Only Murders in the Building é ótima série de mistério e comédia

Nova série que chegou ao Brasil pelo Star+ é deliciosa.

Only Murders in the Building

Crimes e investigações estão em alta hoje em dia. Livros, filmes, séries, podcasts povoam a cultura pop, trazendo mistérios novos e antigos. O true crime, como se diz, tem conquistado cada vez mais fãs. Não é à toa que o catálogo das plataformas de streaming está tomado de documentários e ficções sobre serial killers e incidentes violentos e/ou misteriosos. O público é ávido pelo assunto, talvez pelo mesmo motivo que é viciado no gênero do horror. Acompanhar os assassinos por áudio, vídeo e palavras é seguro, traz uma sensação de que os vilões vivem só na esfera da narrativa, e não na realidade. A não ser que um crime que ocorra no seu prédio. É o que Only Murders in the Building traz à tona.

Continua após publicidade

A série da Hulu, que chega ao Brasil no recém-lançado Star Plus, traz Selena Gomez, Steve Martin e Martin Short em uma deliciosa comédia criminal. Only Murders in the the Building é leve e inofensiva como um chá das cinco, e divertida como um jantar entre amigos. Na trama, três moradores de um prédio em Nova York se unem para investigar um assassinato que ocorreu dentro do edifício. Viciados em true crime, o trio improvável decide ir atrás das pistas e montar o seu próprio podcast.

Continua após a publicidade

Passado e segredos dos protagonistas movem a trama

Nesta perspectiva, Only Murders está mais para Entre Facas e Segredos e Um Misterioso Assassinato em Manhattan, de Woody Allen, do que Mindhunter. Criada por Steve Martin, a série traz as abordagens típicas do ator e roteirista. Esperta, mas sem se levar a sério, o show carrega no humor e jamais esquece de desenvolver seus personagens centrais. Assim, não se assuste ao ver, entre uma pista e uma piada, as dificuldades financeiras enfrentadas por Oliver.

Continua após publicidade

Vale apontar, ainda, que os três protagonistas têm muito a esconder e mostrar. Mabel parece a mais misteriosa, com um grande passado a esconder. Savage, por outro lado, é um ator fracassado que parece viver na ficção, mesmo que não tenha um papel há anos.

Neste ponto, Only Murders in the Building faz a notável artimanha de fazer o público se interessar mais pelo passado e segredos dos investigadores do que pelo crime em si. Por que Savage usa diálogos de sua antiga série de TV, enquanto conversa com os novos amigos? É mais intrigante do que a presença de um gato na cena do crime.

Continua após publicidade

Elenco, que conta com Selena Gomez, é ótimo

E se nos envolvemos nos mistérios é porque o elenco é irrepreensível. Selena Gomez está confortável e em um de seus trabalhos mais redondos. Steve Martin, por outro lado, retorna aos holofotes com o carisma de sempre. Short, por sua vez, rouba a cena como o debochado Oliver. Juntos, o trio poderia protagonizar diversas temporadas, enquanto investigam crimes. Completamente amadores, o grupo faz rir e vibrar por não saber o que fazer, mas por fazer mesmo assim, e muitas vezes de forma competente.

Leia também: La Casa de Papel: parte 5 é mais do mesmo, ou seja, ruim

Com três episódios lançados, Only Murders in the Building promete ser uma diversão semanal. Bebendo nas fontes de Agatha Christie e Sir Arthur Conan Doyle, a série traz o clássico “quem matou?” com boas doses de modernismo. No processo, constrói personagens multifacetados. Oliver é piadista, mas talvez seja o mais trágico dos três. Savage, por outro lado, parece nostálgico, mas também perigoso. Já Mabel, embora pareça falsa, talvez seja a mais frágil do grupo.

Assim, Only Murders in the Building surge como um comédia de mistério com importantes temperos dramáticos. Com isso, nos mostra que ainda é possível fazer comédia rápida e engraçada com uma forte mitologia por trás, com capítulos interconectados e bem embasados. Ao lado de What We do in the Shadows, que recém-retornou para uma terceira temporada, Only Murders pode ser um dos melhores risos da TV este ano.

Nota: 4/5