New Girl – 4×20 – Par 5

New Girl 4x20
Imagem: FOX

 

Continua após publicidade

É, parece que o excesso de hiato está refletindo negativamente na qualidade dessa reta final da temporada. Poderíamos entender essas pausas como uma necessidade de mais tempo para dedicar aos episódios, mas aparentemente não é isso que está acontecendo. Apesar de esse e os anteriores terem sido até divertidos, está ficando difícil defender essa opção por episódios mais descompromissados, já que estamos ficando até tontos com tantas voltas que a narrativa está dando em um mesmo ponto.

Continua após a publicidade

Parece que a série se deparou com mais episódios pela frente do que história para contar, mais ou menos ali no retorno da pausa de fim de ano, e decidiu que a solução era ir distribuindo em pequenas doses o que tinha de importante e preencher o restante do tempo com aleatoriedades. Além disso, esqueceram que Jess existe, esqueceram que Nick existe, Coach está só cumprindo o contrato e Wisnton, em comparação, está tendo espaço até demais. Enquanto isso, todos os elogios que eu tinha para o quão bem estavam desenvolvendo Cece e Schmidt, não se justificam mais. Novamente, porque tem mais episódios do que assunto para desenvolver. Aqui deveria ser o ponto final entre Schmidt e Fawn. Tudo que envolveu os dois no episódio parecia se encaminhar a isso, mas se estão guardando a volta de Cece e Schmidt para a season finale, o que iriam fazer com esses dois ou três episódios entre esse e o último?

Continua após publicidade

New Girl é uma boa comédia. Tem seu diferencial, tem bons personagens, tem um bom roteiro, mas peca com uma falta de planejamento tão evidente, que eu imagino que se entrevistassem a showrunner ela responderia “não sei” para 95% das perguntas, como se decidisse o que acontecerá no episódio no dia anterior a ele e sem a mínima preocupação com o que vai acontecer em seguida. Isso justificaria o súbito abandono de plots iniciados e personagens introduzidos em outros episódios. Jess é outro bom exemplo. Ela é a protagonista da série e portanto deveria ser o foco dela. Mas eis que eles desenvolvem um relacionamento sério para ela, daí o ator precisa sair da série, e o que acontece com a personagem a partir de agora? “Não sei”, responderia a responsável. E assim temos Jess vagando pelos episódios como um Winston das primeiras temporadas. E Nick, o que acontece com ele? “Não sei, porque não dá pra arranjar outra namorada para ele porque ainda não sabemos se queremos ou não que ele volte com Jess e não podemos nos concentrar no trabalho dele com Schmidt porque esse está ocupado sendo o centro do triângulo amoroso que tomou conta da série e que também não sabemos como administrar”. E Coach? “Deixa ali sentado no sofá até acabar o contrato”. E Winston com a colega da polícia? “Quem”? E esse é o resumo da reunião da equipe de New Girl.

Fawn era interessante quando aparecia uma vez ou outra. A relação dela com Schmidt é até engraçada, mas quando a tiraram desse papel e deram ênfase maior à verdadeira essência da personagem em seu ambiente natural, por uma sequência maior de cenas, sua personalidade se tornou cansativa e até irritante. Parece que essa participação maior foi um teste e com ele eu concluí que não a quero na série. E não só por ser um empecilho para Cece e Schmidt, mas por não simpatizar mesmo com ela. E claro, principalmente por ser um empecilho para Cece e Schmidt. Parece meio forçada e bastante contraditória com o início da temporada a indiferença no sentido amoroso que Schmidt desenvolveu em relação à Cece. Os papeis se inverteram de forma exagerada e bem pouco convincente e não acho que Fawn e a relação deles tem condições de causar esse efeito em Schmidt. E agora que eles ameaçaram terminar e, como sempre resulta desse tipo de coisa, o relacionamento deles pareceu se fortalecer, quero ver como vão usar isso para a tão aguardada volta de Cece e Schmidt. Porque tem que acontecer. E realmente estou contando que essa aproximação de Schmidt e Fawn seja uma forma de tornar o término ainda mais incisivo em favor do casal pelo qual todos torcemos. Mas só nos resta aguardar (mais duas semanas).

Continua após publicidade