Parenthood – 6×09 – Lean In

Parenthood

Continua após as recomendações

É, Parenthood conseguiu, finalmente, transmitir o efeito de farewell season em sua reta final. Em pleno episódio anterior ao hiato de fim de ano, a série introduziu dois dos principais assuntos da temporada à seu ápice e parou. Nos minutos finais do episódio, foi insinuado o que poderá vir a ser a resolução de duas das tramas centrais dessa sexta temporada, uma de forma positiva e a outra negativa. Mas o desfecho fica só pro ano que vem, sinto muito. Mas é disso que se alimentam os dramas, não? Da expectativa que fica entre um episódio e outro. E essa expectativa não poderia ter vindo em melhor hora para a série, e pior para o público. Expectativa pela continuação do que pode representar a volta definitiva de Julia e Joel e aflição pelo que pode vir a confirmar as suspeitas de morte de um dos Braverman, a quatro episódios do fim da série e com um hiato no meio? Causar desesperada ansiedade pelo próximo episódio: você está fazendo isso certo.

Então, Julia e Joel. No episódio anterior, a série cometeu o terrível equívoco de quebrar o cliffhanger do casal, os deixando de fora do episódio posterior àquele em que a situação foi iniciada. Entretanto, nesse o resgataram de forma a tornar a falha até perdoável. Relembrando o desenvolvimento da situação do casal durante essa temporada, me parece que a intenção foi transmitir através do roteiro a indecisão dos personagens. Isso de uma hora parecer que vão voltar, outra que não tem mais jeito, nos deixar conformados com o fim, depois indignados com ele, se adéqua exatamente à confusão que deve passar na cabeça de uma pessoa que vive esse dilema. Me ocorreu agora que todo o andamento desse drama nos fez sentir incluídos. Tanto que, no fim, prevaleceu em nós a impossibilidade de existir outro final que não com os dois juntos e, olha só, parece que eles chegaram à mesma conclusão. No início da temporada, quando Julia olhou para Chris a seu lado na cama e sua expressão parecia dizer “o que que eu estou fazendo?”, nós nos perguntamos o mesmo. Quando ela pensou haver um futuro com Chris e se conformou com essa possibilidade, nós pensamos o mesmo. Quando ambos disseram que queriam um desfecho, qualquer que fosse, nós queríamos o mesmo. E quando Joel disse que lutaria por ela, nós pensamos “sim, por favor”. Intencional ou não, mais uma vez, palmas para Parenthood por passar tal veracidade. E mesmo em um episódio que Julia se mostrou mais do que decidida pela separação, não teve jeito. Seria inconcebível outro final para esses dois e esperemos que mantenham essa decisão.

Continua após a publicidade

A participação de Mark foi “discreta”, em nada alterou o andamento da temporada, mas foi efetiva pela sensação de desfecho entre ele e Sarah e aliviou um pouco a estranheza com o relacionamento dela com Hank, que tinha um ar provisório e dava a impressão de não satisfazer Sarah por completo. Mas eis que Hank tinha a mesma desconfiança e nos fez o favor de questiona-la a respeito, tornando a situação um pouco melhor esclarecida e definitiva, então um drama a menos para esses últimos episódios. No entanto, o breve retorno de Mark reascendeu em muitos a preferência por ele como par de Sarah, já que afirmam ser inquestionável nas feições de ambos, que era ele quem deveria estar no lugar de Hank. Não discordo, é clara a maior química entre ela e Mark, mas esse triângulo já aconteceu, ela já optou por Hank, então que mantenham assim, afinal, não é de todo mal. Até aprendi a gostar de Hank, quando não inventam de torna-lo protagonista da série. Ah, sobre o resto do plot, Marie sendo Marie (me refiro à ex de Hank e sua personagem em Breaking Bad) e finalmente justificando minha empolgação com a presença dela na série. E, vejam só, o plot deles fica ótimo quando é Sarah quem tem a devida posição de destaque! Fica a dica para os próximos episódios.

Falando em dica, a ausência de Crosby também não foi de todo mal, então se quiserem cumprir o acordo contratual sempre dessa forma, não faço grande oposição. Mas sobre isso, tenho que admitir que me precipitei ao condenar certas decisões em relação a esse acordo nos episódios anteriores. Se a falta de alguns foi muito sentida nos respectivos episódios, essa falta seria muito mais prejudicial agora, na reta final. Então considerando a promo do próximo episódio, no qual toda a família aparece no hospital, percebo que isso só foi possível porque tais personagens já cumpriram (ou quase) a cota de faltas que lhes cabia, então a insatisfatória ausência anterior é agora compreensível.

E essa reunião no hospital, apesar do quanto queríamos ver a família reunida de novo, se dará na pior das circunstâncias. O episódio se encerrou com Zeek passando mal e pedindo à Camille para chamar uma ambulância. E com isso, voltamos à aflição dos primeiros episódios, com o que parecerá um remake do 9×03 “The Waiting Room”, o que nos deixa ainda mais aflitos, já que é difícil que eles retomem a mesma situação para que ela tenha o mesmo desfecho, por isso não consigo evitar esperar pelo pior. E acho que eu disse em algum momento que só com finais felizes é difícil que se finalize uma série sem o selo “novela das 9” de aprovação, então se optarem pela reconciliação de Julia e Joel, o que eu acredito e espero que façam, é plausível que descontem em Zeek para equilibrar e dar mais realismo ao encerramento da série.

Mas chega de suposições. Depois de um episódio denso e agradável, recuperando o alto nível, digno de Parenthood, que o anterior não conseguiu cumprir, só nos resta aguardar ansiosos por janeiro, ou sei lá quando decidirem retomar a temporada. Assim conclui-se que a série fez, sim, seu máximo para driblar as limitações contratuais que possibilitaram a realização dessa temporada, e esperamos que o desfecho da série se dê com a mesma competência, honrando a lindeza que sempre foi essa série.

2 comentários

Adicione o seu
  1. Anderson Narciso
    Anderson Narciso 19 dezembro, 2014 at 06:00 Responder

    Eita que episódio pra deixar o coração na mão. Fiquei com muita pena do Zeek no final viu?

    E Julia e Joel… Torcendo mto por eles!

  2. Anderson Narciso
    Anderson Narciso 19 dezembro, 2014 at 06:00 Responder

    Eita que episódio pra deixar o coração na mão. Fiquei com muita pena do Zeek no final viu?

    E Julia e Joel… Torcendo mto por eles!

Post a new comment

Tags Parenthood