Mix Music: A trilha sonora de Buffy The Vampire Slayer

MIXMUSICABTVS

Hoje é minha estreia aqui no Mix Music e pensando sobre o que escrever, inspirada pela nostalgia de uma outra coluna para qual colaborei esta semana e por uma experiência ruim com um piloto que vi recentemente, me veio à mente uma série que não escondo de ninguém minha idolatria desde a época em que era transmitida na TV aberta: Buffy, the Vampire Slayer.

Continua após a publicidade

Há quem torça o nariz para ela – o que até respeito, mas conversemos depois – e, de fato, Buffy divide opiniões entre o tosco e o cult. Porém ficaremos aqui, obviamente, com o cult e com a absoluta certeza de sua iconicidade dentro da história da televisão mundial. Contemporânea de revoluções televisivas como The Sopranos e Sex and the City, a série criada por Joss Whedon é na verdade derivada de um filme homônimo de 1992, flopadíssimo por sinal. Exibida originalmente entre 1997 e 2003, a série foi um celeiro de atores que se tornariam (ainda mais) queridinhos pelo público como Alyson Hannigan, Michelle Tratchtenberg, David Boreanaz e a nossa protagonista Sarah Michelle Gellar.

A história de Buffy Anne Summers, a adolescente escolhida de sua geração para ser uma caçadora de vampiros, e outras bestas, para além dos apocalipses, sempre foi muito regada a música, especialmente o rock, o indie e o pop. Não por menos, o lugar mais badalado de Sunnydale, a fictícia cidade da Califórnia onde se passa a série, era o clube The Bronze, um dos locais de encontro da Scooby Gang e que serviu de cenário para diversas lutas e confrontos. No clube costumavam se apresentar bandas e cantores independentes, alguns reais como Michelle Branch e o Nerf Herder (grupo responsável pela música tema da série), outros fictícios como a banda Dingoes Ate My Baby cujo um dos integrantes era Oz (Seth Green). Curiosidade é que os outros integrantes do Dingoes tinham uma banda na vida real, a Four Star Mary.

Ao longo de seus 144 episódios, e um piloto que nunca foi ao ar, há sites que contabilizam pouco mais de 350 canções autorais e comerciais creditadas em Buffy. Isso sem contar as composições originais para a série. A preferência por bandas não tão conhecidas do público veio do supervisor da trilha, John King. Nessa vasta lista de músicas também estão Coldplay, Blink 182 e Joe Ramone para vocês terem uma ideia da abrangência.  Existem, inclusive, quatro álbuns com a soundtrack de Buffy.

O interessante na série é que essa pegada mais jovial, das bandas mais independentes e descoladas, contrastava com a sobriedade e o peso das composições originais, músicas incidentais inspiradas no universo do terror, abusando de computadores e sintetizadores para criar a ambiência e o tom necessários à narrativa. Um exemplo delas é a própria música tema.

Como se não bastasse esse volume de músicas, a série abraçou de vez sua veia musical quando Joss Whedon resolveu escrever o polêmico episódio musical. Polêmico porque é sempre difícil e arriscado enfiar um musical no meio de uma narrativa dramática. A linha tênue entre o tosco e o bem feito se acentua em casos como esse. Mas “Once More, With Feeling” (6×07) deu conta do recado. E o elenco também. Com a justificativa da invocação de um caricato demônio que fazia as pessoas cantarem o que sentem e dançarem até se auto-incinerarem, os habitantes de Sunnydale foram todos afetados. O episódio foi importante para a trajetória dos personagens principais pois abriu o caminho para uma importante virada na série. Foi lavação de roupa suja com muita cantoria e rendeu um álbum com as músicas do episódio.

Em contrapartida, Buffy já teve um episódio em que praticamente não houve falas, só música, quando ghouls roubaram a voz dos habitantes da cidade.

A música é ou não é um ponto essencial da série? Ela foi um dos grandes caminhos para representar a dualidade da história ao mesclar os estilos e retratar aquele universo em que criaturas demoníacas andavam entre os jovens. Foi difícil, mas confira algumas peças marcantes dessa trilha sonora!

 

TOP FIVE – BUFFY THE VAMPIRE SLAYER

1) Buffy the Vampire Slayer Theme – Nerf Herder

O grupo californiano Nerf Herder responsável pela composição e execução da vibrante música tema de Buffy tem muito a agradecer a Alyson Hannigan, pois foi ela quem apresentou a banda a Joss Whedon.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=5-xnvdtuRRo[/youtube]

2) Lucky – Bif Naked

A cantora Bif Naked chegou a participar de um episódio de Buffy. Em “The Harsh Light of Day” (4×01) a cantora e sua banda tocam em uma festa na UC Sunnydale, faculdade frequentada por alguns personagens, e apresentam três canções autorais, sendo a mais marcante delas “Lucky”. Esta canção também integra o Buffy the Vampire Slayer: The Album.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=zt66jT1nMHU[/youtube]

3) Goodbye to you – Michelle Branch

Sem dúvidas um dos episódios mais emotivos e decisivos na trajetória dos personagens. Em “Tabula Rasa” (6×08) histórias são refeitas e memórias perdidas por conta de um feitiço que deu errado. Quando tudo retorna ao normal, relações são rompidas e despedidas concretizadas. O episódio – e a música – marcaram um importante ponto de virada na série.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=saxUkx3gpNA&list=RDsaxUkx3gpNA#t=21[/youtube]

4) Shadows – Four Star Mary (Dingoes Ate My Baby)

Para que conste aqui uma música interpretada pelo Dingoes Ate My Baby, mas que na verdade é do Four Star Mary. A canção tocou no episódio “Inca Mummy Girl” (2×04) no qual uma entidade inca é libertada, mostrando que nem só de vampiros vivia a série. Esta e outras músicas do Four Star Mary/Dingoes Ate My Baby também estão no Buffy the Vampire Slayer: The Album.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=B7-IoFyp_68&index=1&list=RDB7-IoFyp_68[/youtube]

5) Walk Through The Fire

E é claro que não podia ficar de fora da lista a música síntese do episódio musical!

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=itrbw0PH6ts[/youtube]

Bônus musical criativo e estético: a abertura do episódio musical

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=7bSiKo5fQyo[/youtube]

Melina Galante

Melina Galante

Produtora e realizadora audiovisual, no momento em processo acadêmico. 99% seriadora com aquele 1% noveleira. Divide as fases da vida em Buffy, a Caça-Vampiros, Gilmore Girls e Grey's Anatomy. Sua menina dos olhos, porém, é Penny Dreadful. No Mix de Séries escreve as reviews de Modern Family, Orange is the New Black, Scandal e o que vier.

No comments

Add yours