Mr. Robot – 1×08 – eps1.7_wh1ter0se.m4v

robot
Imagem: USA Network

 

Continua após publicidade

 

Continua após a publicidade

Que episódio, meus amigos, que episódio magnífico! Séries como Mr. Robot são raras de se achar hoje em dia, ainda mais com a quantidade de reboot e séries baseadas em quadrinhos (nada contra, até porque amo). Os canais de TV estão sem a menor criatividade, e quando estamos diante de uma série como Mr. Robot, ficamos esperançosos em perceber que há uma luz no fim do túnel. Ela não é uma série para qualquer um, e os seus personagens são construídos de forma gradual. Para entendê-lo, devemos nos atentar aos mínimos detalhes, até mesmo aqueles que são considerados insignificantes. Essa série me conquistou desde o piloto e desde ali já mostrou a que veio.

Continua após publicidade

A genialidade da série fica por conta de seu roteiro que nada é convencional. Temos uma sinopse que aparenta ser simples, mas que acaba se transformando em algo complexo. É maravilhoso fazer teorias de quem é o Mr. Robot. Finalmente, acabamos descobrindo quem é! Ele é o pai de Elliot!!! Juro para vocês que nunca pensei nessa hipótese e muito menos que Darlene fosse sua irmã. Ao lembrar episódios anteriores, ela também interagia com o Mr. Robot, além do próprio Elliot. Isso era possível porque Darlene era sua filha. Portanto, só a família conversava com o Mr. Robot. Quando via essa interação entre Darlene e Mr. Robot, não entendia nada, mas agora tudo se encaixa!

Devo parabenizar Rami Malek. Não consigo imaginar outro ator para interpretar Elliot Alderson. Rami se integra de corpo e alma ao personagem que se torna impossível não amarmos o jeitinho antissocial de Elliot. Conseguimos sentir do outro lado da tela as angústias, medo, pressão que Alderson sofre. Acho fantástico, e já disse isso uma vez, essa interação de Elliot com o telespectador como se nós fôssemos os reais psicólogos de Elliot. Essa interação é tão forte que já não conseguimos mais imaginar Mr. Robot sem esses diálogos com o público que está atrás da telinha. Só nós sabemos de verdade o que se passa na cabeça de Elliot e também seus sentimentos, seus segredos mais obscuros e todas as suas aflições. Já estou acostumada a sofrer junto com Elliot. Hahaha.

Continua após publicidade

Com relação aos outros personagens que, embora sejam secundários, são essenciais na trama: Tyrell, Krista, Angela, Gideon, Cisco – mesmo tendo aparecido pouco, vejo que nos últimos episódios, ele poderá ter função importante. Todos eles são personagens difíceis, complicados de se entender, assim como o show.

Aliás, preciso falar sobre dois personagens:

Tyrell: que esposa é aquela que ele tem? Sério, tenho muito medo dela e da relação que eles têm. Tyrell, que matou a Sharon, pode ser preso pela acusação de ter matado a tal mulher. Mas com esse final, será que a falsa contração o ajudará a sair ileso? Aliás, ele anda bem louco com isso tudo e quem controla a situação é sua esposa sadomasoquista.

Gideon: quem diria que o chefe de Elliot passaria de um extremo a outro ao desconfiar de seu empregado que, até então, era seu funcionário mais querido? Não sabemos como foi à evolução disso e como ele chegou a essa conclusão, pois a série não mostrou o momento que Gideon começou a desconfiar de Alderson. Realmente, seu jeito não convencional e anormal em comparação aos outros empregados pode ter feito com que Goddard desconfiasse que Elliot era o hacker. Tanto é que quando a fsociety invadiu a Allsafe, Elliot não estava curioso para ver o tal recado que o hacker da fsociety queria dar, porque Elliot já sabia do que se tratava. Quando assisti essa cena, pensei: “Gideon vai reafirmar sua desconfiança ao ver que Elliot não estava lá como os outros funcionários”. Dito e feito! Goddard imediatamente foi tirar satisfação com Elliot por qual motivo ele não estava lá, assim como seus colegas de trabalho.

Mr. Robot, portanto, só melhora, e já espero o episódio 9, ansiosamente!