Narcos – 1×07 – You Will Cry Tears of Blood

narcos-7

Imagem: Arquivo pessoal

 

A imagem que escolhi para esse episódio o representa, impactante. Como podem, famílias colocarem sua fé em um homem tão leviano. O que as leva a acreditar nele? A esposa de Jaime ainda mente pelo Pablo, com essa imagem grudada na parede. Um homem doentio que matou mais de uma centena de pessoas tentando atingir Gaviria. Eu acho que ele havia passado dos limites faz tempo, mas só agora que acordaram para a real dimensão das ações de Escobar.

Continua após a publicidade

Agora, a caçada contra ele ganhou um novo level, pois era considerado um terrorista. Engraçado é a mulher dele – Tata – dizendo que sabia que foi ele “mas ele deve ter tido suas razões!” WHAT? Mulher, que razões palpáveis alguém pode ter para explodir um avião? Quem deve pagar o pato é a Elisa e a mulher do Jaime, as únicas testemunhas vivas, ainda. A única coisa boa que veio dessa bomba no avião, foi o empurrão que faltava para César Gaviria chegar à presidência. Ainda não acredito que ele chegou vivo.

Mas acho que o highlight desse episódio foi a primeira aparição do Cartel que se tornaria rival do Cartel de Medellin – Cali! Pacho Herrera era o novo comandante do pedaço. Enquanto Pablo tinha Miami, Pacho tinha New York, mais rica, ativa e com classe. Los Angeles estava em território neutro, e Pacho estava querendo passar a perna em Pablo. “Uma guerra entre nós é desnecessária!”. Mas nós adoraríamos ver dois gigantes lutando.

Cali comandava o sul do país, e os fundadores eram Gilberto e Miguel Rodríguez Orejuela. Pacho entrou como um sócio depois, e foi aí que o desentendimento com Pablo começou. Eles eram montados em advogados e planos legalmente aceitáveis. Por isso foram ser extintos só em 1998.

Moncada e Galeano, dois novos ‘associados’ de Pablo, os outros já estavam sendo seguidos pela polícia. CIA resolveu abrir a mão e ajudar os DEA na Colômbia. Agora tinham até imagem de satélite. Só não entendi a lógica do Escobar: O povo quer paz? Vamos dar a eles uma guerra civil! – E não podemos deixar de notar a semelhança com o M-19. Pablo ordenou vários sequestros pelo país, filhos de pessoas ricas e influentes, para ganhar aliados a força, pelo medo, fazendo Gaviria ceder e negociar.

Diana Turbay irritadíssima com Valeria, que chega antes nas notícias dos sequestros! É que Valeria recebe a notícia da fonte do atentado, a cama do Pablo. Ele dá as condições de soltura, mas Gaviria cospe em cima da proposta. Começa a pressão, matar reféns sempre ajuda! Os DEA/CIA não conseguem chegar em nada perto de Pablo, esses capangas dele são bem espertos. Gaviria acabou fazendo o que toda pessoa razoável faria, negociar com o terrorista, enquanto tenta capturá-lo. Diana Turbay que ajudou nisso, parece uma mulher razoável.

Murphy e Peña acabaram entrando na perseguição mais estranha que eu já vi, e foi chocante a cena em que Peña fica frente a frente com o garotinho armado. A colômbia era uma lugar perigoso e surreal nessa época. Imaginei que Murphy iria levar o bebê para a Connie, esse cara tem um coração de ouro, – ou de cocaína, que valia mais nessa época. Pablo ganhou um fôlego novo com o recuo de Gaviria e o insucesso dos agentes americanos. E para comemorar, resolveu construir sua nova casa, um castelo, um forte.

Já sabemos que essa construção é famosa, mas teremos o maior prazer em vê-la sendo construída. As músicas do final – não me cansarei de repetir, ótimas escolhas. Dá vontade dar uma remexida aqui sentada mesmo.

Tags Narcos
Caroline Marques

Caroline Marques

Engenheira de Alimentos, mestre em química de alimentos, um tanto quanto viciada em séries, filmes e livros. Fã de Hannibal, Dexter, Grey's Anatomy, Demolidor, Sherlock e Stranger Things. Reviewer de Chicago PD.

No comments

Add yours