Precisamos falar sobre… a adaptação de Flashpoint Paradox para a TV

Flash-Flashpoint

 

ESTE TEXTO CONTÉM SPOILERS DA SEGUNDA TEMPORADA DE THE FLASH

Quando a segunda temporada de The Flash terminou, aqueles que acompanham e são fãs de quadrinhos – ou tem o mínimo de conhecimento básico sobre o assunto – chegaram a seguinte conclusão: a história “Flashpoint Paradox” está vindo para a TV.

Para aqueles que ainda não conhecem, “Flashpoint” foi uma história escrita por Geoff Johns em 2011, que consistiu em um crossover no Universo DC, mostrando as consequências do Flash ter salvo sua mãe no passado, alterando assim toda uma linha temporal.

Agora com Nora Allen viva, e confirmado pelo protagonista Grant Gustin, a série de TV irá adaptar o arco. Com toda essa ansiedade, é claro que Precisamos falar sobre… 

 

A TV estará livre para realizar o seu próprio “Flashpoint Paradox”.

O esqueleto principal estará lá: Flash volta no tempo para salvar sua mãe, conseguindo. Mas haverá uma série de consequências que alterarão não só a sua história como a de outros heróis também. Sem poderes, inicialmente, o Flash deverá correr atrás de aliados para derrotar um vilão principal (talvez o Flash-Reverso) mas, principalmente, recuperar seus poderes e voltar no tempo para desfazer a bagunça.

 

Flash

 

E assim como Capitão América: Guerra Civil fez com o arco “Civil War”, adaptando sua essência mas inserindo elementos inéditos e únicos, a série de TV do Flash obviamente não adaptará a história “palavra por palavra”. Haverá uma liberdade criativa nas mãos de Greg Berlanti (showrunner), fazendo com que o programa crie o seu próprio “Flashpoint Paradox”, sem se preocupar em contar certas histórias ou não.

 

As possibilidades…

The Flash terá uma infinidade de possibilidades para trazer esta história ao público e, além disso, presentear os fãs com referências e ligações com a história original.

Um caminho praticamente certo é trazer Leonard Snart (Wentworth Miller) para a história. Os fãs de DC’s Legends of Tomorrow viram o personagem morrer na primeira temporada, mas com o retorno de Flash no tempo e a mudança temporal, o Capitão Frio poderá ser visto novamente na série – uma vez que Miller fez um acordo para aparecer em todas as séries da DC em produção na CW. Para os que leram Flashpoint, sabem que na história o Capitão Frio se torna o Cidadão Frio, um herói que não liga para as consequências de ultrapassar a linha do bom senso.

 

citizen cold

 

Portanto, ele ainda é ligado ao dinheiro e sarcasmo, podendo render bons momentos com Barry, que servirá de “freio” para a mente inconsequente deste “novo herói”. Também precisamos concordar que Snart foi uma das melhores coisas de Legends of Tomorrow, e vê-lo em tela novamente não será nada mal.

Cisco-FlashCisco poderia também ganhar destaque na trama como Vibe. Em “Flashpoint”, o Cyborg se tornou o melhor herói dos Estados Unidos, trabalhando inclusive para o governo. Na série, quando Barry Allen estiver na linha alternativa, ele poderá encontrar Cisco nesta função, que poderá se tornar um grande aliado em sua luta contra os meta-humanos. Com o Flash retornando para a linha temporal normal, ele poderá instruir Cisco a chegar no nível do Vibe que conheceu, e projetá-lo como um super-herói em Central City.

Outra história que poderia ganhar destaque na série seria o retorno do Firestorm de Robbie Amell. Nos quadrinhos, depois do Flash recrutar o Batman e Cyborg para sua causa, eles tentam encontrar o Superman, que é mantido prisioneiro pelo Governo, desde quando sua nave pousou na Terra. Supondo que o Superman que aparecerá em Supergirl não integrará este universo ou história, o Firestorm poderia assumir este papel, com Flash, Arqueiro Verde e Vibe caçando-o e o libertando, podendo o personagem retornar para a conclusão da história.

