O faroeste espacial na abertura de Firefly

Firefly

 

Fiz questão de escrever essa Aberturas, pois Firefly é a série da minha vida. É aquela que me ensinou alguns valores que levo onde quer que eu esteja. E a abertura dessa série tão querida, não só por mim, mas por outros seriadores, merece seu lugar. A série, que durou apenas 14 episódios, é pré-requisito básico no curriculum lattes de qualquer seriador.

Firefly acompanha a vida de nove tripulantes de uma nave espacial no ano de 2517 e as suas desventuras pelo espaço sideral, à procura de subsistência, já que o planeta Terra não comporta mais a população, e os recursos naturais são extremamente escassos. Escrita por Joss Whedon (Buffy The Vampire Slayer, Dollhouse, Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D), seu piloto foi ao ar em 20 de setembro de 2002 na Fox, sendo cancelada dois meses depois, com apenas 11 dos 14 episódios exibidos na TV.

Continua após a publicidade

A abertura de Firefly é uma das maravilhas da série. Sua trilha sonora foi escrita especialmente para a série por Whedon, que convidou Sonny Rhodes para ser o intérprete de The Ballad of Serenity, uma curta, porém agradável trilha com cerca de três minutos, onde o faroeste foi representado por alguns compassos de banjo, um instrumento presente no folk e no bluegrass americanos. Com alguns compassos de violino, a música também remonta o ritmo do final do século XX, ficando assim uma mistura de faroeste com música clássica. As imagens, durante os 45 segundos de abertura, mostram cada ator em primeiro plano, com algumas cenas importantes de seus personagens em segundo plano. Os nomes dos atores aparecem em letra cursiva em um primeiro momento, para serem mostrados posteriormente com letra de forma.

 

 

O tom amarelado/alaranjado da abertura demonstra o clima árido da série, já que ela mostra em grande parte do tempo os planetas “terraformados” (planetas que passaram por um processo de terraformação, deixando-os aptos à vida humana), e acabou mostrando esse clima desértico em 85% dos planetas.
Os takes, combinados com a parte principal do refrão da trilha, criam um sentido específico, já que basicamente a essência da série é contada em 45 segundos de abertura. Em dois segundos de imagens, também vemos um dos inimigos da tripulação, ao decorrer dos 14 episódios. É a Aliança Interplanetária, uma união entre as duas maiores potências mundiais da época, Estados Unidos e China, formando uma espécie de polícia que fiscaliza todo o Universo.

 

Aliança Interplanetária, uma das vilãs da série (Sim, isso é uma nave)

Aliança Interplanetária, uma das vilãs da série (Sim, isso é uma nave)

 

O fato de durar poucos episódios, aliado com sua temática mais que especial, fez com que Firefly conseguisse um status cult, e mesmo depois de quase 12 anos após seu término, seu enredo ainda consegue arrebatar todos pela complexidade que é intrínseco à série, mas ainda sim pela simplicidade em abordar de forma leve, com pitadas de humor e muito sci-fi (e o melhor, sem aliens). A abertura de Firefly diz muito da série, algo com foco, que mostra toda a história da série sem perder a essência.

 

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=NSlGw3QiIfk[/youtube]

Ana Maria de Oliveira

Ana Maria de Oliveira

Jornalista e uma decepção como digital influencer e youtuber. Desde 1993 sendo trouxa e shippando quem não deve. Aqui no Mix de Séries é editora e tradutora de notícias e escreve reviews de The Last Ship e The Rookie.

No comments

Add yours