Produtor explica o que esperar do final da temporada de The 100

Imagem: CW/Divulgação

Durante toda a atual temporada de The 100 a história tem se aproximado cada vez mais da grande catástrofe, mas a Season Finale da próxima quarta-feira (24), batizada de Praimfaya, terá Clarke e seus aliados confrontando a realidade de um desastre nuclear. Segundo o showrunner, Jason Rothenberg, a onda está realmente a caminho.

“A temporada foi uma contagem regressiva, literalmente, para essa história,” diz Jason ao The Hollywood Reporter. “O que nós sempre tentamos fazer nessa série é construir um momento para um final épico, e nessa Season Finale, em particular, as coisas se revelam em tempo real. O relógio começa a andar lá na premiere e o relógio se aproxima do zero durante o episódio.”

Continua após a publicidade

Quanto a ideia de algum personagem sobreviver, Jason diz que – “Caso algum personagem consiga chegar até o espaço ou não… obviamente isso foi construído no final do episódio anterior, e então nós descobrimos o que eles tentam executar. E numa forma muito diferente e legal, é exatamente isso o que a história é: uma questão de tempo real deles conseguirem sair do planeta antes da onda da morte chegar.”.

A cada Season Finale vemos Clarke ser forçada a tomar uma decisão drástica que vem acompanhado de um grande custo pessoal, isso é basicamente uma tradição dos finais de temporada em The 100. “Nesse episódio Clark é forçada a tomar uma decisão extremamente difícil. No passado, ela teve que escolher sacrificar a vida de centenas de pessoas. Desta vez as coisas são um pouco mais pessoais, mas não menos impactantes. Certamente mudará a Clarke de uma maneira que nós nunca vimos antes – se ela sobreviver, claro.”.

A quarta temporada de The 100 será exibida nesta quarta-feira, 24 de maio, no Estados Unidos pela CW. Ainda não há previsão de quando o episódio será levado ao ar no Brasil.

Fonte: The Hollywood Reporter

Tags CWThe 100
Avatar

Bernardo Vieira

Catarinense e estudante de direito. Escrevo sobre entretenimento desde 2010, mas comecei com política internacional depois da campanha americana de 2016. Adoro uma premiação e um debate político, mas sempre estou lendo ou assistindo algo interessante. Quer saber mais? Me pague um café e vamos conversar.

No comments

Add yours