Once Upon a Time – 4×08/09 – Smash the Mirror

232744

Continua após as recomendações

Qual a produção que tem a capacidade e audácia em produzir um episódio especial de duas horas nos dias atuais? Pouquíssimas. Mas a pergunta correta seria: qual produção desperdiça um episódio com tal magnitude como Once Upon a Time? Sim, muitos devem estar se perguntando o que tenho em mente ao escrever tal pergunta ou se estou sob efeitos de drogas alucinógenas, o que não estou. O que tenho, e irei descrever, é decepção por uma oportunidade mal aproveitada, pela apresentação de um ritmo contínuo e o não desenvolvimento do núcleo convidado. Até o presente momento espero o desenvolvimento de Elsa, Anna e Kristoff, o que fica cada vez mais visível de acontecer, e a explicação de fatos coerentes com o mesmo. A série de contos de fadas da ABC teve a oportunidade do ano, quiçá do século, em fazer algo que enchesse os olhos de fãs e a aclamasse como uma das melhores produções atuais do gênero. Porém, a situação é um pouco contrária.

Admito que tudo isso é uma opinião pessoal e que há pessoas que amaram o episódio, diferentemente de mim. Posso estar me equivocando e não entendendo o real motivo da temporada, o que começo a compreender. Mas ainda assim, sabendo da importância de Ingrid e de suas intenções, do desenvolvimento das histórias de Emma e, mais importante, o desenrolar do happy ending de Regina, o núcleo de Frozen permanece estático, sem grandes mudanças ou histórias que envolvam as irmãs de Arandelle. Óbvio que temos a participação das duas, ou de uma, em momentos importantes para a trama, como a intervenção de Elsa nos problemas envolvendo Emma no episódio. Mas elas não deveriam ter uma importância maior? Concordemos que a procura por Anna não está ocorrendo, já que a história da irmã mais nova envolve  a Rainha Leiteira e tudo está sendo narrado através de flashbacks. A participação efetiva de Elsa e companhia é mínima, se é que exista. É doloroso, inadmissível e incompreensível o desperdício de personagens.

Continua após a publicidade

É difícil de aceitar, principalmente de expor, um sentimento tão contraditório a tudo que venho falando, mas compreendo que o foco da atual fase é Ingrid. Compreendo que tudo está conectado a ela e ao seu desejo de construir a família perfeita. Mas ainda assim, dentro dessa perspectiva, não teria uma maneira de melhor trabalhar os personagens convidados? Não poderia existir outra história por trás de tudo isso, dando destaque a todos? Pode até ser que exista tal solução, mas para ser aplicada no momento atual da produção é quase impossível. Apenas me resta aguardar e ver como tudo vai terminar, implorando para que termine com coerência.

Once-Upon-a-Time-Saison-4-Épisode-8-1

Entretanto, a tristeza de ver personagens convidados serem mal aproveitados é substituída pela alegria de ver personagens fixo tomando o rumo necessário e tendo o desenvolvimento mais que agradável. Não me refiro exclusivamente à relação de Regina, mas essa é a principal. Ver a Evil Queen finalmente conquistando o caminho da felicidade, encontrando provas de que nem sempre o destino é pré determinado e, mais importante, tendo esperança de algo de bom acontecer na sua vida é o presente para qualquer fã da série. Afinal, a felicidade na vida da personagem sempre foi limitada e é chegado o momento em que é necessário que ela seja “feliz para sempre”, ou por um longo período. Mas vamos lembrar que: ela não pode perder, de maneira alguma, seu lado Evil de ser. Não digo para ela continuar a fazer crueldade, mas que sempre aquelas piadas sarcásticas, aquele olhar que só ela possui não desapareça.

Lembremos também de Emma, personagem que aos poucos vai apresentando as características de uma verdadeira Salvadora. As angústias por não obter o controle de seus poderes, o temor na possibilidade de machucar alguém próximo a si… Tudo que já foi narrado com as “vilãs” ou com pessoas dominadores de magia. Emma entra agora em um nível avançado, em que retroceder é inimaginável e que determinadas posturas devem ser tomadas. Ela não pode mais ser aquela “iniciante”, nem demonstrar uma confiança muito grande. Ela precisa ser a pessoa que é!

Finalizando…

  • Ainda procurando a importância de Will na trama;
  • Começando a acreditar de que o escritor do livro é o Feiticeiro.

2 comentários

Adicione o seu
  1. Avatar
    Ana Beatriz Lessa Nascimento 29 novembro, 2014 at 03:11 Responder

    Concordo totalmente com sua opinião! Tou sentindo muita falta da procura por Anna e essa temporada não está tão envolvente quanto as outras, infelizmente.. eu esperava mais!

  2. Avatar
    Ana Beatriz Lessa Nascimento 29 novembro, 2014 at 03:11 Responder

    Concordo totalmente com sua opinião! Tou sentindo muita falta da procura por Anna e essa temporada não está tão envolvente quanto as outras, infelizmente.. eu esperava mais!

Post a new comment