Mr. Robot – 1×03 – eps1.2_d3bug.mkv

mr robot

Imagem: Banco de Séries

 

 

O episódio 3 de Mr. Robot teve como principal foco o desenvolvimento dos personagens. Por isso, ele teve um ritmo lento, mas isso é essencial para sabermos o que virá nos próximos episódios. Aliás, a série, desde o piloto, nunca se propôs a ter cliffhangers adoidados, porque não é o perfil dela, mas sim refletir a nossa sociedade capitalista e consumista atual.

Já diziam que o ser humano é cheio de segredos e é verdade. Também já diziam que ele é capaz de tudo para alcançar seus objetivos, e isso também é verdade. Tyrell, aparentemente, é o executivo perfeito, um funcionário perfeito, um chefe de família perfeito, mas, por de trás dessa máscara, existe um homem capaz de tudo, até de transar com alguém por puro interesse, e não por prazer. Seu casamento é bem estranho, e eles formam o casal perfeito, mas são infelizes. Sua esposa pratica o sadomasoquismo, e era visível que Tyrell se sentia desconfortável naquela situação. Vemos aí uma crítica a esses casamentos infelizes e por pura aparência.

Algumas teorias surgiram após o eps1.2_d3bug.mkv (sim, esse é o nome do episódio hahaha). Uma delas é o fato de Mr. Robot ser fruto da imaginação de Elliot, o que faz todo o sentido. Outra teoria é o fato de Mr. Robot e Elliot serem a mesma pessoa. Todas elas têm coerência, principalmente, se prestarmos atenção em alguns momentos ocorridos na série: 1) Mr. Robot na empresa. Como ele conseguiu entrar ali? Misterioso, não? 2) Elliot e Robot conversando no bar, e o garçom olhando de modo estranho para Elliot, insinuando que ele estava falando sozinho. 3) Na cena final, Mr. Robot olhando de longe, sem interagir com os outros na Fsociety. Por que ele não estava conversando com os outros dois membros? Por que ele não queria? Não me pareceu dessa forma porque, se reparamos bem, deu a entender que Mr. Robot não era real. Tanto é que só quem via o Mr. Robot era o próprio Elliot. Deduzi, por isso, que a Fsociety foi criada pelo Elliot e ele é o chefe dessa “organização”. Cheguei até cogitar que a loirinha da Fsociety era irreal, mas a Shayla, numa cena, estava falando perfeitamente com a namorada do Elliot.

A série também serviu como utilidade pública. Quando Tyrell vai na casa de seu parceiro, Wellick instala uma app chamado SuperSU, a fim de hackear as informações do telefone de seu parceiro. Esse app existe e você pode instalar num aparelho com o sistema Android. Agora, qual é o objetivo de Tyrell ter feito isso? O que ele pretende de fato? Ele sempre me pareceu um sujeito estranho desde o piloto e isso se confirmou nesse episódio. O bom desse desenvolvimento dos personagens é descobrir quem eles são de verdade e vermos a sua máscara cair.

Às vezes, queremos ser bons e ser gentil com as pessoas o tempo todo, só que a vida não é bem assim. Angela é um exemplo disso. Quando ela descobriu que a carteira era roubada, ela ficou incrédula, não acreditando que aquilo estava ocorrendo em pleno dia comum. Angela é o tipo da pessoa que está sempre disposta a ajudar, vide a relação dela com Elliot, mas sempre se ferra.

Tags Mr. Robot

Share this post

Daniele Duarte

Daniele Duarte

Carioca da gema, amante de literatura clássica. Machado de Assis é o seu autor favorito. O tríade de melhores séries são Six Feet Under, Breaking Bad e Sherlock . Séries inglesas também faz parte da sua grade de séries. Ela é a pessoa que chora rios com a series finale de SFU.