Modern Family – 8×16 – Basketball

Imagem: Arquivo pessoal

“Talvez  isso não seja a melhor coisa para crianças.”

Pegue dois atores fantásticos, convide-os para participar de umas das sitcoms de maior sucesso de todos os tempos e desperdice essa participação. Sim, estou falando das participações de Nathan Fillion e Jane Krakowski. E sobre o primeiro, com seu Rainer, personagem já recorrente, momentos melhores já aconteceram. Vocês conseguem, assim, entender a minha decepção, né? E ainda me chamam dois jogadores da NBA, DeAndre Jordan e Charles Barkley, para dar uma encorpada no todo. Nada feito.

No geral, foi um episódio mesquinho que tratou de assuntos mesquinhos. Começando pelo que mais me preocupa, essa necessidade de Jay de ser o macho-alfa, assustador, grosso e temido. Para quê? Alguém pode me explicar. Nem com o pequeno Joe rindo na cara do “perigo” ele entendeu o recado. Ora bolas, Jay, é seu quarto filho, sua quarta chance de fazer diferente e você insiste em ser o turrão, frio e distante de sempre? Mas como a gente acredita em redenção, a reação do patriarca diante das atitudes insanas de Claire para esconder os erros cometidos na empresa nos deu uma pitada de esperança de que haverá um novo rumo aí. Afinal de contas, seria muito mais interessante voltarem a explorar um Jay mais garotão, que quer curtir a aposentadoria na tranquilidade dos hobbies e dos caprichos, do que esse interior mala que ele resolveu liberar.

A falta de força do episódio continuou pelas outras tramas. A história de Phil tentando superar os traumas do passado tinha muito potencial para ser engraçada, leve e fofa – Ok. O final foi bonitinho -, mas foi boba e previsível. Uma outra coisa que pesou foi a participação dos astros da NBA. Nada contra participações especiais de atletas ou celebridades, porém acho extremamente complicado assumi-las se a execução não foi bem feita e, infelizmente, foi o que aconteceu neste episódio. Vejam que não foi um problema da participação dos jogadores em si. Foi um problema de direção mesmo.

Agora, a trama que mais doeu ao ver seu potencial desperdiçado foi a estúpida disputa entre Gloria e Donna (Krakowski). Não me venham com essa  de que era uma crítica embutida a um modelo da mãe norte-americana perfeita, aquela da classe média alta, suburbana, mega envolvida nas atividades extra-curriculares da escola dos filhos, porque não colou. E olha que ela tinha todo o potencial para sê-lo, sem contar que havia ali duas atrizes de comédia fenomenais. O problema aqui foi de roteiro, que não conseguiu se sustentar na própria proposta. Uma pena.

Para não dizer que o episódio foi de todo ruim, a festa do chá de Mitch e Haley, invadida (ou atrapalhada, como preferir) por Cam e Rainer, até que rendeu razoáveis momentos, muito pelo entrosamento e elo timing e afinação do núcleo que se formou ali.

Fica, todavia, ao final, uma pergunta: seria a imagem acima meramente ilustrativa ou Modern Family estaria como o encontro entre Cam e Alex, descompassado?

Melina Galante

Melina Galante

Produtora e realizadora audiovisual, no momento em processo acadêmico. 99% seriadora com aquele 1% noveleira. Divide as fases da vida em Buffy, a Caça-Vampiros, Gilmore Girls e Grey's Anatomy. Sua menina dos olhos, porém, é Penny Dreadful. No Mix de Séries escreve as reviews de Modern Family, Orange is the New Black, Scandal e o que vier.

No comments

Add yours