Porém, o arco que talvez mais possa ser aproveitado na série é o de Nora Allen. E ele servirá para fechar a história de Barry e sua mãe, de uma vez por todas. Por duas temporadas vimos o Flash voltar no tempo para tentar impedir o assassinato de sua mãe, tendo no final da segunda temporada conseguido. Nos quadrinhos, é Nora tem um papel fundamental para fazer o Flash retornar no tempo e conseguir acertar a linha temporal, e esperamos isso na série de TV. Ele precisa superar essa história, e não tentar voltar no tempo para impedir a morte de sua mãe. Uma última conversa – com bastante carga emocional – deverá ser um dos pontos chaves da próxima temporada.

 

Flash Nora Allen

 

O que isso afetará nas outras séries DC produzidas pela CW?

O bacana de “Flashpoint Paradox” é que, por ser uma história que afeta a linha temporal do universo, outras histórias poderão ser modificadas – como as de Arrow e DC’s Legends of Tomorrow – assim como Supergirl, que acaba de mudar-se para a CW.

Arrow, talvez, deverá ser a série que mais se conectará com a história do “Flashpoint”. Como o Universo DC da TV não tem um Batman disponível, Oliver Queen deverá exercer este papel na trama. Mas, seria interessante, e talvez ousado, colocar o pai de Oliver para trabalhar com o Flash.

Robert Queen ArrowPara os que não sabem, na trama dos quadrinhos, ao voltar no tempo e modificar a linha temporal, a história do Batman é completamente alterada, tendo Bruce Wayne morrido na fatídica noite do assalto que mata os Wayne, e assim, Thomas sobrevive e se torna o Batman, para combater os criminosos. Já que o Arqueiro Verde serviria de Batman para a história, seria muito legal o Flash ir até Star City e encontrar Robert Queen com a flecha e o capuz, tendo-o de convencê-lo a ajudá-lo a desfazer a linha temporal, antes que uma crise maior se desencadeie.

Personagens que morreram também poderiam retornar, como a Canário Negro de Arrow ou o Homem-Gavião de Legends of Tomorrow. Além disso, universos poderão se colidir, interferindo nas histórias da Supergirl.

 

O que ficará de fora da adaptação?

Uma das razões que faz a linha de “Flashpoint” ser terrível foi porque o Aquaman e a Mulher Maravilha estavam em guerra, e a destruição causada entre as Amazonas e as forças da Atlântida afundaram a Europa Ocidental. Mais uma vez, temos dois personagens que não poderão ser usados no universo do Flash na TV, e quando você combina a sua ausência com orçamento menor do show (em comparação com um filme, que é), não há nenhuma maneira que este conflito possa ser devidamente realizado.

Então isso significa que esta versão do “Flashpoint” não deve colocar o mundo em jogo, pelo menos através de algo como uma guerra global. Talvez apenas limitá-lo a Central City e algumas outras localidades notáveis da DC, como Star City. No máximo, encontrar uma maneira de incluir todos os Estados Unidos, mas não expandir esta versão do “Flashpoint” com o envolvimento do mundo inteiro. 

 

Haverá mudanças permanentes…

Este arco não deverá ser uma adaptação em vão, e mudanças permanentes deverão ser justificadas por esta mexida na linha temporal. A Canário de Katie Cassidy poderá ser resgatada da morte definitivamente desta forma, tornando sua exclusão da série um ato temporário.

Outra questão que deverá ser abordada com o “Flashpoint” é a mudança do universo de Supergirl para a Terra 1. Inicialmente, com a série da Super-Moça na CBS, Greg Berlanti havia decidido que Kara estaria num universo alternativo de Barry, mas com a mudança para a CW, ambos estando no mesmo universo irá tornar as histórias bem mais atrativas – e propensas a crossovers. Portanto, esta deverá ser uma das maiores consequências.

 

cw-crossover-Arrow-Flash-Supergirl-Legends

 

Existem muitas outras possibilidades para “Flashpoint Paradox” ser adaptada na série. A ansiedade em torno de como ela será feita está grande e resta-nos esperar até outubro para ver o mais novo capítulo da saga de Barry Allen na televisão.

E você? O que pensa sobre este arco vir parar nas telinhas? O que acha destas possibilidades?

Share this post

Anderson Narciso

Anderson Narciso

Mestre em História, apaixonado por mídias, é o editor responsável e idealizador do Mix de Séries. Eterno órfão de Friends, One Tree Hill e ER, acompanha séries desde que se entende por gente. No Mix é editor de colunas e de notícias, escreve a coluna 5 Razões e resenha a série Gotham.