou o dia, derrotou o vilão da semana, recebeu presente do Superman… UFA! Deu até pra cansar em? Em 40 minutos? Sim. Isso é algo que precisa ser mexido no roteiro urgentemente para os próximos episódios. Agora vamos às qualidades: Supergirl teve um orçamento gigantesco para um piloto e isso se fez representar muito bem nas cenas de voo. Ficaram demais! Gostei muito dela salvar um avião logo de cara, justamente como o Superman! Outra coisa é o carisma de Melissa Benoist, roubando cada cena em que parecia. Me lembrou muito um outro herói da DC Comics que está no ar e atende pelo nome de Barry Allen. Falando em The Flash, muito da essência da série está ali, e isso é um ponto mega positivo. Foi um bom divertimento, mas precisa melhorar bastante em algumas coisas. Tenho fé que com o passar dos episódios, vai acertar!

 

 

mix-opinioes-Edu-95[Eduardo Nogueira, editor e colaborador do Mix]: Quando Supergirl foi anunciada, vou ser honesto que fiquei com uma pulga atrás da orelha, achando que seria uma porcaria. Quando vi o trailer mudei totalmente meu conceito a respeito, mas quando vi esse piloto, simplesmente pirei. Teve muita informação para apenas um episódio? Com certeza, pois isso tudo mostrado renderia em dois facilmente, mas o começo de uma série/novela querendo ou não é preciso ter tal agilidade, para conseguir cravar a atenção do público de primeiro instante. A história é leve, cheia de referências, e é claro que muita coisa precisa melhorar. O elenco achei bem redondo, mesmo com o burburinho que rolou quando foi escalado um ator negro para viver Jimmy Olsen, só achei meio wtf o momento em que mostra a chegada de Kara à Terra, mesmo depois explicando o motivo da demora em 24 anos disso acontecer. A história tem tudo para ser envolvente, ter vilões incríveis, e na minha humilde opinião Supergirl é meio que uma versão feminina de The Flash. Apesar da resistência de que a protagonista escolhida ter sido uma atriz de Glee, paguei novamente a língua, pois ela se entregou na medida certa à personagem, sem contar o carisma sem igual de Kara, algo que coincidentemente aconteceu com o intérprete de Barry Allen quando vi a série dele. Sem contar que apesar dela já ter salvo o dia logo de cara, a batalha com o vilão em questão foi a prova de que a heroína precisa sim aperfeiçoar suas habilidades para se tornar imbatível contra a vilã principal, e que os próximos episódios vão – e devem- justamente mostrar essa sua evolução, e que não será vergonhoso de forma alguma se levar mais algumas porradas.

 

 

mix-opinioes-Joao-80[João Victhor Sales, colaborador do Mix]: Com um piloto cheio de informações, a trama de Supergirl já é totalmente apresentada, todos os personagens e as motivações são introduzidas, o que talvez já seja uma marca registrada da dupla Andrew Kreisberg e Greg Berlanti, pois, estruturalmente, os pilotos de Supergirl e The Flash são bem parecidos, com narração em off mostrando o carisma dos protagonistas, um flashback de origem e pressa em vestir o uniforme e ser herói. Talvez com Kara Zor-El funcione melhor pelo fato de ela não ter poderes para descobrir, ela já nasceu com superpoderes, resta agora acostumar-se a usá-los, além de toda a admiração pelo super primo de aço. Porém, o meio que escolheram para desenvolverem os casos semanais não me atraiu, e isso, aliado a uma história de fundo aparentemente fraca e um canal conhecido por tramas procedurais, já me deixa em estado de alerta. Resta torcer para souberem balancear bem entre o lado procedural e os tons de O Diabo Veste Prada, além de uma construção mais maciça da mitologia da heroína, para que aquilo que não é um pássaro, nem um avião, possa voar por mais temporadas.

 

 

mix-opinios-carol-60[Caroline Marques, colaboradora do Mix]: Me dei conta agorinha que fazem dois anos que estou maratonando Smallville e não desempaco daquela lama pacata. Talvez seja isso que me fez achar o piloto vazado estrategicamente de Supergirl meio na média. Eles nos entupiram de informação e com seis minutos de episódio ela já estava vestindo a roupa final da Supergirl e salvando a cidade. Uma SHIELD meio pobretona surgiu do nada ali, a garota fez biquinho que não gostou, beleza era para ela ser assim jovem e impulsiva né? O que Smallville, Arrow, Flash e Gotham fizeram em uma temporada, Supergirl fez em minutos. Foi muito corrido, querer vender o peixe é uma coisa, mas jogar o peixe na cara do freguês é outra! Gostei da comédia, o tom leve, os efeitos estão legais, a roupa dela ficou legal e sexy. O James Olsen cresceu um pouco do que eu imagino ele, mas ficou simpático. Aquela relação da Kara com a Chefa ficou muito Diabo veste Prada, já chega de chefes burras e chatas não? Não vi nada inovador que tenha me prendido a atenção. Darei uma chance para os próximos episódios oficiais, veremos certo?

 

 

mix-opinioes-Leo-85[Leo Sousa, editor do Mix]: Nada se esperava de uma série protagonizada por uma atriz criticamente martelada de Glee. Nada se esperava de um roteiro tradicionalmente comum, com elementos usuais da CBS, e um elenco sem relações nenhuma. Pois bem, Supergirl surpreendeu em um vídeo de seis minutos, e seu piloto vazado deu conta de apresentar – em um ritmo bem acelerado – a proposta de criação da Kara Zor-El televisiva. Não estamos falando apenas de uma heroína, que durante o dia é uma pessoa comum, mas protege a cidade quando se mais precisa, mas também de um pacote de informações que vem com a marca da Supergirl. Melissa Benoist imprimiu a jovialidade de Kara, mas pecou no quesito heroína. O fato de conhecer os seus poderes e estar determinada a um futuro heroico exigia dela um preparo físico e mental que ainda não ficaram evidentes no piloto. Um dos destaques sem dúvidas foi Calista Flockhart como Cat Grant, a chefe mandona de Kara, que teve uma presença firme no piloto. Já queremos ver mais excentricidades dela por aí. Para os fãs de romance, vai ser interessante ver a protagonista entre James e Winn – embora ache que Jeremy Jordan tem que perder um pouco da vibe de Smash (e por um momento achei que ele fosse gay).

 

 

[skillbar title=”RESULTADO: Crítica Favorável” level=”78″]

 

 

Se você ainda não conferiu as novidades da série, clique aqui e saiba alguns motivos pelo qual Supergirl pode dar certo (ou não). A série só estreia em novembro, e você poderá acompanhar as reviews de cada episódio aqui no nosso site. Não deixe de compartilhar sua opinião nos comentários.

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=Lm46-envrHo[/youtube]

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.

2 comments

Add yours
  1. Avatar
    paulo joão 26 maio, 2015 at 12:58 Responder

    Flash já partiu para a ação no primeiro episódio.Arrow coloca muito flashback, mas também logo no primeiro ele já tava matando bandido.Smallville terminou sem um Super que voa.Esse sim era uma seriado parado.Se for no estilo do Flash, ótimo.

  2. Avatar
    paulo joão 26 maio, 2015 at 13:02 Responder

    O fato de conhecer os seus poderes e estar determinada a um futuro heroico exigia dela um preparo físico e mental que ainda não ficaram evidentes no piloto
    Mas aí não teríamos série(ou teríamos um monte de flashback como no Arrow).O fato de ter poderes não te torna necessariamente invencível e no fundo, lá só tá sendo ela mesma usando esses poderes, que são naturais na terra.

Post a new comment