Once Upon a Time – 6×11 – Tougher Than the Rest

Imagem: Banco de Séries

Depois de quase três meses de hiatus e um final instigante, OUAT retorna às suas atividades normais. Com um episódio não tão especial, mas que trouxe de volta sentimentos de amor e ódio divididos pelos fãs. As decisões dos produtores me fazem pensar até onde eles estão dispostos a ir com essa enrolação. Quando analiso aquelas primeiras temporadas, onde tudo era mais simples e divertido, tenho um sentimento de eternas saudades. Sei que é muito difícil para uma série construir plots de mesmo nível durante toda sua duração. Contudo, esperava um pouco mais de OUAT e agora não sei se vejo tantas esperanças no futuro da série.

Emma como Salvadora sempre foi um dos pontos altos da série. Mas isso se dava porque ela tinha apenas um título e utilizava de suas habilidades para ajudar os outros. Quando resolveram transformar isso em um plot pessoal, aí as coisas realmente desandaram. A adesão a essa temporada não é das melhores. Desgastaram grandes personagens, com a trama de Agrabah, para colocá-los em segunda instância. E apesar de termos um incrível vilão com a chegada de Gideon, isso ainda não foi o suficiente. Uma personagem que sempre foi sinônimo de empoderamento, agora se vê arriscada a perder tudo e todos por conta de um título. Realmente não sei o porquê disso, só sei que não vejo um futuro satisfatório para esse plot.

Continua após a publicidade

Imagem: Banco de Séries

“Tougher Than The Rest” acerta em cheio no âmbito da comédia, mas tem escolhas arriscadas. A abordagem do mundo paralelo continuou sendo muito bem feita e nos proporcionou uma noção de como a história seria um tédio se o bem finalmente vencesse. A adição do Drunk Hook me lembrou muito as atuações de Jim Carrey, com suas fantasias mirabolantes e ar de comicidade. Mas como nem tudo são flores, o mundo paralelo nos traz de volta Robin. Uma escolha acirrada, pois ele não é o mesmo por quem Regina se apaixonou. Se fosse pra voltar com o personagem, não teriam feito a burrada de matá-lo no começo. Hoje vejo que a premissa de sua morte foi toda embasada no retorno das EQ. Escolha arriscada com consequências árduas para a série, mas que pode deslanchar em um plot interessante se souberem trabalhar esse “novo” personagem.

O que o episódio trouxe de melhor foi ver Pinóquio mais uma vez. O personagem sempre me passa uma aura boa quando está em cena. Gostaria de tê-lo mais por aqui e que ele alavancasse mais com seu plot pessoal. Espero que esse retorno possa indicar cada vez mais aparições deste incrível personagem. Foi interessante ver que, mesmo com as burradas do passado, ele nunca deixou de se preocupar com Emma. Ele foi um dos grandes responsáveis por tornar ela a pessoa que é hoje, apesar de se encontrar totalmente abalada. Se o personagem permanecer, talvez ele possa balancear um pouco as coisas deste arranjo confuso e louco, e trazer mais sentido à história.

Podemos dizer que foi um retorno mediano. Sofremos sim com o impacto do retorno de Robin, mas eu esperava me empolgar mais. Já em dezembro eu acreditava que o personagem pudesse retornar à Storybrooke, mas ainda não estou depositando minhas esperanças neste retorno. O trabalho feito em cima do personagem deve ser incrível para que faça valer a pena trazer a felicidade de Regina. E você, o que achou?? Continue acompanhando o Mix para mais novidades e nos vemos semana que vem. Até lá.

Lucas Franco

Lucas Franco

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.

No comments

Add yours