O Senhor dos Anéis: Os Anéis de Poder vai ser diferente do livro

Buscando verossimilhança entre Os Anéis de Poder e o livro? Esse detalhe vai fazer você pensar duas vezes.

The Rings Of Power, Os Anéis do Poder
Imagem: Vanity Fair / Dvulgação

Desde quando a Amazon Prime Video anunciou a compra dos direitos das obras de J. R. R. Tolkien, algo em torno de incríveis 250 milhões de dólares, a série baseada nos livros de O Senhor dos Anéis é cercada de mistério. Com as gravações concluídas na Nova Zelândia, o serviço de streaming começa, finalmente, a divulgar algumas informações referentes ao que vem por aí. Contudo, os fãs que buscarão verossimilhança com os livros, temos más notícias. Há um aspecto em particular que será bem diferente.

Continua após publicidade

Situado centenas de anos antes dos eventos da trilogia de O Senhor dos Anéis, Os Anéis de Poder é baseado na descrição de Tolkien sobre a terra média da Segunda Era. Para quem não lembra, é a maior de toda as eras. Tais informações estão nos apêndices dos livros. Áreas que leitores normais não dão muita bola, mas que os fãs tratam com o mesmo entusiasmo e adoração da obra principal. Sendo assim, os roteiristas da série da Amazon tenderão a respeitar esse amor.

O problema é que, ainda de acordo com a visão de Tolkien, Os Anéis do Poder demoram milênios (isso mesmo, milênios) para se desenvolver. Por isso, os criadores ‘condensaram’ os eventos para que coubessem numa única geração. “Nós conversamos com o espólio de Tolkien,” disse o showrunner J.D. Payne para Vanity Fair. “Se fôssemos fiéis a cada página e palavra, teríamos que contar outra história,” afirma o produtor.

Continua após publicidade
The Rings Of Power, Os Anéis do Poder
Imagem: Vanity Fair / Dvulgação

A necessidade da estratégia de O Senhor dos Anéis

Ele ainda justifica a estratégia de ‘condensação’ na melhor condução criativa da história. “Teríamos que matar a maioria dos nossos personagens humanos em todas as temporadas, afinal os avanços temporais são de 200 anos. Sendo assim, não estaríamos focando em personagens grandes e importantes, pelo menos, até a quarta temporada,” concluiu.

Leia também: O Senhor dos Anéis no Amazon pode arrumar erro dos filmes…

É importante que os fãs saibam o que esperar. Bem porque não será um documentário sobre a terra média que os fãs deveriam esperar. Payne e Patrick McKay, o outro showrunner da série, garantem que a série continuará fiel aos temas, sentimentos e propostas de Tolkien. Basta saber se isso será suficiente para os fãs, não é mesmo?

The Rings Of Power, Os Anéis do Poder
Imagem: Vanity Fair / Dvulgação

O que ainda vem por aí?

Na mesma reportagem da Vanity Fair, os criadores deram mais algumas dicas do que vem por aí. No que diz respeito aos Elfos, por exemplo, a grande Galadriel (Morfydd Clark), é descrita como uma guerreira, raivosa, impetuosa e sábia. Contraste com a versão mais madura da personagem, vivida por Cate Blanchett no cinema.

Continua após publicidade

Já o jovem Elrond, vivido por Robert Aramayo, terá a sua ascensão ao poder na capital élfica de Lindon mostrada na série. O líder foi interpretado por Hugo Weaving na trilogia clássica, e já tinha sua autoridade consolidada. O ferreiro élfico Celebrimor, interpretado por Charles Edwards, também estará na série. Assim, fica claro que veremos suas brilhantes criações que misturam metal e magia — e que posteriormente resultou na forja dos grandes anéis.

Outro personagem élfico que ganhará destaque é Arondir, criado especialmente para a série, que será vivido por Ismael Cruz Córdova. O jovem elfo viverá um romance proibido com a curandeira humana Bronwyn (Nazanin Boniadi). Como os fãs já podem ter imaginado, a relação dos dois cria um paralelo com a história de Aragorn e Éowyn.

Meu nome é Bernardo Vieira, sou catarinense e tenho 24 anos. Sou bacharel em direito, jornalista e empreendedor digital. Escrevo no Mix de Séries desde janeiro de 2016. Sou responsável pelas colunas de audiência e Spoiler Alert, além de cuidar da editoria de premiações e participar da pauta de notícias. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.