Mix Music #52 – 12/04 a 18/04

As semanas estão cada vez mais intensas por aqui:  a volta de dragões na vizinhança, sangue nas ruas de NY por conta de um homem de máscara preta e cancelamentos solitários e dolorosos. Para recuperar o fôlego e dar uma folga ao lenço, esse feriado vamos fazer um brinde à trilha sonora que deu voz a todos esses sentimentos.

[v_icon color=”#444444″ size=”18px” target=”_blank” name=”moon-headphones”]  PLAYLIST DA SEMANA

1) Aretha Franklin – My Away (Scandal, #4×19 “I’m Just a Bill”)

Vamos começar a lista com um clássico digno da realeza: Aretha Franklin. A música foi bem usada para a cena em que Olivia avisa o pai que não irá representá-lo, pois precisa de justiça para seus amigos; interpretada já também pela voz de um outro conhecido rei, a canção é um encaixe perfeito e intensifica as emoções envolvidas na cena. Scandal, enfim, tomando o lugar que lhe é direito em nossos corações musicais e apaixonados.

 

[youtube] https://www.youtube.com/watch?v=9clPf6kNuMA [/youtube]

 

2) Jamie N Commons – Karma (Hardline) (The Vampire Diaries, #6×18 “I Never Could Love Like That”)

Em um episódio preenchido por vozes rasgadas de garagem, The Vampire Diaries resgata a atenção dos fãs com músicas dignas de suas tramas quase mexicanas. Por ter que escolher uma e pela inegável vibração de Karma, Jamie N Commons entra para nossa lista do feriado-eu-sou-brasileiro-e-mereço-dormir-até-tarde. Sua batida mexe até com o sangue dos vampiros envolvidos (e você sabe que essa é uma consideração que precisa ser feita, licença).

 

[youtube] https://www.youtube.com/watch?v=u8YbBNVC-yA [/youtube]

 

3) Wardruna – Ár Var Alda (Vikings, #3×09 “Breaking Point”)

Existe uma coisa muito poderosa em músicas celtas ou nórdicas, com seus acordes respeitosos, sua bravura subjetiva ou sua premonição para as cenas de barbas sujas que virão a seguir. É o tipo de trilha que cria clássicos como Game of Thrones – ou, nesse caso, Vikings. A trilha de Wardruna completa acena em que Ragnar recebe seu batismo. Os arranhados de guitarras do grunge poético não estão aqui, mas a música é igualmente calma e forte.

 

[youtube] https://www.youtube.com/watch?v=sAwFxqHHE48 [/youtube]

 

4) The Blueflowers – I Might   (Nashville, #3×18 “Nobody Knows But Me”)

Como um clássico charmoso, a música de The Blueflowers ganha espaço pela sua originalidade. Guiada pela voz suave de Kate Hinote, a banda parece ser uma estreante de qualidade dentro da TV, e leva sua musicalidade eclética ao telespectador, compartilhando não só o momento em que a trilha é feita, mas todo uma palheta de sentimentos. Gostosinha, simples e agradável.

 

[youtube] https://www.youtube.com/watch?v=ZiAst0sFPP0 [/youtube]

 

5) Lenka – Deep Blue (Jane the Virgin, #1×18 “Chapter Eighteen”)

Essa música parece ser um pequeno resumo do espírito de Jane the Virgin, mesmo que a cena de sua inserção não seja a mais importante do episódio. A série queridinha das últimas premiações eleva-se com seu humor original, e Deep Blue se encaixar entre suas cores vibrantes com classe.

[youtube] https://www.youtube.com/watch?v=LWvRxgD8BD [/youtube]

6) Satellites & Sirens – So Many Things To Say (The Flash, #1×18 “All-Star Team Up”)

The Flash continua a ser uma mistura de série adolescente com heróis em crises existenciais – e isso não é uma crítica, é quase um elogio. Mais próxima de Smallville do que de Daredevil, a série segue com músicas ótimas e momentos “broken heart”. Em um episódio mais denso e um pouco desconexo, a música que entra para a lista é igualmente estranha e surpreendente; Satellites & Sirens tem um estilo animado, jovem, com vozes alinhadas – e é o hipster mais saturado que essa lista vai chegar hoje.

[youtube] https://www.youtube.com/watch?v=a0G0c_YfYlQ [/youtube]

7) De Lux – Moments (Bates Motel, #3×6 “Normal Louise”)

Em uma lista com Bates Motel, sempre haverá espaço para o estranho dançar seus passos em um eletrônico ritmado. Essa semana a série trouxe alguns ganchos interessantes, mas foi a música do quase desconhecido De Lux que mais chamou a atenção. O extra fica pelo seu clipe igualmente hipnotizante e bizarro.

[youtube] https://www.youtube.com/watch?v=BdvI7iDssJk [/youtube]

8) Surfer Blood – Swim (Daredevil, #1×2 “Cut Man”)

Vamos fechar a lista homenageando o segundo episódio de Daredevil: em uma dualidade consistente, a série trouxe cenas engraçadas e caóticas, caminhando para se tornar uma das melhores produções da Netflix. Nesse segundo episódio vemos Foggy e Karen indo de bar em bar, bebendo com enguias e batendo os pés pelas ruas molhadas de Nova York. Entre um balcão e outro, Sufer Blood aparece como a trilha da noite. Um reflexo meio aleatório do episódio, mas serve como o rock sujo que precisávamos para deixar essa playlist completa. Poucas coisas rimam tanto quanto guitarras e cervejas baratas, young man.

 

[youtube] https://www.youtube.com/watch?v=QVkgNPK8EQE [/youtube]

 

[v_icon color=”#444444″ size=”18px” target=”_blank” name=”moon-headphones”] MIX VITROLA

Para brindar os uniformes coloridos que enumeraram o Mix Music, a Vitrola resgata um dos clássicos de Smallville, série que narrou a adolescência e crescimento de Clark Kent. Antes de se tornar o escoteiro Superman, Clark viveu as dúvidas e incoerências de todo o adolescente que frequenta o colegial americano vive: líderes de torcida gostosas, melhores amigas apaixonadas e basquete nos fundos de casa. Sua trilha sonora teve nomes como One Republic e Remy, mas ninguém representou mais seu espírito do que Lifehouse. Romântico, impossível e com tons baixos, a banda esteve presentes em momentos decisivos da série, como a formatura do filho de Krypton. Para comemorar uma semana nerd digna, nos despedimos com esse resgate kryptoniano. It’s your destiny, Kal-El.

 

[youtube] https://www.youtube.com/watch?v=ac3HkriqdGQ [/youtube]

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.

No comments

Add yours