Na guerra entre SKY e FOX quem saiu perdendo foi o público…

Imagem: FOX

Nas duas últimas semanas, um burburinho tomou conta dos fãs de TV ao cabo quando a notícia de que a FOX poderia deixar a SKY veio à tona. Tudo aconteceu após uma extensa novela, que já vinha se arrastando por meses, devido às negociações contratuais entre as duas empresas.

De um lado, a FOX que, segundo alguns veículos, queria cobrar a mais por alguns canais premium que já vinham sendo incluídos em pacotes sem qualquer acréscimo, ou como a empresa mesmo disse “as condições comerciais e de distribuição oferecidas pela SKY estão abaixo dos valores de mercado e do valor e relevância do conteúdo que o público elege e desfruta.”. Do outro, a SKY que em momento algum se pronunciou oficialmente, mas sabe-se que estava relutante em pagar qualquer centavo a mais, em tempos de crise, além de alegar que não havia espaço no satélite para alguns canais premium da FOX.

Depois de todo esse desgaste, desnecessário em minha opinião – incluindo a FOX ter de apelar para seus clientes pedirem a permanência do canal na operadora, do tipo “liguem para lá, e encham o saco deles”, a emissora resolveu cortar os seus canais no último domingo, no meio de uma partida apresentada por um dos maiores canais de audiência na TV paga, o FOX Sports.

Em briga de cachorro grande…

Ouso dizer que na disputa entre as duas marcas, quem saiu perdendo fomos nós, o público. Claro, a FOX e a SKY também perderam muito, uma vez que a FOX é um dos canais pagos com maior audiência e a SKY uma das maiores operadoras do Brasil – com cerca de 5.2 milhões de clientes.

Mas realmente, nessa briga para ver quem tomava menos prejuízo, a ganância de ambas as marcas fez com que elas perdessem, não mais que o público. A TV fechada já está escassa de programação de qualidade, caindo no ostracismo fatídico que a TV aberta se enfiou. No meio de tanta chatice, ou de conteúdo disponibilizado facilmente pela internet e por plataforma de streamings como a Netflix, a FOX é um dos únicos canais que ainda oferece programação diferenciada e com conteúdo exclusivo, além de investir em exibições de séries simultâneas, semelhante o que a HBO faz com seus produtos aqui no Brasil.

É uma pena vermos uma gigante da TV se despedir da SKY desta forma, privando grande parte do público do acesso a conteúdos como The Walking Dead, que retorna no domingo (12), ou à estreia dos novos episódios de Prison Break, em breve. É assim que ambas as marcas querem re-fisgar o público que está abandonando a TV e migrando para a Netflix?

Penso que investimento tem de ser feito de ambos os lados. Se a FOX se sentia violada de alguma forma, seja pelo conteúdo ou pela quantidade de canais, tentar achar um meio termo seria uma solução, para não retirar totalmente seus canais da operadora, que também deveria ter tentado encontrar uma solução melhor para não perder a marca.

Em tempos, com situações como essa, a frase “desligue a TV” nunca fez tanto sentido como agora!

Tags FOXSky
Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.

No comments

Add yours