O romance entre Pinguim e o Charada é o caminho certo para Gotham?

Imagem: The Inquisitr

Imagem: The Inquisitr

 

Para todos que me acompanham nas reviews semanais de Gotham sabem: as coisas não estão nada boas para a série. Após ter tido uma primeira temporada procedural e um segundo ano pautado em dar destaque para as histórias dos personagens principais, a série volta a se perder em seu caminho.

Mas no meio desses pequenos transtornos no percurso, a série resolveu investir em uma subtrama que pode ganhar um bom destaque: o romance entre os vilões Pinguim e Charada.

Continua após a publicidade

Parecia improvável, mas o caminho é realmente este. Se tem potencial ou não, seria este o viés correto para a série?

Precisamos falar sobre…

 

A abertura para o tema é válido!

Gente para reclamar sempre tem. Eu mesmo, tenho reclamado dos rumos da história. Mas em momento nenhum a história de um romance entre o Charada e o Pinguim chegou a me incomodar. Primeiro, porque acho essencial as séries de TV trabalharem isso, e Gotham não poderia fugir.

A princípio, achei que a personagem de Valerie Vale poderia ser uma válvula de escape para isso, uma vez que a história de Barbara e Tabitha tornou-se monótona e inexplorável. Um casinho entre ela e a Leslie Lee, por exemplo, não cairia mal. Mas acabou que elas estão disputando o coração do Detetitve Gordon.

Ao se tratar de outros personagens, o Pinguim, sem dúvidas, era um potencial a se explorar. Sua sexualidade nunca esteve definida na série e, mesmo se tivesse, não teria problema nenhum em trabalhá-la, afinal, o mundo é experimental, todo mundo sabe! Houve sempre uma tensão desconhecida entre os dois personagens. Sempre quando eles dividiam tela, o público ia a loucura.

Imagem: FOX

 

Então, sim, ela é uma história válida. Até porque, se analisarmos, ela começou de uma forma bem justificável. Edward foi o único personagem, até agora, a dar crédito para Oswald de forma genuína. Para uma pessoa com sentimentos fracos e vulneráveis, isso se tornou um prato cheio.

Parece que, até o momento, Edward não irá corresponder as expectativas, mas após os acontecimentos do episódio 08, Pinguim acredita que tem realmente chances. Será?

 

Se sentir incomodado com a história é sinônimo de homofobia?

Ouso responder a esta pergunta com um não. Claro, deve ter muita gente que repudia essa história por puro e simples preconceito. Mas não ser simpático a ela não é sinônimo de homofobia, até porque é uma série inspirada em personagens de quadrinhos, com uma trajetória conhecida pelo público.

Quem é fã de Batman, ou do universo DC Comics, pode não estar acostumado a ver personagens deste tipo, como o Pinguim, se envolvendo em relações amorosas destacáveis. E, quando feitas, geralmente, ganhavam conotações heterossexuais. Então, ok, é justificável se sentir incomodado em ver estes personagens se aproximando de forma amorosa.

Mas atenha-se, não é o fim do mundo, muito menos é o que tem deixado a série ruim…

Explorar a sexualidade destes personagens é um excelente atributo da série, e que em muitas oportunidades – referindo-se aqui a outras mídias – não são apresentadas como deveriam. As séries de TV são excelentes plataformas para tais assuntos serem explorados, portanto, porque não mostrar um Pinguim interessado sexualmente por outro homem? Mesmo que este homem seja Edward Nygma… Desde que bem conduzida, toda história é bem recebida.

Imagem: Giphy.

 

Porém, Gotham está pronta para trabalhar esta história?

Honestamente, não sei. A série voltou a pisar em territórios instáveis e é muito duvidoso o caminho que ela pretende seguir. Com histórias fragmentadas, sem saber exatamente para onde vão, a história de amor entre o Pinguim e o Charada pode cair, infelizmente, na dualidade de se tornar apenas mais uma história, sem qualquer relevância. Aí sim, temos motivos de sobra para a irritação com este plot.

A série precisa estabelecer um rumo antes de iniciar suas histórias. Do jeito que são conduzidas, parece que elas são criadas na sala de roteiristas aleatoriamente, dando essa impressão de “jogadas” nos episódios, que muitos fãs percebem.

Concordo que a série já evoluiu, e muito, em abandonar a ideia fixa de procedural, mas não adianta nada ter uma história principal se ela não tem um objetivo.

