Precisamos falar sobre American Horror Story

Imagem: FX/Divulgação

ahs-lady-gaga-hotel

Continua após publicidade

 

Continua após a publicidade

O que você está procurando quando assiste American Horror Story: Hotel? Você está assistindo por causa da Lady Gaga? Ou pelo cenário? Ou pelos atores que desafiam a si mesmo em papéis extremos?

Continua após publicidade

Há muito pouco retorno no final de uma temporada de American Horror Story. Isso não quer dizer que a cada semana não tenha um bom exemplo sequer de atuação, design, figurino ou maquiagem. No entanto, quando você olha para trás após os créditos finais do último episódio da temporada, você constantemente se pergunta: “O que foi isso? Que história eu estava assistindo?”. Já deu para entender que a preocupação maior da trama é discutir temas polêmicos – gênero, sexualidade, raça, religião – num espiral de sensualidade e bons efeitos. A tortura muitas da vezes mexe com a nossa cabeça, mas não com o nosso senso de reconhecimento. Mas será que isso tem sido suficiente?

No final de Murder House uma temporada inteira desdobrou organicamente do passado para o presente, e vice-versa. Os episódios não estavam tentando provar alguma coisa, nem tirar os personagens para dar espaço para convidados especiais e atores novatos. A história da casa assassina foi a frente e o centro de tudo e cada episódio deixou isso bem claro.

Continua após publicidade

 

Continua após a publicidade
O MIX DE SÉRIES atingiu 10 milhões de visitas mensais e vamos ensinar tudo que aprendemos nessa caminhada! Aumente o tráfego do seu site com técnicas avançadas de SEO.
Faça seu pré-cadastro aqui!

Coloca o tapetinho de boas vindas na Casa Assombrada de Ryan Murphy

 

Asylum começou promissor, mas no momento em que Lana Winters deu o dedo no último episódio, já era tarde demais para trazer os espectadores de volta para o seu arco. Em vez disso, a edição dependia da capacidade do público para sustentar apenas a sua história enterrada em um mar de freiras, estupros alienígenas, e uma rotina de canto e dança. Se você piscou e perdeu uma sessão entre Lana e Dr. Thredson, sua história ficaria incompleta. Da mesma forma, se você acompanhou a história da irmã Jude, também foram deixados numa pior após o episódio 13.

 

 Asylum: VID4 LOK4

 

Coven e Freak Show são temporadas verdadeiramente particulares. Indiscutivelmente, todo espectador viu os encerramentos das histórias de Cordelia, Fiona e Elsa, mas eles eram tão completa e satisfatória como arco de quatro episódios de Twisty? Na verdade, não.

 

Para resumir Coven e Freak Show

 

À medida que encaminhamos para o sétimo episódio da quinta temporada, estamos começando a se perguntar: qual enredo irá se concluir, e qual ficará incompleto? Desde a fase promocional, Hotel uma temporada muito focada na Condessa – e todos, consequentemente, se relacionariam a ela. Mas a matriarca do Hotel Cortez rapidamente caiu nas sombras da investigação do detetive Lowe e seu espiral descendente de loucura. Em seguida, rapidamente a história mudou o foco para a guerra da Condessa e Tristan contra Ramona e Donovan. Também foi adicionado à mistura, o novo papel de Alexis au pair para crianças imortais. Será que a verdadeira heroína da história é a filha abandonada de Alexis e John?

 

AMERICAN HORROR STORY: GAGA

Expectativa

 

Realidade

 

 

O que Madonna tem a dizer:

 

Talvez a história remonta a estrutura de Murder House. Para toda temporada, ambientada em um lugar físico, neste caso, o Hotel Cortez, desenha em seus personagens todas as esferas da vida e se recusa a deixá-los ir.

Sem Jessica Lange nesta temporada, a força para não perder os espectadores era a promessa de uma linha que não poderia ser desperdiçada. Matt Bomer e Finn Wittrock raramente usam roupas, Kathy Bates é severamente subutilizada, e se você não está fazendo sexo com Lady Gaga, as chances de você ter um “momento mais ousado” ainda não aconteceu. No entanto, se há uma chance nesta temporada é a personagem de Denis O’Hare, Liz Taylor. Embora nós não esperamos muito mais para ser adicionado à história dele, pelo menos AHS: Hotel mostrou o seu enredo e a importância do Hotel Cortez para o seu passado e o seu futuro.

American Horror Story deixou de ser terror a muito tempo. Seja por erro dos roteiristas ou por propaganda enganosa, a verdade é que a série entrou num caminho sem volta. Com o sexto ano garantido, Ryan Murphy pode ir a Marte que a falta de dimensões alternativas – ou o exagero delas – não vai mudar. Cortar os laços talvez fosse a solução, mas como voltar atrás agora que estão mais fortes do que nunca?