Outcast – 2×08 – Mercy

Imagem: YouTube/Reprodução
Imagem: YouTube/Reprodução

[spacer height=”20px”]

Continua após publicidade

Em um clima de tranquilidade, trazem até nós mais um episódio que caminha com as próprias pernas. Novamente tivemos um dinamismo interessante, mas nada surpreendente. Finalmente, as coisas parecem evoluir e as explicações estão mais próximas do que podemos imaginar. Com a reativação de antigos personagens para a trama e mudanças radicais no contexto de superioridade, tudo se encaminha ao final. A dois episódios de descobrirmos um pouco mais sobre a grande fusão, tudo conflui para um termo em comum: Kyle não está sozinho neste mundo. A presença de outros Outcast’s floreia ainda mais o seriado.

Continua após a publicidade

Falando no nosso protagonista, ele esteve mais contido nesta semana. Claro que seu plot com Sidney não poderia ficar parado depois dos acontecimentos da última semana. Foi impressionante a forma com que o Reverendo se vingou lindamente do vilão. Kyle ainda está meio leigo em todo o conceito de possessão e rituais, mas percebe-se que alguns acontecimentos esclarecidos do passado vem trazendo mais informações ao nosso herói. Ainda quero ver a relação dele com o pai, agora que tivemos a confirmação do seu aparecimento na série (ou pelo menos é o que parece).

Continua após publicidade
Imagem: YouTube/Reprodução

Não vou me conter ao falar da possível ascensão de um anti-cristo na série. E o mais chocante, isso pode estar crescendo dentro de Megan. Já percebemos que existe uma sensopercepção do bem e do mal por entre as pessoas ligadas a possessão. A parteira fez de tudo para induzir um aborto em Megan enquanto Blake protegia a personagem, ou seja, boa coisa ali não tem. Inclusive, esse foi outro ponto auge no seriado, o retorno de Blake. Para os que não se recordam, ele estava possuído na primeira temporada e Kyle não conseguiu realizar o exorcismo completo nele. Seu retorno foi bem impactante e trouxe grandes reviravoltas na série.

E não é que meu pensamento de Bonnie e Clyde sobre Giles e Rosie estava certo? Gostei de ver o casal em um pequeno confronto com Nunes, que realmente me impressionou com sua morte. O casal está aí para ajudar Kyle em sua luta diária. Quero ver um pouco mais de ação envolvendo o grupo nestes episódios finais. A ideia de Kyle de juntar as forças não possuídas da cidade para combater a grande Fusão é interessante. Quem sabe uma batalha final travada entre os moradores não pode fechar essa incrível segunda temporada?

Continua após publicidade

Ahhh e não podemos deixar de falar do louco e psicopata doutor da cidade. O personagem ganhou um destaque interessante e o ator deve glorificar de pé. Deve ser estranho ver seu personagem ganhar uma ponta de destaque e morrer logo em seguida, como aconteceu com Nunes. Mas o doutor está cada vez mais evidente na série e sua rixa com Sidney está bem intensa. Claro que todos devemos ter ficado espantados com o final, no momento que ele mata aquela mini-cúpula de possuídos e sai andando livremente como se nada tivesse acontecido. As definições de psicopatia foram atualizadas com sucesso.

O certo é: estamos chegando perto de um grande desfecho. O aparecimento do pai de Kyle vem para trazer ainda mais informações sobre a situação que a cidade de Roma vive. Provavelmente teremos um nono episódio mais explicativo para que o décimo encerre com grande maestria. Pelo menos é o que eu espero. Gostaria de ver como os tramites da família Barnes vão ser melhor explicados durante o decorrer destes próximos episódios. O jeito é aguardar mais duas semanas para descobrir tudo que está para acontecer.

E você? O que achou do episódio? Não deixe de acompanhar as reviews e notícias aqui no Mix e nos vemos na próxima semana! Até lá! 😀

Mineiro, Escorpiano, 20 Anos, Estudante de Medicina. Direto do Arkham Asylum para o Mix. Eterno fã de Chuck, E.R. e Friends (RIP). Por entre as madrugadas vive a dualidade dos estudos e das séries. No Mix, escreve as reviews de Quantico, The Good Doctor e Legends of Tomorrow.