 

A torcida fica para que a série volte aos trilhos, recupere a estabilidade que conquistou em seu segundo ano, e saiba trabalhar histórias como o romance do Pinguim e do Charada de forma melhor. Mas o tempo está correndo, já estamos quase Fall Finale e então, depois, só em 2017.

Imagem: Giphy

 

E vocês, o que acham do romance de Edward Nygma e Oswald Cobblepot? Shippam ou desgostam?

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Criador, editor e redator do site Mix de Séries, é apaixonado por séries desde sempre. Fã incondicional de One Tree Hill, ER, Friends, e não perde um episódio da Franquia Chicago.

8 comments

Add yours
  1. Avatar
    Juk 10 novembro, 2016 at 12:53 Responder

    Finalmente encontrei alguém falando sobre isso. É muito importante que nos dias de hoje assuntos como relações lgbt+, empoderamento feminino e protagonismo negro seja debatido em séries, quadrinhos, filmes livros. Principalmente quando esse universo abrange fãs de crianças a adultos.

    Eu fiquei muito feliz em ver um negro e uma mulher a frente do filme de Star Wars, e também amei a possibilidade de ter um personagem gay na história. agora com Animais Fantásticos provavelmente veremos o Dumbledore mais novo e consequentemente será melhor falado sobre ele ser gay (espero que não mudem isso). E ultimamente muita gente está vindo a público pra deixar claro de uma vez por todas que tal personagem é lgbt como por exemplo a mulher maravilha ser bi, o que pra mim sempre foi obvio a final ela cresceu numa ilha cheia de mulheres.

    Gotham está entrando nesse mundo onde não se tem mais medo de explorar a sexualidade dos personagens. É lindo o romance do Pinguim e do Charada, os atores têm uma química excelente e espero que role. E pra quem não gosta da história: vale lembrar que é uma adaptação e que adaptações não devem/precisam ser iguais ao original

    Ótimo texto 🙂

    • Anderson Narciso
      Anderson Narciso 11 novembro, 2016 at 08:23 Responder

      Oi Juk, muitíssimo obrigado pelo comentário. Sim, concordo demais. O empoderamento feminino, inclusive, tem sido bem explorado. Acho demais.

      Ótimos apontamentos, também fiquei super feliz de ver um negro protagonista em Star Wars e todo esse espaço que o LGBT vem conquistando.

      Gotham entrou neste território, desde a Barbara, mas foi mal explorado. Colocar agora dois personagens chaves é arriscado, mas espero que trabalhem bem. Porque a série sofre deste mal de, as vezes, conduzir algumas histórias de forma “porca”. Vamos torcer…

      Obrigado mais uma vez pelo comentário 🙂

      • Avatar
        Rodrigo 14 novembro, 2016 at 10:39 Responder

        Rsrsrs… eu já assisti, mas penso nos outros também! Penso que não custa o cuidado nesse tipo de matéria. Por exemplo: trocar ‘O romance’ por ‘A relação’ chamaria atenção de quem sabe qual ‘relação’ está sendo desenvolvida e deixaria espaço pra quem ainda não está bem situado na nova temporada… mas tudo bem, fazer o quê?
        A instabilidade da série me ‘preocupa’ muito mais… Vamos torcer pra acharem o caminho o quanto antes!

    • Anderson Narciso
      Anderson Narciso 11 novembro, 2016 at 08:21 Responder

      Rodrigo, não tem spoiler. Até porque nada aconteceu ainda. Agora, a terceira temporada estreou nos Estados Unidos já tem dois meses. Fica um pouco complicado não trabalhar estes assuntos.

      Não tem spoiler na chamada. Só tem fatos que não tem como “não discutir”. 😉

  2. Avatar
    Diogo Azis 10 novembro, 2016 at 21:32 Responder

    Larguei na segunda temporada pois a história não me pegou. Mas fiquei feliz quando vi essa hipótese do romance deles. E espero que não seja só para “encher linguiça” e sim agregue para a história.

    • Anderson Narciso
      Anderson Narciso 11 novembro, 2016 at 08:20 Responder

      Diogo, a segunda temporada foi a melhor. E sim, é o que disse: se a história tiver um propósito, é fantástico trabalhar essa possibilidade de um romance entre o Pinguim e o Charada. Vamos ver…

Post a new comment