Once Upon a Time – 6×21/6×22 – The Final Battle [SEASON FINALE]

Imagem: Youtube/Reprodução

“When Good and Evil both did the right thing, faith was restored. The Final Battle was won.”

Após alguns dias, eu ainda estou tentando processar este final. Porque realmente, para quem acompanhou por seis anos essa grande jornada de altos e baixos, não é fácil se despedir. Mas nós bem que tentamos. Acredito que palavras serão pouco para descrever todo o sentimento que envolve estes dois últimos episódios.

No meio de despedidas e reencontros, podemos ter a certeza que o clima de Series Finale foi instalado com sucesso. Mas é basicamente o que os produtores propuseram e conseguiram realizar, muito bem por sinal. A série encerra um ciclo de maneira inacreditável e traz uma nova temporada para definitivamente acertar as contas. Pode ser que flope? Sim. Mas estarei lá, pois realmente me encantei com suas propostas. Agora chega de falação e vamos ao que interessa.

A primeira metade desse grande desfecho trouxe a tona tudo que nos fez apaixonar por OUAT. Já na recapitulação inicial, eu me sentia entusiasmado com o que vinha por aí. Conseguiram abordar muito bem o relacionamento de Henry e Emma e as consequências do não acreditar para todo o universo mágico. A maldição foi instalada e nossos personagens separados. Fiona não chegou aos pés de Regina Mills na primeira temporada mas quase seu posto como prefeita vilã de Storybrooke. A personagem trouxe uma força para este último episódio que deixou sua marca de maneira exemplar na série.

Continua após a publicidade

Basicamente ficamos assim. Henry ainda possuía suas memórias graças a sua posição dentro da série e fez de tudo para que sua mãe se lembrasse das coisas que já viver na cidade. Na Floresta Encantada, os nossos heróis passavam por momentos turbulentos para tentar voltar a Storybrooke e reativar as memórias de Emma. Tudo muito angustiante, o episódio trouxe um impacto muito grande que nos preparou para a grande final. Contudo, já no início, somos apresentados a novos personagens. Acredito que você já saiba de quem eu estou falando, mas vamos deixar suas menções para daqui a alguns parágrafos.

Livro destruído e calamidades a seguir, nossos personagens enfrentam seus maiores desafios para tentar sobreviver. O trabalho de Lana Parrilla sempre é comentado durante as minhas reviews, mas dessa vez eu a vi de uma maneira exemplar em cena. Agradeço todos os dias por saber que ela continuará conosco na próxima temporada – provavelmente salvando a maior parte dela. Resta saber em qual forma de personagem nossa atriz continuará a brilhar. Mas ainda assim, o diálogo dela com sua outra metade me fez encher de orgulho. Fico feliz em saber que ambas as partes conseguiram sua felicidade, mesmo depois de tudo que viveram juntas. Once Upon a Time nos dando uma incrível lição de como trabalhar seu espírito e viver bem consigo mesmo. Obrigado, OUAT !😀

Outra menção super honrosa que devo fazer aqui é ao nosso digníssimo Robert Carlyle. Ao lado de Parrila e O’Donoghue (Hook), ele estará ajudando a estruturar as bases da próxima temporada. Rumple sempre foi um mediador nos tempos de crise. Por mais que o sentimento de amor/ódio fosse constante as custas do personagens, sempre adorei aquele jeito insano de sua versão encantada. Foi interessante ver o personagem tomar a decisão correta duplamente em um mesmo episódio. Pela primeira vez ele realmente abriu mão de tudo que sonhava pelo bem dos outros. Isso sim, podemos chamar de altruísmo. Ainda assim, fico ansioso em ver como Kitsis e Horowitz vão trabalhar com estes personagens sem seus grandes amores. Nos resta aguardar.

Imagem: Youtube/Reprodução

A Batalha Final chegou e veio com milhões de metáforas interessantes. Colocar a alma de Emma como ponto chave foi uma jogada interessante de ideias, mas não afastou a necessidade de doar sua vida em prol daqueles que ama. A cena de sua “morte”, me lembrou bem vagamente a cena de Harry Potter, quando o garoto abdica de sua vida para destruir a última Horcrux. Voltando à nossa trama, achei a luta um pouco corrida. Mas ainda assim, o importante veio depois. O discurso de Snow casou certamente com a despedida da série e deu para ver no olhar de muitos o quanto estavam emocionados. Como ela mesmo disse: “Agora temos que continuar. Continuar fazendo o que amamos com as pessoas que amamos. Um final não é uma felicidade. Estar juntos é”. Se isso não foi uma gigantesca despedida, eu nem sei mais o que é.

E ao final, tudo se restaurou. Os contos tiveram seus esperados finais felizes. Todos os reinos viviam em harmonia. Certo? Bom, pelo menos por alguns anos. Agora chegou a hora de falar daquela cena comentada logo acima. Não sei bem se entendi certo, mas Henry parece que viveu na Floresta Encantada alguns anos depois de nossa despedida. Casou-se, teve uma filha… Mas ainda assim, as forças do mal não pararam por aí. Um capítulo acaba de ser encerrado e um novo dá-se início logo após.

A cena final, muito bem encaixada, traz um recomeço para a série. Espero que, mesmo com um formato semelhante, saibam administrar bem essa provável última temporada e que tragam a essência de OUAT para as cenas. Sentimento este, que foi tão bem representado durante todo este ano.

Mas é isso aí, pessoas. Foi muito bom estar com vocês em uma temporada tão eclética e decisiva para essa série. Espero que vocês tenham gostado tanto quanto eu e que continuem acompanhando as notícias e reviews aqui do Mix. Aguardo vocês no retorno ao final deste ano e vamos torcer juntos para que venham com um trabalho exemplar que possa amarrar tudo que ainda está pendente na série. OUAT teve seu grande desfecho, mas sempre teremos um gostinho de quero mais… Um abraço e até a próxima temporada! 😀

PS: Só um pequeno adendo após terminar este texto. Não dei uma ênfase interessante a Guideon nessa review, mas o personagem também merece grandes aplausos pela sua interpretação durante a temporada. Afinal, ele foi responsável por grandes plots twists durante estes 22 episódios… Agora sim, até mais!

Lucas Franco

Lucas Franco

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.

3 comments

Add yours
  1. Avatar
    Juk 22 maio, 2017 at 21:02 Responder

    Estou na dúvida se vou continuar vendo a série. Foi um ótimo fim em meio a uma temporada turbulenta como essa. Talvez eu veja o primeiro episódio pra ter certeza ou nem, sei lá.
    Ótima review 🙂
    PS: só eu fiquei assustada ao perceber o quanto o Henry cresceu ao longo das temporadas? meu deus.

    • Lucas Franco
      Lucas Franco 22 maio, 2017 at 23:11 Responder

      Olá Juk!! Eu realmente criei boas expectativas com a próxima temporada. Só espero realmente que não se baseiem tanto no plot de Emma e Henry!!

      Falando nisso, ele realmente cresceu demais. A puberdade atingiu o ator em cheio. Já tinha percebido isso a umas duas temporadas, quando ele teve um estirão kkkkk

      Acredito que o episódio será condizente com o que está sendo proposto. Obrigado pelo elogio à review!! <3

Post a new comment