Os bastidores de Will & Grace: curiosidades por trás das câmeras

Will & Grace (1)

Imagem: Out

 

Na última vez que publicamos essa coluna, trouxemos a você uma série de curiosidades sobre os bastidores de Friends. Numa das pontuações, mencionamos que Will & Grace foi pioneira em trazer personagens homossexuais e discutir o tema na televisão americana. Durante esse intervalo de tempo, a apresentadora Ellen DeGeneres recebeu uma Medalha da Liberdade, maior honraria da Presidência dos Estados Unidos para um civil, em que Barack Obama fez uma série de elogios à personalidade e sua contribuição à comunidade LGBT.

Exatamente por isso, decidimos que seria necessário e apropriado dedicar a coluna desta semana a Will & Grace, exibida pela NBC de 1998 até 2006, a série é até hoje alvo de uma série de boatos e uma grande expectativa em torno de um possível revival. Entretanto, pontua-se que além de ter promovido muitas mudanças na sociedade americana com os temas abordados, a comédia também foi responsável por alavancar as carreiras de Debra Messing, Erick McCormack, Megan Mullally e Sean Hayes.

Continua após a publicidade

Indicada a 27, repito, 27 Globos de Ouro entre 2000 e 2004, Will & Grace venceu 16 Emmys, incluindo Melhor Série de Comédia em 2000, Melhor Ator em Série de Comédia em 2001 para Erick McCormack e Melhor Atriz em Série de Comédia para Debra Messing.

Pioneira

Durante a campanha presidencial de 2012, o Vice-Presidente Joe Biden foi ao programa Meet The Press, da NBC, para falar justamente sobre o casamento entre pessoas do mesmo sexo, visto que ainda naquele ano, apesar dos candidatos serem mais liberais no assunto do que em qualquer outra campanha, ainda era descrito como um “problema social”. Quando perguntado sobre o apoio do então candidato à reeleição Barack Obama faria para apoiar a união entre homossexuais.

Joe Biden disse que quando as coisas começaram com a mudança social que teve início em Will & Grace, que fez mais para educar os americanos, do que qualquer coisa que alguém jamais fizera sobre o assunto. Dias depois, Debra e Erick foram entrevistados pelo então âncora da CNN, Piers Morgan, e quando perguntados sobre as palavras do Vice Presidente, a atriz disse que estava assistindo ao vivo a atração e que começou a chorar após escutar as palavras de Biden sobre a série.

[youtube] https://www.youtube.com/watch?v=L8gWKzK1BBM [/youtube]

“Hétero Demais”

PicMonkey Collage

Imagem: Mix de Séries

John Barrowman, de Arrow Legends of Tomorrow, foi a primeira escolha para interpretar Will, mas ele acabou perdendo o papel por ser considerado “hétero demais” para o personagem, fazendo com que o papel ficasse com a segunda opção da produção, Eric McCormack. O mais irônico de toda essa situação, é que na vida real, Barrowman é gay, enquanto McCormack é heterossexual.

Entre o tom e o personagem certo

Megan Mullally originalmente usou sua voz normal no piloto. Ela começou a atuar com seu emblemático tom nasal a partir do segundo episódio da primeira temporada. Antes disso, vale lembrar, a atriz poderia nem ter participado da comédia. Isso porque ela recebeu a oferta para interpretar Carrie em The King of Queens (de 1998). Porém, por um motivo ainda desconhecido, ela recusou e acabou dando preferência a Karen, que lhe rendeu dois Emmys e quatro indicações ao Globo de Ouro.

Karen: The Musical

Megan Mullally

Imagem: London Theatre News and Reviews

Megan Mullally desenvolveu um musical para a Broadway sobre sua personagem na série, batizado de Karen: The Musical. A peça exploraria a rivalidade entre Karen Walker e Beverly Leslie, em que sua intérprete Leslie Jordan, participaria também. Mullally conseguiu garantir os direitos autorais do papel junto a NBC, com apoio garantindo da Fox Theatricals, além de ter contratado um diretor e um compositor para o show. Porque nada foi em frente? Certos detentores dos direitos de Karen Walker, retiraram a liberação que seriam usados pela produção.

Marcados na história

WASHINGTON - APRIL 12, 2015: The National Museum of Natural History in DC.

Fachada do Museu Nacional da História Americana Imagem: Capitol Hill

O Museu Nacional da História Americana exibe alguns materiais do show como parte da ala dedicada a história da comunidade LGBT dos Estados Unidos. Reunindo roteiros originais, ideias do próprio elenco, referências políticas feitas pela comédia e mobília usada durante toda a série até seu Series Finale, além de adereços e acessórios doados pela própria NBC, como uma placa do Grace Adler Interior Design, o diploma universitário de Will Truman, a pintura de um jovem presente no apartamento de Will e Grace e muitos outros estão todos no museu.

Audiência

Friends (1)

Imagem: Let The Pages Reign

Exibida numa época em que as comédias da televisão americana atraíam, com muita facilidade, mais de dez milhões de telespectadores, Will & Grace registrou números impressionantes no seu Series Finale em 2006. O show tornou-se um dos maiores sucessos na TV norte-americana, ficando no top vinte durante todas as suas primeiras quatro temporadas, incluindo um número nove no primeiro ano. De 2001-2005, Will & Grace foi a sitcom de maior sucesso no demo de público alvo até começar a ser deixada para trás por Friends durante 2003-2004.

I’m With Her

Como disse no parágrafo introdutório, já foram vários os boatos que um dia Will & Grace iria retornar para quem sabe fazer um filme ou até mesmo um especial. Em 2016, a internet foi virada de cabeça para baixo quando informações, de fontes confiáveis, começaram a garantir que de fato, a comédia voltaria de alguma forma. Logo depois, os telespectadores e órfãos entenderam o que tudo aquilo significa: um vídeo feito justamente para causar clamor, mas por outro motivo – incentivar as pessoas a se registrarem para votar, mais especificamente em Hillary Clinton, candidata abraçada com muita força por Debra Messing.

 

[youtube] https://www.youtube.com/watch?v=jzae4DKexko [/youtube]

Avatar

Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

No comments

Add yours