Once Upon a TIme – 6×14 – Page 23

Imagem: Banco de Séries

Hoje a review tem um que especial. Além de comentar o episódio, devo tirar um ou dois parágrafos para enaltecer a atuação de Lana Parilla. Que atriz violenta meus amigos. Ela não precisa de palavras para demonstrar sua posição e sentimento. O duelo contra sua metade foi um dos ápices do episódio e trouxe um sentimento perdido há muito tempo por entre a série. Once Upon a Time já vem se arrastando por um bom tempo, mas personagens como Regina seguram tudo nas costas. Quando paramos para analisar sua evolução com o tempo, percebemos como a atriz conseguiu puxar o sentimento de protagonista e fazer da série sua.

Continua após a publicidade

Imagem: Banco de Séries

Dentre tantos momentos interessantes, seus flashbacks falaram mais do que toda a atuação de Emma. A reação da EQ ao saber que ela era sua maior inimiga foi impagável. A personagem viveu uma vida miserável por conta dos atos de sua mãe e compactuou com esse estilo de vida. Contudo, como um bom personagem, todos tem um lado que fala mais alto. No decorrer de seis temporadas, o perdão a si mesmo e a força de vontade tornaram Regina a grande personagem que é. Mas até os piores seres da alma merecem uma segunda chance e a rainha foi atrás de sua felicidade maquiavélica.

Quando falo bem de uma personagem é porque temos como comparar evoluções no seriado. Emma é uma grande decepção e quase nunca muda. A cena que ela descobre sobre o passado de Hook, de como ele matou seu avô, foi uma das mais mal feitas da história. A personagem se preocupava mais com o fato dele não acreditar no perdão do que com sua ação. E a maneira com que ela descobre também não foi muito bem pensada. Aconteceu naturalmente sem nenhum momento de tensão e a expressão facial da personagem estava estática.

Exatamente por ver o shipp que melhor se desenvolveu durante as temporadas nessa situação que posso afirmar com todas as letras: os produtores não se preocupam mais com Emma. A personagem sofre desde que a conhecemos, mas já teve tantos altos e baixos que nem me surpreendo. Já ficou isolada, já foi protagonista, já passou episódios sem aparecer… Tudo isso evidência ainda mais que a história se inverteu. Os produtores tem a capacidade de retomar as rédeas da série, mas por algum motivo, sempre peçam por falta de incentivo.

Ver o arrependimento de Hook no final ainda criou esperanças para um futuro digno do casal. Sua conversa com Snow no meio da neve branca – sacaram a referência? – foi​ uma jogada imaginada. O trabalho feito em cima de conversas inesperadas traz um sentimento de surpresa para com as cenas. Tudo estava caminhando bem quando Gideon resolveu brincar de criança levada e confundir as coisas. O vilão tem potencial mas é destruído pelo ódio de suas ações.

Espero que esta reta final seja crucial para o caminho de um fim da série. OUAT teve seu momento de glória mas já passa por momentos turbulentos e deve ser endireitada.

E vocês, o que acharam do episódio? Continuem acompanhando as reviews e novidades da série aqui no Mix e nos vemos na próxima semana. Até lá!

Lucas Franco

Lucas Franco

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.

No comments

Add yours