Modern Family – 8×04 – Weathering Heights

Imagem: Banco de Séries

Imagem: Banco de Séries

 

“Martha Stewart disse que usou o tempo na prisão para refletir sobre si mesma”.

Novos rostos, novos ventos, piadas reformuladas. Assim foi este quarto episódio de Modern Family, Weatherin Heights (8×04), uma alusão ao romance de Emily Brontë, “Wuthering Heights” (“O Morro dos Ventos Uivantes”), e à ventania do final do episódio nas colinas de Hollywood.

Começando pela participação de Nathan Fillion – aquele que sai ABC mas a ABC não sai dele – no papel do homem do tempo de um noticiário local, Rainer Shine. Tenha sido como novo amigo de Phill ou novo rolo de Haley, representou um frescor na narrativa. Phill não se comportou nada além do esperado diante da celebridade local, com todo o entusiasmo e a dualidade de seu discurso. Já Haley deu indícios de sua movimentação lá no estúdio de televisão, quando pediu informações da localização do banheiro a Rainer para nitidamente verificar a existência de uma aliança nas mãos dele. Foi uma boa cena. E convenhamos, se for colocar Haley se envolvendo com alguém que não seja Dylan. Volta mais, Shine!

Continua após a publicidade

Porém, o que ficou dessa dinâmica foi como até Phill, o mais descolado dos pais, pode ser preconceituoso. Oras, seu sogro ter-se casado com uma mulher bem mais nova não tem qualquer problema, já sua filha tem que necessariamente se envolver com alguém que regule sua idade. Padrões e mais padrões replicados por todos os lados.

Também na casa dos Dunphys outra storyline se desenvolveu. Ou melhor, se reciclou. Mais uma vez a inteligência foi o cerne de um trama. Dessa vez Claire e Luke se juntaram contra Alex para derrotá-la no scramble, aquele jogo de formar palavras. Daqui o que ficou é que, por mais que percebamos nossas falhas, certas coisas nunca mudarão.

No momento lição de mão dupla do episódio, a maravilhosa Lily, que às vezes a gente esquece que é criança, bolou um plano meio maluquete para tentar não tirar Dwight de casa ou fazer qualquer mal a ele, mas para chamar a atenção dos pais. Funcionou e proporcionou grandes piadas deste episódio: a sacada da Martha Stewart (uma apresentadora norte-americana de programa de variedades, presa por fraude) e o depoimento de Lily dizendo que dessa vez aproveitaria bem a oferta de Mitch e Cam (no fim das contas ele escolheu um chá da tarde com os pais e Dwight). Ambas demonstram a força que o texto e a interpretação de Modern Family podem ter, inclusive com o elenco infantil.

Prova dessa força também foi o pequeno Joe levar as mãos ao rosto diante da complicada dicção da mãe. Aliás, falando em Gloria, essa zoeira com seu sotaque vem de longe. Inclusive, em episódios anteriores, Gloria já chegou a mudar o seu jeito de falar. Acaba que fica divertido pois Sofia Vergara mostra que também é versátil.

Agora o momento fofura do episódio foi mesmo o vídeo de Manny para a seleção de Julliard e por motivos diversos. Piegas? Foi. Isso é problema? Não. A gente sabia que a vontade de Jay de ver o enteado bem longe é fachada? Sabia. Isso diminui a piada? Não. E estou para falar que em tempos de tanta divergência foi bonito ouvir o discurso de amor e gratidão do garoto. Fora que de uma saudade das primeiras temporadas… Acho que vou ali fazer uma maratona.

Melina Galante

Melina Galante

Produtora e realizadora audiovisual, no momento em processo acadêmico. 99% seriadora com aquele 1% noveleira. Divide as fases da vida em Buffy, a Caça-Vampiros, Gilmore Girls e Grey's Anatomy. Sua menina dos olhos, porém, é Penny Dreadful. No Mix de Séries escreve as reviews de Modern Family, Orange is the New Black, Scandal e o que vier.

No comments

Add yours