New Girl – 4×08 – Teachers

New Girl

Continua após publicidade

 

Continua após a publicidade

Mais um ótimo episódio de New Girl e as coisas parecem estar definitivamente encaminhadas. Quatro episódios atrás eu nem sonhava que isso seria possível. Diante de um milagre como esse, fica sempre o receio de que os responsáveis irão se acomodar e deixar as coisas desandarem novamente, ou que a série voltou a um padrão alto que eventualmente pode deixar de ser atingido e essa decepção isolada se sobrepor à consistente melhora que tivemos até então. Mas não entremos nesse mérito, por enquanto. O fato é que a série voltou a ser aquele circo de constrangimento que aprendemos a amar.

Continua após publicidade

No episódio em questão, ao contrário do que se supunha depois de terem ignorado no episódio posterior a ele, retomaram o plot de Jess com Ryan, novo professor da escola onde ela trabalha e seu potencial novo romance, o que ficou ainda mais evidente nesse oitavo episódio. O personagem conquistou tanto a simpatia do público, que nem os defensores mais ferrenhos de Jess e Nick se opuseram à introdução desse relacionamento. A química entre os dois é evidente e, quando concretizado, serão provavelmente o casal mais bonito da televisão (só ver a foto acima). O avanço do caso entre os dois, nesse episódio, não foi tão sutil, caso a intenção seja estender esse rolo para ser concretizado só ao final da temporada, mas a relutância de Jess em burlar as regras da escola, que não permitem relacionamentos entre administradores e professores, tratará de fazer isso.

Apesar da pouco crível perfeição que Ryan apresentou até então, não soou tão forçado a ponto de precisarem revelar, futuramente, um grande defeito pra equilibrar, então acredito que, se Jess tem um par perfeito e se a série tem ainda um novo personagem fixo para acrescentar, é ele. O plot deles, que teve Coach como adicional cômico, se passou durante uma conferência de professores e deixou claro pra todo mundo – inclusive para Ryan – o desconforto de Jess diante de sua aproximação, o que ele ingenuamente confundiu com a hipótese dela não gostar dele, o que indica que ele ainda não teve a oportunidade de se olhar no espelho. Ainda sou mais o Nick, como preferência pessoal e inexplicável, mas já fez tempo que eu desencanei dele e Jess como casal e não quero de volta, por enquanto.

Continua após publicidade

Os meninos, como sempre, foram um show à parte, já que os plots secundários têm mantido o nível do principal, em contrapartida aos no mínimo desnecessários que tivemos no início da temporada. O conteúdo em si não é lá muito inventivo, mas o efeito é o melhor possível, condizendo com o propósito da série. Dessa vez tivemos Schmidt, Nick e Winston com a intenção de fazer todas as coisas “másculas” que não podem fazer na presença de Jess. No entanto, é claro, não foi isso que aconteceu e sim verdadeiros workshops de como usar a máquina de lavar, como usar uma régia e como amar. Esse último parece bem profundo, eu sei, mas é New Girl e são esses personagens, então claro que foi o mais cômico, ficando atrás apenas da cena em que Winston, recém ciente do correto uso de uma régua, mediu o próprio sorriso de felicidade pelo novo conhecimento adquirido. Entretanto, o “forte” em que os três se abrigaram para ensinar Nick a amar enquanto cantavam aos berros hinos românticos  como “I Wanna Know What Love Is” (perfeitamente apropriada), foi o grande destaque do plot, em um sentido mais amplo.

E assim se deu o oitavo dessa surpreendente leva de episódios mais do que satisfatórios, e esperamos que continue assim pelos próximos dezesseis (ou algo próximo disso). Que as boas ideias sobrevivam à pausa de fim de ano. Depois disso só me resta oferecer as merecidas cinco estrelas, não por ter sido melhor que os três anteriores, mas por ter confirmado um padrão que se espera que seja mantido nos próximos. O caso de Jess e Ryan tem tudo pra render ótimos episódios, só vai depender de saberem administrar isso e manter o ritmo, sem desgastar o casal, como fizeram com Jess e Nick, seja apressando muito as coisas, o que acarreta lacunas no desenvolvimento que levam para o desgastante vai e volta ou comodismo, ou enrolando muito e ocasionando a perda de interesse por parte do público, a qual não é muito rara. E espero que saibam inserir isso enquanto também desenvolvem o caso de Schmidt e Cece que, não sei vocês, mas eu acho bem interessante e promissor.

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!