New Girl – 4×12 – Shark

New Girl

Depois da excelente sequência de episódios que precedeu o hiato de fim de ano, era natural que ficássemos apreensivos quanto ao que viria depois dele. Mas o episódio conseguiu suprir as expectativas depositadas, apostando na – até então, bem sucedida despretensão e não reincidindo no problema da falta de sequência, já que trouxe Ryan e seu relacionamento com Jess no mesmo pé em que foi deixado, e até a nova namorada de Nick apareceu de relance em algumas cenas, o que é um bom indício de que eles pretendem desenvolver esse relacionamento. E isso já é muita coisa, considerando a forma como eles vinham abandonando plots do tipo de um episódio para outro.

O episódio se iniciou com foco na carreira policial de Winston e se manteve nisso em boa parte dele, contrastando com Jess e Schmidt e o problema da construção na vizinhança do apartamento. Winston finalmente se formou como policial e isso gerou uma cômica preocupação por parte de Nick e Coach, resultando num plot satisfatório em seu propósito. Gostei muito da participação da policial que será parceira de Winston, serviu muito bem como base e consolidação cômica do comportamento dos outros e do objetivo geral do plot. Espero que ela apareça mais vezes, quem sabe até como um novo interesse amoroso de Winston.

Já o plot de Jess e Schmidt certamente foi o maior atrativo do episódio, sobretudo no que diz respeito a ele. Schmidt mais uma vez se destacou e provou ser o grande trunfo da série, tanto por seu comportamento, quanto por seus quotes. Enquanto ele estiver ali, a série vai arrancar uma risada ou outra, não importa a crise em que se encontre. Se bem que na terceira temporada quem exerceu essa função foi Winston, o que indica que, apesar dos tropeços, o elenco e seus personagens nunca serão o motivo da insatisfação e devemos sempre culpar os criadores e roteiristas pelas quedas de qualidade. Então, Schmidt. Nesse episódio ele arranjou para si uma vereadora, tão controladora e de caráter duvidoso quanto uma combinação perfeita para perpetuar a bizarrice de sua personalidade. Eu sempre serei Team Cece, não importa o que aconteça, mas confesso que gostei da dinâmica entre ele e a vereadora, que para esse episódio serviu perfeitamente, mas prefiro contar com instinto da série em esquecer esse tipo de coisa e que ela não se torne permanente, pelo menos não com o objetivo de ter qualquer relação mais séria com Schmidt.

A audiência para discutir o problema da construção acontecer à noite foi o ápice do episódio, onde Jess foi para pedir a mudança de horário e Schmidt, em sua submissão à vereadora, foi para representar o lado contrário. Primeiro, a atuação de Ryan como pedreiro no teatrinho que Jess desenvolveu para representar o problema do barulho da construção naquele horário. Segundo, Cece deixando Schmidt transtornando com o comprimento das mangas do seu terno e impossibilitando que ele se concentrasse em seu papel na audiência. Essas duas situações, mais Ryan tirando as calças, já justificam as cinco estrelas que o episódio recebe.

Enfim, mais um bom filler, em que os dois plots cumpriram suas respectivas funções e resultaram em um episódio satisfatório, ainda que não entre os melhores da temporada. Sendo elas exclusividade desse episódio ou não, há de se parabenizar a série pela introdução de duas novas personagens que tão efetivamente contribuíram para o sucesso do episódio. Chegando à metade da temporada, já se pode afirmar com plena segurança sua superioridade em relação a anterior.

Share this post

Equipe Mix

Equipe Mix

Perfil criado para realizar postagens produzidas pela equipe do Mix de Séries.